Asteroides Potencialmente Perigosos Podem Se Esconder na Sombra de Júpiter

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada ontem (30/09) no site “Canaltech” destacando que Asteroides potencialmente perigosos podem se esconder na sombra de Júpiter.

Duda Falcão

Home - Ciência – Espaço

Asteroides Potencialmente Perigosos Podem Se Esconder na Sombra de Júpiter

Por Daniele Cavalcante 
Canaltech
Fonte:  Space.com
30 de Agosto de 2019 às 19h00

Um grupo de asteroides e cometas que orbitam na sombra de Júpiter pode representar uma ameaça para a Terra. Embora estejam bem distantes, algumas mudanças significativas em suas órbitas podem fazer com que as rochas espaciais voem em direção ao nosso planeta ou nossos vizinhos. Essa é a conclusão de um estudo liderado por Kenta Oshima, pesquisador do Observatório Astronômico Nacional do Japão. Ele identificou pelo menos um objeto que poderia sofrer essa mudança orbital.

Identificar e monitorar outros objetos escondidos nessa população de corpos celestes pode ajudar a identificar perigos potenciais para a Terra com bastante antecedência. Aí entra a importância de estudos como este. "Apontamos a possibilidade de que populações de asteroides potencialmente perigosos não detectados existam em locais de alta inclinação", escreveu Oshima.

Júpiter é o maior planeta do Sistema Solar, e sua enorme força gravitacional acaba por atrair muitos objetos para perto de si. Alguns deles, como suas luas, estão gravitacionalmente ligados a ele, mas outros seguem uma órbita semelhante à do próprio planeta, circulando o Sol. Estes viagem pelo espaço em um ângulo de mais de 40 graus em relação ao plano do Sistema Solar, e isso faz com que eles tenham uma órbita quase circular. Essas características de suas rotas os mantêm bem afastados de nós, mas é possível que isso mude.


Muitos desses objetos são difíceis de ver da Terra, porque estão escondidos na sombra do gigante gasoso. Enquanto suas órbitas são estáveis, isso não é um problema, porém se essas órbitas mudarem eles podem entrar em um caminho de colisão com a Terra ou com os outros planetas internos. Claro, se isso acontecer, eles se tornarão visíveis para os observadores de plantão, mas o perigo que eles representam significa que os astrônomos podem trabalhar para identificá-los agora, antes que se tornam de fato uma ameaça, conforme afirma Oshima em seu artigo.

O pesquisador já identificou um objeto que pode se tornar perigoso, denominado 2004 AE9. O asteroide orbita a cerca de 1,5 UA (uma UA, ou unidade astronômica, é a distância entre a Terra e o Sol) no percurso de Júpiter. Mas ocasionalmente ele passa por Marte, chegando a 0,1 UA. A órbita do asteroide se alterou ao longo do tempo, e isso não apenas o aproximou do plano do Sistema Solar, tornando-se menos inclinado, como também sua rota se tornou mais excêntrica - ou seja, não é mais tão circular.

Ainda não há perigo de o objeto colidir com a Terra em um futuro próximo, mas um dia ele poderá mudar sua órbita o suficiente para deixar Júpiter e colidir com um planeta rochoso. "Os objetos que se movem originalmente em órbitas altamente inclinadas e quase circulares, têm uma baixa probabilidade de impacto", disse Carlos de la Fuente Marcos, que estuda a dinâmica do Sistema Solar na Universidade Complutense de Madri, na Espanha. "Se eles se tornarem instáveis e a inclinação for trocada por excentricidade [ou seja, um percurso elíptico], a rota pode se tornar um cruzamento de planetas com uma inclinação baixa, o que se traduz em uma maior probabilidade de impacto".

De acordo com de la Fuente, vale a pena “ficar de olho” nesses asteroides e cometas, catalogando cada um deles e realizando um "censo", para "conhecer melhor o tamanho real dessa população potencialmente perigosa". Para ele, "se forem numerosos, o perigo pode ser potencialmente alto, mas se forem escassos, o perigo pode ser completamente insignificante".


Fonte: Site Canaltech - https://canaltech.com.br 

Comentário: Pois é leitor, a preocupação em torno desta questão continua aumentando dentro da comunidade astronômica internacional, porém pelo que parece infelizmente ainda não na mesma proporção que encontre soluções para esta questão. Em minha opinião a ONU deveria está nesse momento se mobilizando para cobrar de seus países membros um programa conjunto de proteção planetária que envolvesse todas agencias espaciais governamentais de seus países membros, antes que a humanidade venha enfrentar uma catástrofe. Prevenir, sempre foi a melhor opção, mas parece que infelizmente a imatura humanidade prefere sempre fechar a porta depois de arrobada.

Comentários

  1. Infelizmente, só devem criar algum programa de proteção depois que ocorrer algum evento.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial