INPE, Telespazio e COSMO-SkyMed

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (20/08) no blog “Panorama Espacial” do companheiro jornalista André Mileski apresentando o "Extrato do Acordo de Parceria" entre o INPE e a empresa Telespazio Brasil já abordado aqui no blog (veja a nota INPE e Telespazio Brasil Fazem Parceria para Pesquisas).

Duda Falcão

INPE, Telespazio e COSMO-SkyMed

20/08/2010

Reproduzimos abaixo o extrato da parceria entre o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), e a empresa Telespazio Brasil, envolvendo estudos de sensoriamento remoto, publicada no Diário Oficial da União em 7 de julho de 2010:

"EXTRATO DE ACORDO DE PARCERIA"

Espécie: Acordo de Parceria RD nº 01.01.026.0/2010.

Participes: A União, representada pelo Ministério da Ciência e Tecnologia - MCT, por intermédio do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais -INPE, CNPJ nº 01.263.896/0005-98 e a TELESPAZIO BRASIL S.A., CNPJ nº 02.214.014/0001-33.

Objeto: Estabelecer e regulamentar a colaboração no desenvolvimento de pesquisas e projetos que compreendem prioritariamente: pesquisa básica em produtos de sensores orbitais ativos relacionada à geometria de aquisição, métodos de processamentos e análise de dados; estudos dos ecossistemas e biomas brasileiros; aplicação de sensores orbitais no mapeamento do uso atual e multitemporal da cobertura do solo; e estudos e projetos em âmbito nacional e/ou internacional para organizações governamentais, privadas e do terceiro setor.

Fundamento Legal: Lei nº 10.973/04, regulamentada pelo Decreto nº 5.563/05 e pela Lei 8666/93.

Vigência: 2(dois) anos a contar da data desta publicação.

Data da assinatura: 22/06/2010.

Assinaturas: Pelo INPE: Gilberto Câmara Neto - Diretor, CPF nº 019.351.598-95, e pela TELESPAZIO BRASIL: Marzio Laurenti - Diretor Presidente, CPF nº 054.546.257-60."

Alguns observadores ouvidos pelo blog entendem que esta parceria pode funcionar como uma espécie de "teaser", uma demonstração da tecnologia e aplicações dos dados produzidos pela constelação italiana COSMO-SkyMed no Brasil, para algo maior no futuro, como um contrato de fornecimento de imagens de longo prazo, por exemplo. Há de se destacar que uma das maiores carências brasileiras em termos de observação terrestre via satélite (particularmente para os programas DETER e PRODES, do INPE, focados na região amazônica) é justamente a falta de sensores orbitais e/ou imagens radar, produzidas independente de cobertura de nuvens.

Desde o início do ano, imagens dos satélites COSMO-SkyMed já estão sendo usadas pelo Sistema de Proteção da Amazônia (SIPAM) (ver a nota "Imagens COSMO-SkyMed para o SIPAM", de março de 2010).

Fonte: Blog “Panorama Espacial“ - André Mileski

Comentário: Cooperação internacional necessária devido à inércia e incompetência do governo em dotar o país de um satélite radar, apesar dessa necessidade ter sido identificada há tempos pela comunidade científica e de o país está envolvido num projeto de um satélite radar com o DLR alemão, que até agora só existe em desenhos e em concepções artísticas. Parabéns ao INPE e ao senhor Gilberto Câmara por encontrar uma solução mesmo que momentânea, pelo menos assim esperamos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

O CLA e Sua Agenda de Lançamentos Até 2022