Blog Entrevista Coord. dos Projs. de Propulsão Líquida do IAE

Olá leitor!

Com dificuldade e perseverança o Blog BRASILIAN SPACE vem sempre tentando trazer para os nossos leitores a verdade sobre o Programa Espacial Brasileiro.

Como sabemos, o nosso Programa Espacial atravessa um momento de grandes dificuldades em todas as áreas de desenvolvimento, de recursos humanos e de infraestrutura.

Diante disso, e buscando manter nossos leitores bem informados sobre às atividades espaciais do país, especialmente em uma das mais importantes áreas para que o Brasil possa atingir sua 'autossuficiência espacial', mais precisamente a área de propulsão líquida, uma vez mais entramos em contato com o “Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE)” para solicitar uma entrevista com a coordenadora dos projetos dessa área no instituto, ou seja, a Capitã Engenheira Cristiane Maria de Moraes Pagliuco.

A Cap. Eng. Cristiane Pagliuco descreve com propriedade na entrevista abaixo, o atual momento dessa área no IAE, trazendo informações na sua maioria muito preocupantes, ao mesmo tempo em que anuncia a possibilidade do instituto realizar em dezembro desse ano (2013) o ensaio em vôo tanto do Motor Foguete de Propulsão Líquida L5 (MFPL L5), como do Sistema de Alimentação Motor-Foguete (SAMF), o que por si só já é uma grande notícia.

Entretanto leitor, como você mesmo poderá notar, a Cap. Pagliuco apresenta nessa entrevista a atual situação vivida pela sua equipe de desenvolvimento, trazendo informações que são mais uma clara demonstração de como o nosso Programa Espacial tem sido extremamente prejudicado pelo 'Governo DILMA ROUSSEFF', inclusive, pasmem, anunciando o encerramento do Projeto do Motor Foguete de Propulsão Líquida L15 (MFPL L15) devido à falta de recursos financeiros adequados. Em outras palavras leitor, isso significa que, até segunda ordem, tanto o Projeto do Motor L15, quanto o Projeto do Foguete VS-15 estão cancelados, notícia essa que além de ser frustrante é extremamente revoltante.

O Blog BRAZILIAN SPACE gostaria de agradecer uma vez mais ao Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), ao Brig. Carlos Antônio de Magalhães Kasemodel (diretor do IAE), a Sra. Janaína Pardi Moreira (Seção de Comunicação Social do IAE) e evidentemente a Cap. Eng. Cristiane Pagliuco pela atenção dispensada, desejando desde já melhores dias para o nosso PEB.

Duda Falcão

BRAZILIAN SPACE: C. E. Cristiane, para aqueles que não a conhecem, nos fale um pouco sobre a senhora, onde nasceu, sua idade e qual sua formação?

CAP. ENG. CRISTIANE MARIA DE MORAES PAGLIUCO: Tenho 32 anos (nasci em 1980). Sou paulistana. Morei em Santo André até os 12 anos, quando me mudei para São José do Rio Preto. Vim para São José dos Campos em 1997, visando prestar o vestibular do ITA. Sou formada em Engenharia Mecânica Aeronáutica, em 2003, e já no meu trabalho de graduação trabalhei com Motores Foguete a Propelente Liquido.

Após a formatura fui transferida para o Parque de Material de Lagoa Santa e só em 2008 consegui voltar para o DCTA para trabalhar com Propulsão Líquida. Fiz especialização em Propulsão Líquida em 2006, mesmo não estando alocada no DCTA, não sendo possível concluir o mestrado profissionalizante.

BRAZILIAN SPACE: C. E. Cristiane, em dezembro de 2011 foi realizada a conclusão em solo dos testes com o MFPL L5 (Motor Foguete de Propulsão Líquida L5). Posteriormente, informações divulgadas na mídia davam conta que o próximo passo seria o teste em voo desse motor. Já existe uma previsão de como esse motor será testado em voo e quando esse teste será realizado?

C. E. CRISTIANE PAGLIUCO: Existe a possibilidade de realização de um ensaio em vôo do Motor L5 em dezembro de 2013. Estamos lidando com esta possibilidade com ressalvas já que o Motor L5 foi desenvolvido para realização de ensaios em Banco. Seu principal objetivo era a verificação de desempenho, capacidade de fabricação de nosso parque tecnológico, ajustes e melhorias no Banco de Ensaios do Laboratório de Propulsão Líquida (LPL). Como surgiu esta possibilidade de realização de ensaio em vôo para um MFPL, o Motor L5 é o “melhor qualificado” para esta missão, mas estamos nos concentrando em fazê-lo funcionar em vôo e não em seu desempenho em vôo.

Concepção artística do foguete (VS-30/L5) que será
usado para testar em voo o L5/SAMF

BRAZILIAN SPACE: C. E. Cristiane, é sabido que um outro importante projeto do IAE de motor foguete líquido é o projeto do MFPL L15 (Motor Foguete de Propulsão Líquida L15). Em que estágio de desenvolvimento se encontra esse projeto e já existe uma previsão de quando o mesmo estará disponível para ser testado em voo?

C. E. CRISTIANE PAGLIUCO: O Motor L15 era um projeto desenvolvido com recursos da FINEP em parceria com a empresa Orbital. Devidos aos problemas de fabricação encontrados, não foi possível testar o Motor L15 em Banco por tempo suficiente para confirmar seu desempenho.   Como os recursos foram poucos para levar o projeto adiante, decidiu-se por encerrar o projeto do Motor L15. Porém ele foi útil para os outros projetos na investigação de processos de fabricação e escolha de materiais.

BRAZILIAN SPACE: E como será realizado esse voo do MFPL L15 C. E. Cristiane?

C. E. CRISTIANE PAGLIUCO: Os recursos não foram suficientes para a conclusão da fabricação de um modelo de engenharia, portanto não há previsão de vôo para este motor.

BRAZILIAN SPACE: É sabido C. E. Cristiane que de maneira geral o PEB tem passado por dificuldades devido à insuficiência de recursos financeiros e humanos adequados. Os projetos do IAE coordenados pela senhora também tem passado por essas dificuldades ou fogem a essa regra?

C. E. CRISTIANE PAGLIUCO: Essa regra é geral para todo o Programa Espacial Brasileiro. Os recursos para a Propulsão Líquida sempre foram insuficientes, principalmente no que se refere à disponibilidade de pessoal. Entretanto, como os projetos em Propulsão Líquida estavam em fase de concepção, a necessidade de recursos era menor. Atualmente, entramos nas fases de fabricação de modelos para testes e qualificação, se não houver uma disponibilização integral de recursos financeiros e de pessoal neste ano  e nos anos seguintes, há risco de paralisação dos projetos, já que essa fase demanda uma quantidade de recursos muito maior que as fases anteriores, principalmente, devido à contratação de empresas brasileiras para fabricação dos modelos de desenvolvimento.

BRAZILIAN SPACE: C. E. Cristiane, recentemente o Governo DILMA ROUSSEFF lançou o “Programa Ciência sem Fronteiras (CsF)”, que entre os seus objetivos está o de atrair profissionais estrangeiros para trabalharem em projetos estratégicos no país. É do interesse do IAE utilizar-se dessa oportunidade para trazer profissionais que possam contribuir nos projetos que a senhora coordena, e caso sim, já existe alguma ação nesse sentido?

C. E. CRISTIANE PAGLIUCO: Seria interessante para o IAE trazer profissionais estrangeiros para contribuir na área de Propulsão Líquida. Esta área é altamente concorrida no exterior e desconheço profissionais altamente capacitados que estejam interessados e disponíveis. O máximo que conseguimos trazer para contribuir com o projeto são consultores em algumas áreas específicas dentro da Propulsão Líquida, assim, o desenvolvimento tem sido feito pelo IAE, com apoio da indústria nacional.

BRAZILIAN SPACE: C. E. Cristiane, qual é atualmente o número de profissionais que trabalham sob a sua coordenação nos projetos de motores foguetes líquidos no LPL/APE?

C. E. CRISTIANE PAGLIUCO: Atualmente, atuando nos projetos de motores foguete a propelente líquido temos por volta de 24 pessoas. A maior parte desse grupo é formada por prestadores de serviço, contratados para apoio ao projeto, que permanecerão no IAE por tempo definido. Os servidores do IAE atuam nos projetos de propulsão líquida, mas também se dedicam a outras atividades no Instituto.

BRAZILIAN SPACE: É sabido C. E. Cristiane que o “Sistema de Alimentação Motor Foguete (SAMF)” é parte importante para o funcionamento em voo tanto do MFPL L5 quanto o do MFPL L15. Qual é atualmente o estagio de desenvolvimento desse sistema e qual é a previsão otimista para a finalização do mesmo?

C. E. CRISTIANE PAGLIUCO: O projeto do SAMF está sendo revisado para atender ao Motor L5 em um possível ensaio em vôo. Portanto, considero o desenvolvimento finalizado após o ensaio a quente em Banco de Provas ou com um ensaio em vôo, ambos utilizando o Motor L5.

BRAZILIAN SPACE: C. E. Cristiane, no final de agosto de 2012 o IAE realizou o primeiro ensaio a quente de um motor foguete a propulsão liquida denominado MFPL L1. Qual foi a finalidade desse teste e existe a pretensão do IAE de utilizar esse motor em alguma missão em voo?

Modelo de Engenharia do SAMF ainda acoplado
a um Motor L15 (Projeto Encerrado)

C. E. CRISTIANE PAGLIUCO: O Motor L1 foi projetado por um servidor do IAE, resultado de sua dissertação de mestrado, cuja aplicação é acadêmica. Esse motor foi projetado apenas para testes em Banco de ensaios, pois é refrigerado com água, mas que possibilita diversas investigações de fenômenos em Propulsão Líquida. Sua principal finalidade é a capacitação de pessoal na área, desde estudantes até servidores interessados em atuar em Propulsão Líquida, sendo necessária antes concluir a sua qualificação em Banco.

BRAZILIAN SPACE: C. E. Cristiane, é sabido por todos que o grande projeto de motor foguete líquido do IAE é o MFPL L75. Em que estágio de desenvolvimento encontra-se esse motor e quais são as ações relacionadas com o mesmo previstas para serem executadas ainda no ano de 2013?

C. E. CRISTIANE PAGLIUCO: O Motor L75 é nosso objetivo principal. Por ser o primeiro motor pressurizado por turbobomba, apresenta ao IAE, além dos desafios já conhecidos de fabricação da câmara de empuxo, os desafios de projeto e fabricação da turbobomba, dos componentes de regulagem e sistema de controle do Motor. O projeto do Motor L75 encontra-se em fase de fabricação dos modelos de desenvolvimentos e ensaios de alguns componentes, para verificação do desempenho e possível reprojeto. Esta fase se iniciou em 2013 e se estenderá até meados de 2016.

BRAZILIAN SPACE: C. E. Cristiane, em entrevista ao blog em outubro do ano passado, o Brig. Kasemodel (Diretor do IAE) nos informou que estavam sendo realizadas tratativas para realizar os testes do motor MFPL 75 no exterior. Essa possibilidade já foi concretizada, e caso sim, onde serão realizados esses testes?

C. E. CRISTIANE PAGLIUCO: A ausência no País de infraestrutura para realizar todos os testes do Motor L75 nos obriga a buscar alternativas no exterior. A principal dificuldade é que maioria dos países que possuem infraestrutura de ensaios para o Motor L75 não aceita simplesmente receber o Motor sem ter a garantia de que não ocorrerá um incidente em seu Banco de ensaios. Por essa razão, o IAE está envidando esforços no sentido de parcerias para concretizar esses ensaios no exterior.

BRAZILIAN SPACE: C. E. Cristiane é inegável que para que o Brasil possa obter autonomia nessa área, será necessário investir recursos em infraestrutura física e entre elas está a necessidade da construção de um Banco de Provas com maior capacidade do que o atual de 20kN que o IAE dispõe. Já existe alguma ação nesse sentido?

C. E. CRISTIANE PAGLIUCO: Já temos a especificação do Banco de Provas para motores de 100 kN e 400 kN e o DCTA tem um local reservado para a construção deste Banco. Estamos buscando recursos para contratação do Projeto Básico. Os próximos passos são contratação do Projeto Executivo e construção do Banco. Porém, não há previsão de recursos nem para contratação do Projeto Básico.

BRAZILIAN SPACE: Finalizando C. E. Cristiane, existe algo a mais que o senhora gostaria de destacar para os nossos leitores?

C. E. CRISTIANE PAGLIUCO: A Propulsão Líquida é o caminho natural do desenvolvimento do Programa Espacial de qualquer país que tem pretensão de “se lançar no espaço”. Mesmo o Brasil obtendo sucesso na colocação em órbita de um satélite utilizando um veículo unicamente com propulsores sólidos, temos que pensar que quando se trata de desenvolvimento de tecnologia não será de um dia para o outro que teremos disponível para vôo um veículo espacial com propulsores líquidos. Há de se pensar que, se quisermos ter esta tecnologia totalmente desenvolvida e qualificada nos próximos 15 anos, temos que capacitar recursos humanos, fazer investimentos na infraestrutura de ensaios e principalmente investir nos centros de pesquisa e nas empresas dispostas a utilizar seus recursos para, juntamente com os centros de pesquisa, ter sucesso no desenvolvimento e fabricação de componentes espaciais.

Comentários

  1. Entre o Power Point e a realidade existe um oceano de diferenças, quando o tema é programa espacial brasileiro.

    A ACS, o programa Cruzeiro do Sul e finalmente a realidade, não temos gente, não temos infra estrutura, sim temos dinheiro, mas ele é mal empregado.

    Programa espaciais baseados em propulsão liquida normalmente surgem ancorados em um propulsor principal, foi assim na URSS a partir de 1957 com o RD-107 que permitiu o Sputinik, Vostok e segue em uso até hoje.

    Foi assim na China com o YF2A em 1970, que permitiu a China lançar seus próprios satélites.

    Foi assim na ESA a partir de 1979 com o Viking-II que permitiu o Ariane-I e o posterior domínio de lançamentos comerciais por parte dos europeus.

    Esta sendo assim com o Merlin que permite a Space-X romper paradigmas sobre modelos de desenvolvimento na atual indústria espacial.

    Qualquer planejamento minimamente sério, contemplaria no Brasil um propulsor liquido de pelo menos 40.000 Kgf que seria a base para um lançador de satélites governamentais na faixa de 1500Kg LEO. Mas nós preferimos aplicar milhões de dolares em um ultrapassado foguete ucrâniano que não contem nenhuma tecnologia local.

    Qualquer agencia espacial com a mínima eficiência colocaria metas para a obtenção deste hardware (8 anos por exemplo) e teria uma política de pessoal e infra estrutura condizente com o programa.

    Mas estamos no Brasil, a terra do “quase”, quem sabe daqui a “quase 30 anos” um foguete nacional de propulsão liquida não suba ao espaço.

    ResponderExcluir
  2. Triste saber que os desenvolvimentos do motor foguete L15 não seguirão adiante. Mas legal saber que agora o L75 é a prioriedade. Esperemos que tudo dê certo até 2016.

    ResponderExcluir
  3. Brasil um pais sem vocação para ser grande. Infelizmente.

    ResponderExcluir
  4. Duda,
    Qual é o prejuizo para o PEB com o cancelamento do desenvolvimento do motor L15?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Carlos!

      Veja bem, o objetivo do L15 seria a utilização do mesmo como estágio superior dos veículos VLS-1 e VLM-1 em substituição ao motor-foguete sólido S44 desses foguetes, visando com isso melhorar o desempenho de ambos. Com o fim desse projeto, essa ideia está abandonada e resta então a utilização do motor L5, o que diminui esse ganho de desempenho, mas enfim, fazer o que?

      Abs

      Duda falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir
  5. Bobagem. O importante mesmo é que fomos campeões da Copa das Confederações.Brazilzilzil!!!

    ResponderExcluir
  6. " L 15 UMA PERDA IRREPARÁVEL"

    Por que os "DONOS DA RAZÃO EM BRA" fazem as coisas más?
    Existe uma verdade que poucos contestam: Todos nós imperfeitos e por isso cometemos erros e fazemos coisas das quais nos arrependermos. Por exemplo: Ter erroneamente votado nesta incompetente, irresponsável, inconsequente e antipática, COMANDANTE DO BRASIL e seus Irmãos Comparsas. Mas será que isso explica as muitas coisas más, grandes e pequenas, que quase todo dia vemos ou ouvimos falar, como o CANCELAMENTO DO NOSSO VETOR PARA O ESPAÇO, O MOTTTTTTTTTTOR LLLLLLLLLLLLL 15! , Que tristeza, que ÓDIO DENTRO DO MEU CORAÇÃO! Somos pequenos, por enquanto! Até agora, mais o amanhã será nosso, NAS ELEIÇÕES EM 2014, aguardem e verás a força do povão.
    O antigo ditado: "Todo o homem político tem seu preço", dá a entender que até pessoas ligadas aos políticos corruptos, aparentemente boas,estão dispostas a violar princípios de moral e de decência se com isso ganharem muito dinheiro ilícito, roubando as divisas que interessam os grandes projetos do país. Alguns que parecem amigáveis ao nosso PEB, e bondoso sob circunstâncias normais muda a personalidade de representantes dos institutos, Agências.........tornando-se pessoas desagradáveis e traidoras em seus juramentos. Pense nos muitos crimes cometidos por causa da GANÂNCIA DO DINHEIRO FÁCIL DA NOSSA NAÇÃO, chantagem, extorsão, fraude, e até a venda de suas pró-pias almas ao DIABO!
    Dom Quixote é uma personagem bem conhecida da ficção, criado no século 16 pelo escritor espanhol Miguel de Cervantes no seu clássico romance que leva o nome desse personagens. Nessa história, Dom Quixote enche a mente com lendas e fábulas ......é claro que esse personagem é apenas um personagem fictício, mas ser enganado seu VOTO, é algo sério. Pense, por exemplo, NESSE ABSURDO CNL DO PROJETO MTR L15, imagine os seguidores do blog, com hipoxia, lendo esta matéria acima, até pouco tempo todos nós estávamos saudáveis, quando , na verdade, estávamos aos poucos morrendo de fome, fome de ciência na prática, fome de investimentos corretos em nossa tecnologia.
    Será que qualquer um de nós poderíamos cair na armadilha de ser enganado? de ser frustrado os nossos sonhos? Infelizmente sim! Na verdade, ninguém esta imune a esse perigo, atualmente paira sorrateiramente nos céus do Brasil, porem por pouco tempo.
    Caro amigo Duda Falcão, peço mil desculpas quanto a demora de execução do depósito para manutenção do Blog, devido compromissos delegados no meu trabalho, no processo de gerenciamento constante da mesma.
    Em se falando de entrevista, solicito que nos responda algumas perguntas?
    1 - Quem é o Sol da sua vida?
    2 - Quais os seus astros favoritos?
    3 – Você tem medo de ter uma carreira meteórica na direção do seu Blog?
    4 - Quando você fica no céu?
    5 - Você vê estrelas quando...?
    6 - Quando você cai no buraco negro?
    7 - Para que você daria os anéis de saturno?
    8 - Quando você vive no mundo da Lua?
    9 - Big Bang: Você explode quando...?
    10- O que deixa você nas nuvens?
    11- Q que você traria de uma galáxia distante?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Presidente Cássio!

      Não estou acostumado a ser entrevistado, mesmo quando estava na área de cinema procurava fugir, por não me sentir confortável com a situação. Entretanto, vamos lá:

      1 - Quem é o Sol da sua vida?

      R: Eu diria minha família, mais precisamente meus pais e minha filha

      2 - Quais os seus astros favoritos?

      R: Nunca pensei nisso

      3 – Você tem medo de ter uma carreira meteórica na direção do seu Blog?

      R: Não

      4 - Quando você fica no céu?

      R: Em meus momentos de reflexão

      5 - Você vê estrelas quando...?

      R: Quando olho o céu a noite

      6 - Quando você cai no buraco negro?

      R: Não sei, isso ainda não aconteceu comigo e espero que continue assim

      7 - Para que você daria os anéis de saturno?

      R: Bom, não são meus para que eu possa presenteá-los a alguém.

      8 - Quando você vive no mundo da Lua?

      R: Em momento algum, sou terráqueo

      9 - Big Bang: Você explode quando...?

      R: Quando não encontro solução para um problema

      10- O que deixa você nas nuvens?

      R: Boa pergunta, estou ainda buscando essa resposta

      11- Q que você traria de uma galáxia distante?

      R: Não sei e será que valeria a pena voltar de lá ?

      Bom espero Presidente Cássio que tenha respondido às suas perguntas dentro de suas expectativas.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir
    2. Quem nasceu primeiro:

      O OVO OU A GALINHA?

      Excluir
  7. Éh,meus amigos. Gostaria muito de pensar que tudo é culpa dos energúmenos de Brasília e do PT e sei que eles tem culpa. Porém, o que se vê em Minas e outros locais é ainda pior.Não haverá alternativa nas próximas eleições.Sinceramente!Lembram-se da tragédia na região serrana do Rio.Eles receberam muito dinheiro e até as pedras que rolaram dos morros ainda estão no maio do que foram ruas.Não consigo enxergar novidade no horizonte.Tudo é feito às pressas, de improviso.Ninguém olha para o futuro e nem além do seu interesse particular e imediato.Educação,ciência,pesquisa,tecnologia,saúde,crescimento com desenvolvimento e melhoria da vida? Só no palanque. Este é o país onde os alunos cospem nas professoras e os pais vão aos colégios para agredi-las e, assim, seguremos vivemos de pão e circo.Sobrevivendo da madeira,ouro,diamantes,minérios,petróleo e mão de obra barata;no futuro como no passado.

    ResponderExcluir
  8. temos nenhuma previsão para motores acima de 1000KN, só um banco de proas pAra 400KN. quando vamos entender que sem propulsão não tem satelite no espaço e a propulsão sólida e instável e pouco controlada. O foquete com saturno com F1 produzia meros 7.503.000 lbf que dividindo por 4 dá 1875750kgf. Isto tudo na década de 1960. o Brasil temos um foquete e dissertação de 20KN , é pra rir ou é pra chorar?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial