Delegação Ucraniana Reune-se em Brasília

Olá leitor!

Ocorreu em Brasília entre os dias 26 e 27 de agosto, a IV Reunião da Comissão Intergovernamental Brasil - Ucrânia de Cooperação Econômica e Comercial. Nessa reunião o Ministro de Política Industrial da Ucrânia, Dmitro Kolesnikov, chefiou a delegação que contou também com a participação do Embaixador da Ucrânia no Brasil, Igor Hrushikó.

Após a reunião, foi divulgada uma ata que exalta os pontos de entendimentos. Reproduzimos abaixo trechos do documento que trata da área espacial.

Duda Falcão

Cooperação na Área de Uso Pacífico do Espaço Exterior

As Partes reafirmaram o papel central da cooperação espacial no âmbito da parceria estratégica entre Brasil e Ucrânia, em conformidade com a Declaração Conjunta presidencial assinada por ocasião da visita do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva a Kiev, em 2 de dezembro de 2009. Nesse sentido, reiteraram o caráter prioritário, para ambos os países, do projeto bilateral de instalação e operação do sítio de lançamentos do Veículo Cyclone-4 no Centro de Lançamentos de Alcântara (CLA), no Maranhão.

As Partes observaram os importantes avanços alcançados pelo projeto binacional nos últimos meses, o que permitirá o início dos trabalhos práticos de construção do complexo terrestre Cyclone-4, no CLA. Em setembro próximo, será lançada a pedra fundamental das obras preliminares do Sítio de Lançamentos do Cyclone-4, em cerimônia a ser presidida pelo Senhor Presidente da República Federativa do Brasil.

As Partes saudaram a realização, em 10 de março de 2010, em Kiev, da V Reunião do Conselho de Administração da Alcântara Cyclone Space (ACS) e reiteraram o compromisso de apoio à empresa binacional e ao cumprimento seu atual cronograma geral, que prevê o primeiro lançamento do Cyclone-4 em fevereiro de 2012.

As Partes afirmaram o interesse comum em verificar as possibilidades de ampliação da cooperação na área espacial por meio, por exemplo, do desenvolvimento conjunto de veículo lançador de satélites Cyclone-5 e de satélite de sensoriamento remoto, entre outros projetos de interesse.

Fonte: Itamaraty

Comentário: Finalmente a verdade começa a ser estabelecida deixando claro o que o blog sempre disse, não existe e nunca existiu no acordo que gerou a ACS e no projeto do Cyclone 4 qualquer transferência ou desenvolvimento conjunto de tecnologias associadas a esse lançador, nem de um simples parafuso. O que existe há algum tempo é um “Memorando de Entendimento” (sem força de um acordo ou tratado) que começa a caminhar visando estabelecer um acordo para o desenvolvimento de um novo lançador intitulado Cyclone-5 e de um satélite de sensoriamento remoto. Processo longo e que no atual contexto só aumenta a falta de foco do governo que já desenvolve um acordo com os Russos na área de foguetes. Além disso, a tecnologia de motores utilizada pelos ucranianos é ultrapassada e tóxica, sendo proibitiva e indo de encontro ao contexto ecológico adotado atualmente pela sociedade humana em todo mundo. No entanto, nos bastidores de Brasília, onde pessoas de orelhas grandes são muito comuns, tudo é possível.

Comentários

  1. Será que o pessoal de Brasilia, sabe a diferença entre um rojão e um foguete orbital ? Acho que não.

    ResponderExcluir
  2. Rsrsrsrsrs, eu também creio que não Ricardo.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

O CLA e Sua Agenda de Lançamentos Até 2022