Embarque do Satélite CBERS-4A Para China é Adiado

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada ontem (13/05) no site “G1” do globo.com, destacando que o embarque do Satélite CBERS-4A para China foi adiado.

Duda Falcão

Embarque do Satélite CBERS-4A Para China é Adiado

Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) que informou que houve um problema logístico e aguarda uma nova data para voo fretado que vai transportar o equipamento a Pequim. Cronograma de lançamento não será afetado.

Por G1 Vale do Paraíba e região
13/05/2019 - 09h49
Atualizado há um dia

Foto: André Luís Rosa/TV Vanguarda
Satélites CBERS 4A é testado no laboratório do INPE.

O embarque do satélite CBERS-4A para a China, previsto para a última sexta-feira (10), foi adiado por problema logístico. O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) aguarda a confirmação de uma nova data - a expectativa é que seja no próximo dia 27. A alteração do cronograma não vai impactar o lançamento, previsto para o próximo semestre.

O equipamento, o sexto da parceria espacial entre China e Brasil, precisa ser transportado de avião, a partir de São José dos Campos (SP), onde foi construído, para a base em Taiyuan, no nordeste da China. O desembarque será no aeroporto de Pequim.

Antes, o satélite, que custou R$ 190 milhões ao Brasil, passou nos últimos meses por testes no Laboratório de Integração e Testes (LIT) do INPE.

Sobre o motivo do embarque adiado, o instituto informou que pelas dimensões e características do CBERS-4A, o transporte exige uma aeronave específica, sendo um Boeing -747 operado por empresa que oferece o serviço de voo charter - que é um tipo de aluguel da aeronave.

"São poucas as companhias aéreas que oferecem voo charter com autorização para operar no aeroporto de Pequim", explicou em nota o INPE, que aguarda agora a confirmação de uma aeronave.

Produção

O satélite levou quatro anos para ser construído e vai substituir o satélite em órbita hoje, CBERS-4. A intenção é que o equipamento tivesse sido lançado no ano passado, quando venceu a vida útil do satélite em operação - apesar da vida útil esgotada, ele segue funcionando.

A nova versão foi programada para dar 14 voltas por dia ao redor do planeta e vai ter como foco a captação de imagens de desmatamento da Amazônia, mapeamento de queimadas, e fornecimento dados à agricultura.

Todas as áreas de monitoramento foram definidas pelos países envolvidos na construção e são apontadas como estratégicas


Fonte: Site “G1” do globo.com - 13/05/2019

Comentário: Pois é leitor, será que a razão foi essa mesmo?  Será que o satélite não poderia ser transportado por uma aeronave da FAB mais barata e sem depender de terceiros? Um KC 390 por exemplo, seria até uma boa propaganda para o veículo. Enfim...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Rússia Oferece ao Brasil Assistência no Desenvolvimento de Foguetes