Anomalias no Lado Oculto: Descubra o Que Poderia Ter Provocado Assimetria na Lua

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia publicada ontem (22/05) no site do Sputnik News Brasil tendo como destaque as Anomalias do lado oculto da Lua descobertas recentemente.

Duda Falcão

CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Anomalias no Lado Oculto: Descubra o Que Poderia Ter Provocado Assimetria na Lua

Sputnik News Brasil
22/05/2019 - 12:06

CC0 / Pixabay / GuillaumePreat

Há muitas diferenças em massa, estrutura e aparência dos lados visível e oculto do satélite natural da Terra. Segundo revelam cientistas, os lados são diferentes, porque a Lua teria colidido com um pequeno planeta anão logo após nascer.

Os resultados da última investigação foram publicados na revista JGR: Planets.

"Nossos cálculos mostram que a Lua recém-nascida colidiu com um pequeno embrião planetário de diâmetro que não superava 720-780 quilômetros. A catástrofe fez com que o lado oculto da Lua fosse coberto por uma camada de pedaços de dez quilômetros, descoberta pela sonda GRAIL em 2011", conta especialista Meng Hua Zhu, do Instituto de Investigações Espaciais da China.

Ao contrário do lado visível da Lua que é muito plano, o lado oposto está coberto por numerosas colinas e crateras. Ademais, a última análise mostrou que a metade visível do satélite é significativamente mais pesada do que a escura, enquanto as crateras em sua superfície são mais profundas.

Há vários anos, astrônomos tentam explicar a assimetria do satélite terrestre, em particular, pela irregularidade do resfriamento e solidificação da Lua "recém-nascida", pelo efeito da gravidade da Terra ou pelo "bombardeio" intenso do lado oculto. Além disso, alguns pesquisadores acreditam que pelo menos um ou vários "embriões" de planetas caíram na Lua, originando, assim, as diferenças em seus hemisférios.

Ao tentar revelar o que exatamente ocorreu com a Lua, os autores do artigo criaram uma simulação computadorizada na qual eles confrontaram a jovem Lua com vários objetos e observaram possíveis consequências.  Estes podiam incluir não apenas asteroides grandes e pequenos, mas também pequenos protoplanetas, milhares dos quais habitavam o Sistema Solar.

Revelou-se que a queda de um "embrião" semelhante ao tamanho de Ceres (maior objeto no cinturão de asteroides, com um raio de uns 473 quilômetros) no lado visível da Lua foi suficiente para cobrir seu lado oculto com uma espessa camada de detritos e alterar as proporções na estrutura química.

Vale destacar que, ao julgar pela velocidade da colisão — entre 6,8 e 7,2 km/s, este antigo protoplaneta não poderia ser o segundo satélite da Terra. Provavelmente, originou-se perto do local de nascimento do nosso planeta e também girou em torno do Sol.

Interações gravitacionais com outros corpos do jovem Sistema Solar a jogaram na órbita da Terra e apontaram para a Lua. Isso a condenou à morte e deu origem a misteriosa assimetria de ambos os lados, que o rover lunar chinês Yutu 2 está estudando atualmente.


Fonte: Site Sputniknews Brasil - http://br.sputniknews.com/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial