Agência Espacial Brasileira Comemora 26 Anos de Serviços Prestados ao País

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada dia (10/02) no site da “Agência Espacial Brasileira (AEB)” destacando que a Agência comemorou os 26 anos de serviços prestados ao País. 

Duda Falcão

NOTÍCIAS 

Agência Espacial Brasileira Comemora 26 Anos de Serviços Prestados ao País 

Coordenação de Comunicação Social – CCS
Publicado em: 10/02/2020 20h16
Última modificação: 11/02/2020 18h23


A Agência Espacial Brasileira (AEB) completa nesta segunda-feira (10.02) 26 anos de existência e de serviços prestados à sociedade brasileira. Há um ano à frente da instituição, o Presidente, Carlos Augusto Teixeira de Moura, trabalha com o compromisso de aliar ciência, tecnologia, educação e inovação industrial em prol do atendimento das demandas nacionais. Busca-se, também, motivar os jovens brasileiros a trilharem o caminho do progresso intelectual, social e econômico.

Em 13 meses de gestão, a AEB tem muitas conquistas a comemorar, uma delas, a aprovação do Acordo de Salvaguardas Tecnológicas (AST) pelo Congresso Nacional, com a prioridade de inserir o Brasil no grupo de países lançadores de satélites. “Vamos fazê-lo com veículos de outros países e com o nosso próprio lançador. Este ano, começaremos a lançar as bases para que isso possa ocorrer no período de dois a três anos, ou seja, serviços comerciais de transporte espacial, orbitais e suborbitais”, ressaltou o presidente da AEB.

Assinado em março de 2019 pelo Brasil e Estados Unidos, o AST define que ambos os países se comprometem a proteger as tecnologias das partes, condição obrigatória para o uso do Centro de Lançamento de Alcântara (MA) como base de lançamento de objetos espaciais de quaisquer países que possuam componentes americanos. Tudo isso com a finalidade de inserir o Brasil no mercado de lançamentos de satélites, mesmo ocupando 1% do volume de negócios espacial global.


Para tanto há diversas ações decorrentes que envolvem desde o preparo da própria AEB para as atividades que lhe são inerentes, passando pela infraestrutura do CLA e da região de Alcântara, somando-se ao desenvolvimento de um ambiente de negócios atraente, com segurança jurídica, que nos permita competente promoção comercial do Espaçoporto de Alcântara.

“Com diálogo e engajamento, o Programa Espacial Brasileiro deve-se fazer mais forte e efetivo, principalmente com o lançamento da Frente Parlamentar Mista para o Programa Espacial, a ser lançada em 19 de fevereiro pela Câmara dos Deputados”, afirmou Carlos Moura. Segundo ele, deputados e senadores saberão traduzir a importância de um Programa como fator de integração nacional e desenvolvimento socioeconômico, elevando-o à condição de Programa de Estado, com as correspondentes prioridades na agenda do País.

A AEB vem consolidando ações para alinhar o cenário espacial brasileiro às fortes tendências internacionais. Uma delas foi a realização da 3ª edição do Fórum da Indústria Espacial, em São José dos Campos (SP), em novembro de 2019, com a participação de representantes de diversas agências espaciais, da indústria espacial e das instituições acadêmicas e de pesquisa e desenvolvimento nacionais e internacionais. E as conquistas não páram por aí. No dia 20 de dezembro, o Brasil e a China lançaram os satélites CBERS-4A e FloripaSat, um sucesso para os dois países. 


Sobre a AEB 

É uma autarquia vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), responsável por formular, coordenar e executar a Política Espacial Brasileira. Desde a sua criação, em 10 de fevereiro de 1994, a Agência trabalha para empreender os esforços do governo brasileiro na promoção da autonomia do setor espacial.


Fonte: Site da Agência Espacial brasileira (AEB) - http://www.aeb.gov.br 

Comentário: Gente pelo amor de Deus (não há para quem mais apelar), vamos acabar com essa palhaçada, façam uma autocrítica, o défice deste órgão para com a Sociedade Brasileira nesses seus 26 anos de existência só não é menor do que a sua própria insignificância política. Parem com isso, não há nada a se comemorar, muito pelo contrário, tem sim muito a se trabalhar para transformar essa agencia de brinquedo num verdadeiro órgão de comando das atividades espaciais brasileiras. Parem de tentar enganar ao povo e a si mesmos, que droga.

Comentários

  1. "Com diálogo e engajamento," dá pra substituir por enrolação e enganação.

    ResponderExcluir
  2. Sim, eu continuo lá, apesar de cedido ao TRT. A Aeb pouco faz a gasta horrores de dinheiro público. Sabe porque o auditório esta cheio? Cheio d e terceirizados inúteis, que nem deveriam estar lá, porque convenhamos, não há tanto serviço assim. Agora, em 13 meses de gestão, questione o presidente da agência quanto já foi gasto, somente por ele, em diárias e passagens. Aquilo lá é um cabidão de emprego. E caso não tenham notado, é claro que eu não sou o datilografo, mas também trabalhei lá, tenho conhecimento de causa, pedi exoneração por vergonha na cara que meu pai me deu.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Bernardino!

      Veja bem, que há muita coisa errada e que também falta atitude ao Governo Bolsonaro na questão espacial é verdade, mas não posso concordar com as outras colocações feitas por você, principalmente com relação ao desempenho no Governo e do Ministro Pontes num contexto geral, menos amigo, não é por ai.

      Abs

      Duda Falcão

      Excluir
  4. essa matéria foi a piada do dia,obrigado!

    ResponderExcluir
  5. O nível de deboche dessa gente não tem limites, não adianta, entra governo e sai governo a mesma turminha sempre esta lá, agencia que só serve para agradar aliado, só serve para colocar parente de fulano, parente de ciclano, uma vergonha total. Alguns acreditavam que a coisa ia mudar, mas para quem conhece bem os meandros de Brasília sabe muito bem que a coisa continua igual, mudou-se o rei, mas as moscas continuam lá, só estão mais discretas

    ResponderExcluir
  6. Junta essa galera da foto não deve nem sair um nanosatelite funcional, pasmem.

    ResponderExcluir
  7. O dia em que o Brasil lançar um satélite por conta própria e finalmente deixar essa baderna de lado além de tirar as pessoas que não estão pelo país, ai sim eu vou acreditar no PEB e na AEB.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Janeiro de 2015 Registra Recorde de Focos de Queimadas Detectados Por Satélite

O CLA e Sua Agenda de Lançamentos Até 2022