NASA Escolheu a Empresa Que Desenvolverá as Tecnologias Para Estação Lunar Gateway

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada ontem (23/05) no site do “Canaltech” destacando que a NASA americana escolheu empresa para desenvolver tecnologias para Estação lunar Gateway.

Duda Falcão

HOME - CIÊNCIA – ESPAÇO

NASA Escolhe Empresa Para Desenvolver Tecnologias Para Estação Lunar Gateway

Por Patrícia Gnipper
Canaltech
Fonte: NASA
23 de Maio de 2019 às 19h40


Nesta quinta-feira (23), a NASA revelou que a fabricante de satélites Maxar Technologies é a empresa privada a escolhida para desenvolver e demonstrar recursos de potência, propulsão e comunicações para a estação lunar Gateway, que a agência espacial construirá na órbita da Lua nos próximos anos.

De acordo com Jim Bridenstine, administrador da NASA, o elemento de potência e de propulsão é a base da Gateway, e é "um excelente exemplo de como as parcerias com empresas americanas podem ajudar a acelerar o retorno à Lua com a primeira mulher e o próximo homem em 2024". Ainda segundo Bridenstine, esses recursos serão "o componente-chave sobre o qual construiremos a Gateway, que será a pedra fundamental da arquitetura de exploração sustentável e reutilizável da NASA ao redor da Lua".

Esse elemento de potência e propulsão é uma espaçonave de propulsão elétrica e solar de 50 quilowatts de alta potência, algo três vezes mais poderoso do que a capacidade atual. O contrato da NASA com a Maxar carrega um valor total máximo de US$ 375 milhões e começa com um período base de 12 meses, podendo ser expandido se necessário. Neste período, visa-se a finalização da fase de projeto da nave.

(Imagem: NASA)
Conceito da nave de propulsão que será usada para a construção da Gateway.

A demonstração de voo durará até um ano, durante o qual a nave permanecerá como propriedade da Maxar, sendo operada pela empresa. Depois disso, a NASA poderá adquirir o artefato para usá-lo como primeiro elemento da Gateway — a agência espera lançar o elemento de potência e propulsão no final de 2022.

Conforme explica Mike Barrett, gerente de projeto de elementos de propulsão e energia da NASA, "esse sistema requer muito menos propelente do que os químicos tradicionais, o que permitirá à Gateway movimentar mais massa ao redor da Lua, como um sistema de aterrissagem humana e grandes módulos para viver e trabalhar em órbita".

O plano de retornar à Lua em 2024, com as novas missões Artemis, é baseado em uma abordagem de duas fases principais: a primeira na velocidade do retorno à Lua, com a segunda estabelecendo a presença humana sustentável até 2028 — isso significa que a Gateway precisa estar ativa e operante até lá, pois a estação servirá como pit stop entre a Terra e a Lua, já que a NASA pretende manter equipes constantes de astronauta em nosso satélite natural tal qual é feito hoje na Estação Espacial Internacional. A Gateway, em um momento futuro, também será essencial para que a humanidade chegue a Marte no final da década de 2030, no mínimo.


Fonte: Site do Canaltech - https://canaltech.com.br

Comentário: Pois é leitor, não é ficção científica não, a corrida para a LUA e para o Planeta Marte realmente começou, e os americanos estão novamente saindo na frente. E notem que a iniciativa não só parte do governo americano, como também de empresas privadas americanas como a SpaceX. Enquanto isso caro amigo leitor, o nosso país continua a passo de tartaruga sem sequer ter atingido o ciclo completo de acesso ao espaço, e pior, com planos bastantes modestos de só chegar a órbita terrestre com os seus projetos espaciais, sendo a unica exceção em curso a Missão privada Garatéa-L, que tem como objetivo orbitar a Lua a partir de 2022. Essa falta de visão, de ambição e de atitude, não condizem com o histórico bem sucedido das agencias espacias ao redor do mundo, especialmente da NASA, e tenho certeza de que o nosso Ministro-Astronauta Marcos Pontes sabe disso. Pois é, pensar somente em satélites de Sensoriamento Remoto, de Comunicações, Meteorológicos, de Satélites Radares e de foguetes lançadores diminutos, é apequenar o nosso potencial e ficar bem aquém do que a Sociedade Brasileira pode realizar em prol do seu próprio desenvolvimento, bem como do desenvolvimento da humanidade. Somos ainda infelizmente apenas um 'Território Pirata' de grande proporções e de grande riqueza mineral que poderia ser uma potencia mundial, inclusive no espaço, caso a maioria do povo brasileiro entendesse e aplicasse no seu dia-a-dia a cidadania e não o egocentrismo como faz, o que refletiria assim em todas áreas e classes da sociedade como o próprio egocentrismo o faz, só que neste caso de forma positiva, inclusive e principalmente na politica, não é verdade ministro ??? 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

O CLA e Sua Agenda de Lançamentos Até 2022