Estação Espacial Internacional Vai Ganhar um Módulo Comercial Habitável

Olá leitor!

Segue abaixo mais informações sobre o módulo comercial habitável da startup Axiom Space, empresa escolhida recentemente pela NASA para ter num futuro próximo este modulo acoplado na Estação Espacial Internacional (ISS), matéria esta postada dia (30/01) no site “Canaltech”.

Duda Falcão

HOME - CIÊNCIA – ESPAÇO 

Estação Espacial Internacional Vai Ganhar um Módulo Comercial Habitável 

Por Patrícia Gnipper
Canaltech
Fonte: NASA
30 de Janeiro de 2020 às 08h40

A NASA anunciou que a Axiom Space foi a empresa selecionada para construir ao menos um módulo comercial habitável na Estação Espacial Internacional (ISS), que será anexado ao laboratório orbital. Viabilizar destinos comerciais na órbita baixa da Terra faz parte dos planos da agência espacial de abrir a ISS a novas oportunidades para além do uso científico. A agência escolheu a Axiom entre 12 empresas privadas que se candidataram para tal.

Além de receber visitantes que não são astronautas, a ideia com essa empreitada comercial é, ainda, disponibilizar recursos da estação e da tripulação para empresas comerciais, permitir missões de astronautas privados, e buscar oportunidades para estimular a demanda sustentável e de longo prazo por serviços em órbita. "Estamos transformando a maneira como a NASA trabalha com a indústria para beneficiar a economia global e avançar na exploração espacial. É uma parceria similar à que neste ano devolverá a capacidade de astronautas americanos serem lançados à estação espacial em foguetes americanos a partir de solo americano", declarou Jim Bridenstine, administrador da agência

(Imagem: Axiom Space) 
Conceito do módulo Axiom Segment que será anexado à ISS.


Ele se refere ao Commercial Crew Program, que conta com a SpaceX e com a Boeing (e suas respectivas naves Crew Dragon e Starliner) para que astronautas da NASA não sejam mais enviados à ISS por meio de foguetes e naves russas Soyuz, como vem acontecendo desde 2011 com o fim do programa dos ônibus espaciais.

Essas naves, por sinal, poderão ser usadas por outros clientes além da NASA no futuro. A agência espacial prevê uma variedade de empresas privadas e até mesmo grupos universitários contando com esses veículos para chegar ao módulo comercial habitável da ISS, que ainda não tem data divulgada para o início de seu desenvolvimento. 


A ISS atualmente está com financiamento garantido até 2024, ainda que suas operações, em seu estado atual, possam acontecer até 2028. A Axiom, depois de enviar seu módulo comercial para lá, ainda pretende construir e operar sua própria estação espacial, algo que já vem sendo vislumbrado por outras empresas, incluindo a Bigelow Aerospace — esta que já tem um módulo conectado à ISS, que é o BEAM (Bigelow Expandable Activity Module). O BEAM chegou lá em 2016 para validar a tecnologia de habitat expansível, e seu desempenho satisfatório nesses quatro anos em órbita faz com que a NASA planeje mantê-lo em uso até o final da década de 2020.

(Imagem: Axiom Space)
Conceito da Axiom Station, estação espacial da companhia privada.

Voltando ao módulo comercial da Axiom na ISS, a empresa ainda negociará com a NASA para definir os termos de uso, bem como preços para um contrato fixo com um período de desempenho que pode ser de dois ou de cinco anos


Fonte: Site Canaltech -  https://canaltech.com.br 

Comentário: Pois é leitor, enquanto isso no Brasil nada de significativo fora a aprovação do AST ainda foi concretizado pelo Governo Bolsonaro após um ano de governo no setor espacial, nem mesmo o básico. Continuamos e agora sem a menor paciência (esperamos por décadas por ações realmente efetivas enquanto o setor se apequenava) por uma verdadeira política espacial agora voltada ao novo modelo New Space, uma governança efetiva, desburocratizada e eficiente sob o comando de gestores preparados e realmente comprometidos por fazer a diferença e mostrar à Sociedade Brasileira como o Programa Espacial é essencial para o futuro de nossa sociedade, nem que profissionais estrangeiros de gestão tenham de ser importados para essa joça funcionar direito, como ocorreu nos primórdios do próprio ITA, e como atualmente vem ocorrendo na Agencia Espacial Portuguesa, por exemplo. Muitas cagadas políticas leitor (desculpe-me pelo termo mas é o que descreve com mais realidade o que ocorreu) foram realizadas no setor espacial por essa classe política de energúmenos desde o ex-governo Fernando Collor, potencializadas pelo desgovernos de esquerda irresponsáveis e chegamos nesta situação em que nos encontramos atualmente, ou seja, em lugar nenhum. O mundo leitor caminha para o espaço, e o Brasil continua brincando de fazer Programa Espacial vendo a banda passar (e ela passa rápido) apequenando cada vez mais o seu pífio Programa Espacial com uma mentalidade tacanha e ultrapassada (só pensado em satélites de sensoriamento remoto, coletas de dados, de comunicações e meteorológicos) enquanto muitas nações do mundo avançam com planos espaciais cada vez mais ousados, e várias dessa nações bem aquém do nosso gigantismo e pujança econômica, sendo Portugal e a Nigéria dois grandes exemplos disso. O Brasil leitor precisa de um Programa Espacial condizente com o seu tamanho e hoje poderíamos (com a casa arrumada, é claro) está investindo pelo menos algo em torno de 2,5 bilhões de reais anualmente (a Argentina investia 1.2 bilhão de dólares anualmente em seu Programa Espacial antes da esquerda assumir o governo neste país platino) e assim fazer parte deste movimento mundial em direção ao espaço de forma solo ou em parceria com nações como a Índia, Rússia, EUA e China, com quem as possibilidades seriam enormes em várias áreas. Recordo-me leitor que até poucos anos atrás, o próprio Ministro Marcos Pontes anunciou que tinha planos de comprar ou alugar um avião para treinamento em gravidade zero, para assim preparar novos astronautas brasileiros em uma universidade paulista, plano este que não foi a frente, mas que já demonstrava naquela época a visão do ministro. O Brasil precisa acordar leitor, e nossos planos espaciais podem e precisam ser mais ousados, ou caso contrário, nossa voz como nação será cada vez menor internacionalmente. Enfim... parabéns a Axiom Space.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Janeiro de 2015 Registra Recorde de Focos de Queimadas Detectados Por Satélite

Da Sala de Aula para o Espaço