Operação Águia é Realizada com Sucesso no Centro de Lançamento de Alcântara (MA)

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada dia (25/05) no site da Força Aérea Brasileira (FAB) destacando que uma operação de lançamento foi realizada no Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) com o lançamento de dois Foguetes de Treinamento intermediário (FTI).

Duda Falcão

ESPAÇO

Operação Águia é realizada no Centro de Lançamento de Alcântara (MA)

A Operação aconteceu do dia 20 a 24 de maio e teve por objetivo proporcionar treinamento operacional às equipes do CLA

Por Tenente  Tenente Andreza Aarão
Agência Força Aérea
Revisão:   Tenente Coronel Santana
Fonte: CLA
Publicado: 25/05/2019 - 19:00

Fotos: S1 Gabriel/CLA

O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) realizou no período de 20 a 24 de maio a Operação ÁGUIA I/2019, na qual foram lançados dois Foguetes de Treinamento Intermediário (FTI). Os lançamentos ocorreram nos dias 23 e 24 em Alcântara (MA). O último aconteceu às 13h44 (horário de Brasília), atingindo seu apogeu em 1 minuto e 44 segundos.

A Operação ÁGUIA I teve por objetivo proporcionar treinamento operacional às equipes do CLA de forma isolada. Na ocasião, os lançamentos foram executados sem carga útil científica para a realização dos testes de aceitação do novo sistema de terminação de voo e para obter dados de análise de voo balístico, cujo acionamento ocorreu em 2 minutos e 12 segundos após o lançamento.


Realizada integralmente pelo CLA, organização militar da Força Aérea Brasileira (FAB) subordinada ao Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), a Operação ÁGUIA contou com o apoio da Agência Espacial Brasileira (AEB), da Marinha do Brasil (MB), do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) e dos Esquadrões Falcão (1°/8° GAV) e Netuno (3°/7° GAV).  A Marinha do Brasil, o 1°/8° GAV, o 3°/7° GAV e o DECEA  foram responsáveis pela interdição marítima e também do espaço aéreo. Além disso, têm a incumbência de realizar Patrulha Marítima na área envolvida minutos antes do lançamento e de ficar alerta para uma eventual necessidade de evacuação aeromédica. Apesar de todos os procedimentos de segurança realizados, foram emitidos avisos à Associação dos Pescadores de Alcântara, às agrovilas do entorno do CLA e à comunidade local, para que todos tomassem conhecimento das atividades operacionais do Centro de Lançamento.


"O lançamento dos dois FTI com sucesso comprova a eficiência de toda equipe do CLA, dos Esquadrões Aéreos e de todos nossos meios de solo, especialmente do novo sistema de terminação de voo, testado pela primeira vez nessa operação. Estamos, a cada dia, dando mais um passo firme para elevar o Centro a um novo patamar, compatível com as expectativas da população brasileira", concluiu o Diretor do CLA, Coronel Aviador Marco Antônio Carnevale Coelho.


Fonte: Site da Força Aérea Brasileira (FAB) - http://www.fab.mil.br

Comentário: Pois é leitor, estranho nesta operação a FAB ter lançado dois FTI em uma única operação de lançamento. Creio que desde que esses foguetes de treinamento foram criados, esta foi a primeira vez que isto ocorreu. Na verdade leitor, eu sempre achei muito estranho o numero de voos de qualificação  destes foguetes FTI e FTB sem terem atingido até hoje (pelo menos não oficialmente) a devida qualificação, é muito estranho.  Imagine se o VS-30, VS-40 e o VSB-30, que são foguetes bem mais complexos, tivessem de realizar tantos voos para atingirem as suas qualificações? Precisamos lembrar leitor que estamos falando de foguetes da Força Aérea Brasileira (FAB) e todo órgão militar em qualquer lugar do mundo usa os seus meios disponíveis para pesquisas, e aqui pode e deve está ocorrendo isso sem grandes alardes, como a USAF faz nos EUA., eles com aquele mini ônibus espacial não tripulado fantástico que só Deus sabe o que realiza em órbita, e a gente com os nossos supostos foguetes de treinamento.

Comentários

  1. o CLA realizou no período de 20 a 24 de maio a Operação ÁGUIA I/2019, na qual foram lançados dois Foguetes de Treinamento Intermediário (FTI)

    é uma novidade lançar dois FTI , será que o CLA está preparando algo novo , ou mesmo antecipar o lançamento teste do novo VS-50 ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anónimo,

      Pode até ser, mas não do VS-50, já que o teste a quente ainda não foi realizado e após ser, precisará pelo menos mais sete ou oito meses para deixar tudo pronto. O teste do VS-50 só deverá ocorrer em 2020, como alias já foi anunciado.

      Aba

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir
    2. puxa ! , como demora realisar um projeto de uma Sonda VS-50 , o Estado Brasileiro não tem foco em desenvolver o seu PEB , é tratado como algo sem muita importância , no Brasil realisar um projeto de um foguete Sonda sub-orbital demora mais que realizar as missões Mercury , Gêmine e Apollo juntas, assim o Brasil só pode ficar para trás da China, Índia, Israel e Nova Zelandia!, o nosso PEB é tratado como algo com pouca importância, é uma pena essa situação ! .

      Excluir
    3. Vamos considerá que a Torre de lançamento já esteja pronta, que seja utilizado as duas do CLA que já existem , mas se for ainda construir uma terceira outra nova , aí sim vái demorar mais alguns meses extras, você tem algum dado a respeito de qual torre de lançamento será usada para o VS-50 ?

      Excluir
    4. Olá Anônimo!

      Não há nenhuma Torre de Lançamento sendo desenvolvida para o VS-50. O CLA dispõe de três plataformas de lançamento de foguetes, ou seja, o Lançador de Foguetes Médio/Medium Rocket Launcher (LFM/MRL) para foguetes de médio porte, o Lançador de Foguete Universal/Universal Rocket Launcher (LFU/URL) para foguetes de até 10 toneladas. Diante disto, como o VS-50 pesará mais de 10 toneladas a plataforma que deverá ser usada será a da Torre Móvel de Integração (TMI) do antigo VLS-1. Para tanto ele deverá ser integrado na Torre e acomodado sobre a mesa de lançamento desenvolvida para o VLM-1. Quanto aos meses que citei eles serão necessários após o teste do motor a quente para que o IAE possa realizar as mudanças necessárias para o modelo de voo identificadas durante este teste a quente do motor em banco de provas na Usina Coronel Abner (UCA), antes de testa-lo em seu voo de qualificação. Quanto a mesa de lançamento do VLM-1 (diferente da que foi desenvolvida para o antigo VLS-1) já deve esta pronta ou em fase final de desenvolvimento.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial