NASA Picks Small Spacecraft Prop. Systems for Development

Hello reader!

It follows a note published on the day (07/20) in the website “Parabolic Arc” highlighting that NASA picks Small Spacecraft Propulsion Systems for development.

Duda Falcão

News

NASA Picks Small Spacecraft
Propulsion Systems for Development

By Douglas Messier
July 20, 2013, at 4:58 pm

(Credit: NASA)
A laboratory model MEP thruster.

HAMPTON, Va. (NASA PR) – NASA selected three proposals for the development of lightweight micro-thruster propulsion technologies that are small in size but have big potential.

NASA’s Space Technology Mission Directorate selected the miniaturized electrospray propulsion technologies to perform stabilization, station keeping and pointing for small spacecraft. NASA hopes these technology demonstrations may lead to similar position control systems for larger spacecraft and satellites as well.

NASA’s Game Changing Development Program, managed by the agency’s Langley Research Center in Hampton, Va., sponsored this solicitation and will oversee the first phase of this technology development.

The three awards selected for contract negotiations are:

* “Microfluidic Electrospray Propulsion (MEP),” by NASA’s Jet Propulsion Laboratory, Pasadena, Calif.

* “Miniature ElectroSpray Thrusters Based on Porous Surface Emission,” by Busek Company, Inc., Natick, Mass.

* “Scalable ion Electrospray Propulsion System (S-iEPS),” by the Massachusetts Institute of Technology (MIT), Cambridge.

Proposals for this solicitation were received from NASA centers, federally funded research and development centers, universities and industry. At least one electrospray technology will be selected for further development as an in-space flight demonstration through NASA’s Small Spacecraft Technology Program during Phase II, which will be made through a separate solicitation.

One of NASA’s priorities is to seek and develop new technologies that will radically change the capabilities for small satellites. There currently is a lack of efficient propulsion for a class of low cost, nanosatellite research spacecraft called “Cubesats,” which measure about 4 inches on each side and weigh less than 3 pounds. The successful development and demonstration of these miniaturized systems will offer low mass, low-power propulsion for these small spacecraft and potentially revolutionize the future of Cubesats.

Miniaturized electrospray propulsion technologies also signal a revolutionary alternative for position control systems for larger satellites. Several studies have shown that micro-thrusters could replace currently accepted systems on large spacecraft, saving weight and space while significantly increasing mission reliability and lifetimes. This technology also could enable other game changing propulsion capabilities from micro-scale to large, deployable spacecraft structures.

For information about NASA’s Game Changing Development Program, visit:


NASA’s Space Technology Mission Directorate is innovating, developing, testing and flying hardware for use in NASA’s future missions. For more information about NASA’s Space Technology Mission Directorate, visit:



Source: Website Parabolic Arc - http://www.parabolicarc.com/

Comentário: Veja você leitor como se conduz um programa espacial de verdade. A NASA é uma organização governamental dos EUA que constantemente busca em seus laboratórios ou na iniciativa privada americana soluções inovadoras e futuristas através de seleções como essa. Note o tamanho dessa coisa, parece inacreditável e é se levarmos em conta as aspirações brasileiras de domínio da tecnologia espacial. É nessas horas que vemos como a NASA e suas parceiras estão anos luz de distancia da AEB e suas parceiras, não só tecnologicamente falando, mas também e principalmente na maneira de pensar e agir (veja como exemplo recente o caso do motor-foguete L15 que foi cancelado pelo IAE por falta de recursos financeiros adequados) motivadas que são por um governo e Congresso compromissados com suas atividades espaciais. Ora, é claro que a culpa não é da AEB, já que lá não existe David Copperfields, e sim profissionais do setor (em sua minoria) que tentam fazer o melhor possível dentro das dificuldades criadas pelo sistema político, legal e orçamentário disponível e ainda tem de conviver com profissionais alocados de outras áreas do setor público (por não ter ainda seu corpo de servidores especializados desde sua fundação em 1994) que na maioria das vezes atrapalham mais do que ajudam na agilização dos projetos em curso, coisa que a agência está tentando resolver através de um projeto de lei (sancionado dia 06/06 pela presidentA DILMA ROUSSEFF) que possibilitará a agência finalmente incluir o seu primeiro concurso público na previsão orçamentária de 2014. Pois é leitor, NASA e AEB vivem universos completamente diferentes, gerando com isso resultados que nem se quer podem ser comparados, e isso tudo por culpa de visão de governo, que no país dos ianques está comprometido com o futuro de sua sociedade e no Brasil, bom, no Brasil todos nós já conhecemos quais são os reais interesses desses energúmenos.

Comentários

  1. Ola , link de uma noticia sobre CLA , http://goo.gl/003NN

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Olá outra noticia bem interessante sobre CLA e ACS..

    http://www.jb.com.br/pais/noticias/2013/07/21/empresa-do-programa-espacial-brasileiro-paralisa-obras-na-base-de-alcantara/

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá André!

      Valeu pelas dicas amigo. Já foram postadas no blog.

      Abs

      Duda Falcão

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

O CLA e Sua Agenda de Lançamentos Até 2022