Ucrânia Garante Contrapartida em Foguete em Alcântara

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria postada hoje (25/10) no site “Folha.com” do “Jornal Folha de São Paulo” destacando que o presidente da Ucrânia  garantiu a presidente DILMA a contrapartida financeira de seu país ao acordo espacial bi-nacional.

Duda Falcão

CIÊNCIA

Ucrânia Garante Contrapartida
em Foguete em Alcântara

ANA FLOR
DE BRASÍLIA
25/10/2011 - 16h50

O presidente da Ucrânia, Viktor Yanukovych, garantiu nesta terça-feira a contrapartida de seu país ao projeto da empresa binacional Alcântara Cyclone Space, que desenvolve o foguete Cyclone 4. A Ucrânia entrará com R$ 250 milhões --cerca de 43% do total. O aporte do Brasil será de valor semelhante.

A garantia foi dada à presidente Dilma Rousseff, que se reuniu em Brasília com Yanukovych na primeira visita oficial do ucraniano ao Brasil.

A formalização do acordo permitirá o início de lançamentos de foguetes na base de Alcântara, no Maranhão, em 2013.

Segundo o Itamaraty, o plano é que no início de 2013 seja lançado o chamado teste de qualificação e, ainda no mesmo ano, se possa iniciar os lançamentos de foguetes.

O plano brasileiro é permitir o lançamento de seis satélites ao ano. Caso este ritmo se mantenha, o governo espera recuperar o investimento em três anos.

A presidente Dilma afirmou na manhã desta terça-feira que o Brasil irá enviar engenheiros à Ucrânia para serem treinados em empresas produtoras de veículos lançadores de satélites.

"A instalação do sítio de lançamento do Cyclone 4 em Alcântara terá efeitos multiplicadores em atividade de sensoriamento remoto, serviços meteorológicos e controle do espaço aéreo", afirmou Dilma, que garantiu ainda que significará o "ingresso [do Brasil] no mercado de lançamento de satélites".

No encontro, também se firmou um memorando para produção de insulina que pode beneficiar o Brasil, que ainda depende de material importado para atender a demanda interna.

OBS: Segue abaixo o um vídeo de parte do discurso da Presidente Dilma Rousseff em que a mesma fala sobre o acordo espacial com a Ucrânia e suas novas perspectivas, durante a realização da cerimônia de assinatura em Brasília de atos em parceria com este país. O vídeo foi produzido pela TV NBR e editado pelo blog para somente conter o que interessa.

TV NBR - 25/10/2011


Fonte: Site Folha.com - 25/10/2011

Comentário: Caro leitor, quanto lorota por metro quadrado. Ou essa gente é ingênua, aloprada, ou estão de ma fé tentando enganar o povo brasileiro. Não é possível que integrantes de respeito da AEB, como o Marco Antônio Raupp, o José Monserat Filho, entre outros, acreditem realmente na possibilidade de lançar até seis satélites anuais com essa mal engenhada empresa. Vocês são irresponsáveis por propagar essa notícia a um povo que é sabidamente em sua grande maioria ignorante na questão, o que me leva a levantar suspeitas sobre toda essa ação. Cadê o Ministério Público que não esta vendo uma coisa dessas? Não existe possibilidade nenhuma de lançar seis satélites anualmente, nem mesmo dois, se não for formalizado o acordo de Salvaguardas Tecnológicas com o EUA, coisa que no Congresso Americano, se aprovado (o que eu duvido) pode levar de dois a três anos e o Congresso Brasileiro leva em média cinco anos para aprovar um acordo como esse. Além disso, um desempenho desse comercial exige uma eficiência administrativa sem precedentes na área pública brasileira. Outra coisa a se ressaltar é se realmente o presidente ucraniano entregou a contrapartida financeira (US$ 250 milhões) ou só entregou promessas? Vale para reflexão.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial