NASA Fecha Acordo Com 11 Empresas Americanas Para o Envio de Astronautas à Lua

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria publicada ontem (16/05) no “Jornal Metro” destacando que a NASA fecha acordo com 11 empresas americanas para o envio de astronautas à Lua.

Duda Falcão

ESTILO DE VIDA

NASA Fecha Acordo Com 11 Empresas Americanas Para o Envio de Astronautas à Lua

Por Wellington Botelho
Jornal Metro
Quinta, 16 maio 2019, às 20:00

Foto: NASA

A Agência Espacial Americana (NASA) selecionou 11 empresas para realizarem estudos e produzirem protótipos para o programa de exploração lunar Artemis.

O esforço ajudará a colocar astronautas americanos – uma mulher e um homem – no polo sul da Lua até 2024. O projeto ambicioso conta com um orçamento de quase 2 bilhões de dólares.

“Para acelerar nosso retorno à Lua, estamos desafiando nossas formas tradicionais de fazer negócios. Vamos simplificar tudo, desde aquisições a parcerias, desenvolvimento de hardware e até operações”, disse Marshall Smith, diretor de programas de exploração lunar da instituição.



As empresas selecionadas estudarão e / ou desenvolverão protótipos durante os próximos seis meses que reduzirão o risco de programação para os elementos de descida, transferência e reabastecimento de um potencial sistema de pouso humano.

O plano proposto pela agência americana é transportar astronautas em um sistema de aterrissagem humana que inclua um elemento de transferência para a jornada desde o portal lunar até a órbita baixa lunar, um elemento de descida para transportá-los à superfície e um elemento de retorno. A agência também está analisando as capacidades de reabastecimento para tornar os sistemas reutilizáveis.

Como o NextSTEP é um programa de parceria público / privado, as empresas devem contribuir com pelo menos 20% do custo total do projeto espacial. Confira as instituições:

·        Aerojet Rocketdyne – Canoga Park, California
·        Blue Origin – Kent, Washington
·        Boeing – Houston
·        Dynetics – Huntsville, Alabama
·        Lockheed Martin – Littleton, Colorado
·        Masten Space Systems – Mojave, California
·        Northrop Grumman Innovation Systems – Dulles, Virginia
·        OrbitBeyond – Edison, New Jersey
·        Sierra Nevada Corporation, Louisville, Colorado, and Madison, Wisconsin
·        SpaceX – Hawthorne, California
·        SSL – Palo Alto, California

"A solicitação formal fornecerá os requisitos para um pouso humano em 2024 e deixará para a indústria dos EUA propor conceitos inovadores, desenvolvimento de hardware e integração", disse Agência Espacial em comunicado.

Fonte: NASA


Fonte: Site do “Jornal Metro ” - 16/05/2019 - https://www.metrojornal.com.br

Comentário: Pois é leitor, olha aí, temos de acordar, o mundo caminha para o espaço e sequer temos ainda o ciclo completo de acesso ao espaço. Estamos perdendo um tempo precioso, veja ai o exemplo da NASA que rapidamente e com dinamismo assinou este contrato, pouco tempo após a solicitação feita a esta agencia pelo Trump de chegar a Lua até 2024. Pois então leitor, já que o Sr. Carlos Moura, presidente da AEB, deixou transparecer em sua recente entrevista ao Jornal O Globo (veja aqui) de que o modelo que será seguido pelo governo será o do 'New Space', pois então amigo leitor que a AEB, ao lado do MCTIC, COMAER e do Governo Executivo, representado pelo Presidente Bolsonaro, se reúnam com as startups espaciais do país para juntos estabelecerem uma estratégia emergencial de atuação que proporcione o desenvolvimento rápido de um lançador de foguete competitivo para o mercado brasileiro e internacional, valendo-se das tecnologias já existente no país. Temos ciência de que a situação econômica do país é critica, porém não temos mais alternativa e muito menos tempo, e o caminho atualmente seguido pelo projeto do VLM-1 não resultará numa rápida resposta e muito menos competitiva. É um tremendo desperdício não aproveitarmos essa massa de know how existente e motivada a apresentar resultados, bem como a tecnologia na área já existente, que ajudaria e muito a vencer etapas de desenvolvimento com extrema rapidez. Estamos leitor a ponto de perder uma dessas starups que está sendo continuadamente cortejada por uma nação sul-americana e em breve poderá deixar o país para desenvolver para eles um Veiculo Lançador de Satélites. É triste, mas ou as coisas tomam um rumo nos próximos meses, ou dentro de 2 anos ou no máximo 3, esse pais estará colocando um satélite no espaço com ajuda desta startup espacial brasileira. Pois é leitor, meus argumentos se esgotaram e agora a bola esta com o governo. Saravá meu pai, escutem as minhas ponderações.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial