O PEB e a Lista das 'Quase Certezas'

Olá leitor!

Você que acompanha o blog diariamente deve lembrar que em outubro do ano passado realizamos uma interessante entrevista com o diretor do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), o Brig. Eng. Carlos Antônio de Magalhães Kasemodel (veja aqui), dedicado profissional que é o responsável pela condução das atividades espaciais e aeronáuticas desenvolvidas nesse importante instituto aeroespacial brasileiro.

Em sua entrevista, o Brig. Kasemodel apontou quais seriam as reais expectativas com relação às atividades espaciais do instituto para o ano de 2013, atividades essas que eu gostaria de relembrar ao leitor para que assim possamos discutir algumas dessas expectativas. As expectativas do brigadeiro eram:

- Lançamento do VLS-1 com carga útil SISNAV;
- Lançamento do SARA Suborbital no VS-40;
- Conclusão do projeto do SAMF;
- Fabricação dos modelos de qualificação e voo da PSM;
- Realização das etapas de fabricação do modelo de desenvolvimento do L75;
- Realização das etapas do VLM-1 conforme cronograma para primeiro lançamento em 2015; e
- Realização do Ante projeto do VLS Beta.

Ora, vale lembrar leitor que quando o Brig. Kasemodel nos deu essa entrevista, vivíamos a segunda quinzena do mês de outubro de 2012 e o Brig. Kasemodel aparentemente demonstrava acreditar (diferentemente de mim) que os recursos necessários para realização desses objetivos não seriam contingenciados mais uma vez pelo desastroso Governo DILMA ROUSSEFF.

Entretanto, como sabemos, o Projeto de Lei Orçamentária (Orçamentos da União Exercício Financeiro 2013) enviado ao Congresso pelos energúmenos do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), no final de 2012, simplesmente jogou água na choparia que certamente ocorreria no IAE após o alcance desses objetivos, caso esses imbecis não tivesse aprontado pelo terceiro ano consecutivo.

Diante disso, todos os objetivos citados acima evidentemente foram prejudicados, uns mais, outros menos, mas a verdade que essa atitude do governo da irresponsável PresidentA petista, atingiu gravemente o desenvolvimento desses projetos, atrasando em mais de um ano os cronogramas dos mesmos, e em um caso específico, obrigando ao IAE a tomar a decisão de encerrar um projeto de grande importância para o Brasil por falta de recursos financeiros contínuos e adequados, ou seja, o projeto do Motor-Foguete Líquido L15 que, pasmem, já encontrava em fase final de desenvolvimento.

Diante disto, o leitor mais antenado e interessado pode perguntar: Duda e agora o que ainda podemos esperar do IAE e do PEB no ano de 2013?

Ora leitor, o histórico do nosso Programa Espacial demonstra que a única coisa certa no mesmo é que nada é certo, e assim sendo é muito difícil ter certeza nesse dia de 27 de julho quais serão realmente (até o final de dezembro) os próximos passos do ‘patinho feio’ do Governo DILMA ROUSSEFF.

Entretanto, existem as chamadas ‘quase certezas’ que me arriscarei a citar e listar para você abaixo na esperança de pelo menos acertar 40% delas, percentagem essa que caso venha se concretizar, comemorarei como um torcedor apaixonado comemora um importante titulo conquistado por seu clube de futebol.

No entanto leitor, a verdade é que independente do resultado e mesmo que seja integralmente alcançado, o ano de 2013 ficará marcado como mais um ano de descaso do governo para com o nosso programa espacial, que ainda vive e respira graças aos seus abnegados e defensores, mas que no atual ritmo estará condenado ao sucateamento e total estagnação nos próximos anos.

Porém leitor há de se dizer que mesmo vivendo um verdadeiro ‘inferno’, o PEB não foge a regra, tendo alcançado algumas vitórias significativas nesse ano, como o da semana passada, quando no Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) foi inaugurado o "Laboratório de Sistemas Inerciais para Aplicação Aeroespacial (LABSIA)", visando com isso dar ao país a autonomia no desenvolvimento de sistemas de controle de atitude e órbita para satélites e foguetes.

Vale também lembrar a vitória alcançada pela Agência Espacial Brasil (AEB) que, após 19 anos de fundada, finalmente conseguiu ter a sua aspiração de possuir seus próprios servidores aprovada pelo governo, através de um ‘Projeto de Lei' sancionado no dia 06/06 pela presidentA DILMA ROUSSEFF, que permitirá a AEB incluir seu primeiro concurso público na previsão orçamentária de 2014. Passo este importantíssimo para acompanhar com mais eficiência e agilidade todos os projetos em curso no PEB, pelo menos, até onde o governo permitir.

Mas voltando a tal lista das ‘quase certezas’ previstas para serem realizadas pelo PEB até dezembro desse ano, iniciaremos falando das missões espaciais estrangeiras ainda a serem lançadas da Europa através de foguetes de sondagens brasileiros. São elas:

* HIFIRE-7 - VSB-30 - Andoya (Noruega) - Setembro

* Scramspace I  - VS-30/Orion - Andoya (Noruega) - Setembro

* TEXUS 51 - VSB-30 - Esrange (Suécia) - Outubro (?)

* Cryofenix - VSB-30 - Esrange (Suécia) - Novembro

* ICI-4 - VS-30/Orion - Andoya (Noruega) - Novembro/Dezembro

Ainda na área de lançamentos de foguetes de sondagens, porém relativas às missões realizadas do Brasil, às 'quase certezas' são as seguintes:

* Missão SARA Suborbital I - VS-40 - Alcântara

* Missão L5/SAMF - VS30/L5 - Local indefinido

* Missão com experimentos científicos - VS-30 – CLBI

Vale dizer que os períodos dessas missões brasileiras não estão oficialmente divulgados, e sendo assim, elas poderão ocorrer não exatamente na ordem acima.

Já quanto ao tão conhecido, esperado e desejado Veículo Lançador de Satélites (VLS-1), a 'quase certeza' está na realização de uma operação de lançamento simulada denominada de “Operação Santa Bárbara” que, se ocorrer ainda esse ano, deverá ser realizada no final de dezembro em Alcântara.

Na área de satélites leitor, as ‘quase certezas’ giram em torno de duas missões, sendo que a primeira e mais importante delas traz muitas preocupações aos especialistas, pois segundo eles a missão está sendo apressada irresponsavelmente por pressão política. Já quanto à segunda, diferentemente da primeira, traz uma grande expectativa, pois significará a colocação em órbita da Terra do primeiro cubesat brasileiro. São elas:

* Missão CBERS-3 - Foguete Longa Machar 4b Chinês - China - Outubro

* Missão NanosatC-BR 1 - Foguete estrangeiro ainda indefinido - Dezembro

Bom leitor, antes de finalizar, voltando às expectativas do Brig. Kasemodel (apresentadas no início desse artigo) ficamos mesmo nas ‘quase certezas’ relativas ao lançamento do SARA Suborbital I e na conclusão do projeto do SAMF, e teremos de esperar até o final do ano para saber se nessa pequena lista algo mais será acrescentado. Resumindo leitor, só nos resta agora torcer que esses energúmenos do Governo DILMA não venham mais atrapalhar nesses últimos meses do ano, e que a competência dos pesquisadores e técnicos do Brasil venha uma vez mais se destacar positivamente.

Avante Brasil

Duda Falcão

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial