Obras no CLA Estão Paralisadas

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria publicada hoje (23/07) no jornal “O Estado do Maranhão”, dando destaque a paralisação das obras do sítio de lançamento da mal engenhada empresa Alcântara Cyclone Space (ACS).

Duda Falcão

Geral

Obras no Centro de Lançamento
de Alcântara Estão Paralisadas

Empresa Alcântara Cyclone Space (ACS) informa que, devido ao período chuvoso,
as obras no sítio que proporcionará o lançamento do Cyclone-4 estão
temporariamente suspensas, mas afirma que os
trabalhos serão retomados em até 45 dias

O Estado do Maranhão
23/07/2013

Centro de Lançamento de Alcântara; empresa ACS
confirma paralisação de obras por causa das chuvas e
informa prazo de retomada dos serviços

ALCÂNTARA – Mesmo com obras paralisadas há pouco mais de um mês, a empresa binacional Alcântara Cyclone Space (ACS) afirma que o cronograma das obras do sítio que proporcionará o lançamento do foguete Cyclone-4, realizadas em Alcântara, será mantido. Os serviços, que deverão ser retomados em aproximadamente 45 dias, estão previstos para serem concluídos até o início de 2015.

Segundo o gerente de Relações Corporativas da ACS, Wagner Santili, o motivo da paralisação das obras foi o período chuvoso no Maranhão. Por causa disso, as empresas contratadas para as obras estruturais dispensaram parte dos funcionários e tiveram de diminuir o ritmo de atividades até a paralisação total.

"Como no Maranhão se tem a estação seca e chuvosa, nós tivemos de parar por causa das chuvas. Estamos ainda na fase de uma estrutura mais complexa e não temos condições de continuar. Nós optamos por parar e reiniciar daqui a um mês, um mês e meio, quando as chuvas já tiverem em menor intensidade na região", declarou.

Essa não é a primeira vez que as obras da ACS foram paralisadas por causa das chuvas. Em 2010, logo no início da construção do sítio da empresa, houve um atraso de seis meses no início dos trabalhos que compreendiam procedimentos como supressão vegetal e terraplanagem.

De acordo com Wagner Santili, assim que ocorrer o reinício das obras e passar o período estrutural do empreendimento, a obra terá prosseguimento em ritmo mais acelerado, portanto, mesmo com a paralisação não inviabiliza o cumprimento dos prazos estabelecidos.

"Quando tivermos concluído essa fase estrutural, os problemas como chuvas não irão mais paralisar as nossas atividades", frisou. Ele ainda reforçou a importância do empreendimento. "Com essa obra, com custo relativamente barato, em comparação a outros feitos por países, como a Rússia, o Brasil definitivamente se colocará no cenário das grandes potências, no que diz respeito a investimentos no segmento espacial", afirmou o gerente da ACS.

Empresa - A binacional Alcântara Cyclone Space foi criada em 2003, em um acordo de cooperação entre Brasil e Ucrânia, com a proposta de fazer lançamentos do foguete Cyclone 4 e outras atividades comerciais. A empresa é constituída por quatro conjuntos de construções. O complexo técnico será constituído por um espaço onde o foguete e os satélites serão montados antes do lançamento.

Os complexos de lançamento e processamento, além da área de armazenamento e posto de comando serão as áreas onde ficarão guardados os propelentes do foguete. Enquanto o Brasil realiza as estruturas físicas, a Ucrânia desenvolve a construção do modelo do foguete. A perspectiva da empresa é que após o lançamento e certificação do foguete, o ritmo de lançamentos chegue a seis por ano em operações comerciais.

Investimento - Em maio deste ano, o Governo Federal autorizou a transferência de recursos da União para aumento do capital social da Alcântara Cyclone Space, que passou de o capital da binacional ACS passará de US$ 498 milhões para US$ 920 milhões. O aumento se dará por meio de crédito extraordinário aberto em favor do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), previsto na Medida Provisória nº 598, de 27 de dezembro de 2012, e de transferência intergovernamental feita pelos representantes da República da Ucrânia.

"A efetivação do aumento do capital social da empresa ocorrerá mediante deliberação da Assembleia Geral, na medida em que forem transferidos os recursos, preservada a equidade na participação no capital social", diz o decreto que autorizou o aumento.

Mais

A Ucrânia é projetista de 67 tipos de sistemas de satélites e de 12 sistemas de lançamentos espaciais incluindo uma série de mísseis balísticos intercontinentais, dentre eles o SS-18 e a família de VLs: Kosmos, Dnepr, Zenit e Cyclone. Projetou também 17 tipos de motores de foguete e sistemas de propulsão de satélites.

O Cyclone 4, que será lançado a partir do sítio de lançamento no Maranhão, vem de uma série desenvolvida desde 1969 e teve 227 lançamentos, dos quais 222 foram bem-sucedidos e apenas cinco tiveram problemas de inserção de órbita, mas sem nenhum acidente. O Cyclone 4 possui 40 metros de comprimento. Hoje, o foguete é o mais avançado veículo da série Cyclone e incorpora mais de 40 anos de desenvolvimento tecnológico.


Fonte: Jornal O Estado do Maranhão - pág. 08 - 23/07/2013

Comentário: Pois é, para o VLS-1, VLM-1, para o motor-foguete L15 e outros projetos do PEB que estão ou estavam em curso não tem dinheiro, agora para esse trambolho tóxico ucraniano e para movimentar o mercado de trabalho especializado na Ucrânia tem, né? Meu Deus, a que ponto esses energúmenos chegam e não tem ninguém nesse país que tenha força suficiente para colocar essa gente na cadeia, mas de uma coisa tenham certeza, aparecerão muitos num eventual acidente com a bandeira de sério dizendo que irão fazer e acontecer. Cara Santa Cecília do Pau Oco, quando será que a sociedade brasileira vai entender que planejamento e estupidez são coisas distintas? Gostaria de agradecer ao leitor Maranhense Edvaldo Coqueiro pelo envio dessa notícia.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial