Saulo Freitas Retorna Finalmente ao Brasil Para Implantar o Novo Modelo de Previsão Meteorológica

Olá leitor!

Tá lembrado do pesquisador Saulo Freitas que liderou uma equipe que desenvolveu um Modelo de Previsão Meteorológica recentemente adotado pela NASA? Pois bem amigo leitor, finalmente o pesquisador está retornando para o Brasil para implantar o mesmo modelo no país.

Duda Falcão

COMPORTAMENTO 

NASA Segue o Brasil 

Modelo de previsão meteorológica desenvolvido por pesquisador brasileiro do INPE garante mais precisão e é adotado pela agência norte-americana

Por Anna França
14/02/20 - 09h30
Atualizado em 14/02/20 - 10h24

(Crédito: Divulgação)
CLIMA Saulo Freitas liderou projeto que uniu cientistas brasileiros e dos Estados Unidos.

A previsão do tempo, e até a prevenção de catástrofes meteorológicas como as que atingiram São Paulo e Minas Gerais recentemente, pode ficar mais confiável em breve. Isso porque o pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), Saulo Freitas, está voltando ao Brasil para implantar o modelo de previsão que ajudou a desenvolver em conjunto com a NASA, e que foi adotado pelos norte-americanos desde o último dia 30 de janeiro.

Isso porque o novo sistema apura ainda mais as informações referentes ao que acontece na atmosfera envolvendo interações com oceanos, florestas e até o gelo. Parte da equipe de pesquisa do INPE desde 2013, o físico e especialistas na avaliação de nuvens e comportamento das gotas de chuvas foi designado em 2016 para liderar o corpo de pesquisadores da NASA que estuda prognósticos climáticos. “Lá conseguimos melhorar ainda mais o modelo que criamos no Brasil e que acabou sendo adotado pelos americanos. Com isso, a previsão mundial de clima deve melhorar”, explica.

O principal ganho é a maior exatidão dos dados e melhor previsibilidade. Uma vez que a NASA trabalha em todo mundo, a América do Sul também será beneficiada, segundo ele. “Isso ajudaria Minas e São Paulo a se antecipar, dando mais tempo à Defesa Civil de se preparar. Além disso, é fundamental para o setor agrícola poder traçar melhores estratégias”, afirma Freitas. 

Atmosfera Caótica 

Segundo ele, a grande vantagem de trabalhar na NASA foram os recursos disponíveis na instituição, como os supercomputadores que resolvem equações complexas. “Previsão é uma coisa complexa, porque a atmosfera é caótica e leva a erros. Por isso, a previsão, quanto mais próxima é mais acurada, como a do dia seguinte. Quanto mais longe, de uma semana a dez dias, a confiabilidade cai, porque atmosfera muda muito rápido”, explica Freitas.

Os modelos serão usados também para traçar os cenários de mudança climática em todo mundo, com o impacto do aquecimento global. “Os EUA atraem muitos cientistas porque sabem a importância da ciência para o desenvolvimento do país. E queremos trazer isso para o Brasil, mas é importante que o País valorize a ciência e os cientistas, investindo mais na área. Porque para um grande produtor agrícola isso pode ser um diferencial decisivo”, acrescenta o pesquisador.


Fonte: Site da Revista Galileu - https://revistagalileu.globo.com

Comentário: Pois é leitor, olha aí. Não sei se essa decisão saiu motivada pelos meus comentários em matéria anterior (veja aqui), provavelmente não, e pelo absurdo da questão em si, mas a verdade que pouco tempo depois a coisa certa a se fazer estará sendo realizada e este pesquisador retornará ao Brasil para implementar este novo Modelo de Previsão Meteorológica no país. Na verdade leitor  já tínhamos essa informação através de um amigo, que conhece um amigo que conhece um amigo, enfim... mas estávamos esperando a informação sair na mídia para confirmar a notícia.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Janeiro de 2015 Registra Recorde de Focos de Queimadas Detectados Por Satélite

O CLA e Sua Agenda de Lançamentos Até 2022