Novo Diretor-Geral da ACS Toma Posse em Brasília

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada dia (24/10) no site do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) destacando que o novo diretor-geral da parte brasileira da mal engenhada empresa bi-nacional Alcântara Cyclone Space (ACS), o Tenente Brigadeiro-do-Ar da reserva da FAB, Reginaldo dos Santos, tomou posse hoje em Brasília.

Duda Falcão

Novo Diretor da Alcântara Cyclone
Space Toma Posse em Brasília

24/10/2011 - 18:03

Crédito: Lecino Filho/Ascom do MCTI
Santos, Mercadante e Saito

O novo diretor-geral da Alcântara Cyclone Space (ACS) tomou posse nesta segunda-feira (24), em Brasília. O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aloizio Mercadante, participou da cerimônia.

Mercadante ressaltou a importância de o Brasil ter autonomia tecnológica na área espacial e da necessidade da participação do setor privado neste processo. “Nós queremos mais participação da indústria privada no programa aeroespacial. Parte do êxito está em nós melhorarmos a relação do estado com o setor privado”, declarou.

Na ocasião, falou ainda sobre a expectativa com a posse de Reginaldo Santos, ao ressaltar o vasto conhecimento técnico e profissional do brigadeiro, que assume o comando da empresa binacional Brasil-Ucrânia, que terá como desafio gerenciar o cronograma para o lançamento do primeiro foguete brasileiro de grande porte (Ciclone-4).

“Ele foi o melhor aluno nos 60 anos de história do ITA [Instituto Tecnológico de Aeronáutica]. Já cumpriu várias missões nessa área aeroespacial”, disse o ministro, na cerimônia realizada no auditório do ministério, com a presença de parlamentares, representantes da Aeronáutica (entre eles o comandante da corporação Juniti Saito), do presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB/MCTI), Marco Antônio Raupp, e do secretário executivo do MCTI, Luiz Antonio Elias, entre outros.

O tenente-brigadeiro-do-ar da reserva da Força Aérea Brasileira (FAB) Reginaldo Santos é engenheiro eletrônico formado pelo ITA em 1970. Mestre em Engenharia (1974) e doutor em Ótica Aplicada (1977), ambos pela Purdue University (EUA), foi diretor do Centro Técnico Aeroespacial, onde anteriormente atuou como chefe da Divisão de Estudos Avançados do Instituto de Atividades Espaciais. Entre as funções que assumiu na área, foi conselheiro militar da Missão Permanente do Brasil junto às Nações Unidas, em Nova York, EUA e, desde 2005, reitor do ITA.

Satélites

Na cerimônia de posse, Mercadante destacou também o esforço empreendido para o lançamento de novos satélites brasileiros nos próximos anos e ainda para reativar o trabalho da ACS, tanto para a preparação da base de Alcântara, como para terminar o Ciclone-4. Ele informou que a Ucrânia assumiu o compromisso de manter o equilíbrio orçamentário na parceria. “Eles estavam um pouco atrasados com os investimentos. Nós negociamos para ter igualdade de condições e acho que nós vamos dar um grande impulso à ACS”, disse.

A Empresa Binacional Alcântara Cyclone Space, criada oficialmente em 2006, é responsável pela comercialização e pela operação de serviços de lançamento, utilizando o veículo lançador Cyclone-4, a partir de seu centro de lançamento em Alcântara (MA). A expectativa é de que o primeiro lançamento seja realizado no final de 2013.

Ao transferir o cargo, que ocupou interinamente na direção da ACS, nos últimos sete meses, com a saída de Roberto Amaral, o técnico Reinaldo Melo agradeceu a confiança depositada pela presidente Dilma Rousseff e pelo ministro Aloizio Mercadante durante o período de transição e falou sobre as dificuldades enfrentadas para a implantação do complexo. “Há quatro anos a ACS era apenas um sonho, constituindo-se num conjunto de documentos e boas intenções. Hoje ela é uma entidade real”, afirmou.

Reginaldo Santos traçou um histórico da atividade espacial no Brasil e dos obstáculos vivenciados na fase inicial da ACS. “Estou consciente que outros estão à minha espera e estou disposto a enfrentá-los”, declarou o novo diretor, reforçando a necessidade de investimentos significativos e objetivos, além do envolvimento do setor empresarial.

Posse do Brig. Reginaldo dos Santos - 24/10/2011


Fonte: Site do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI)

Comentário: Confesso que não sabia que o currículo do Tenente-Brigadeiro-do-Ar da reserva da FAB, Reginaldo Santos, fosse tão digno de elogios, o que me leva a lamentar ainda mais o seu envolvimento e indiretamente o envolvimento do COMAER com esse vergonhoso acordo. Entretanto, tenho de parabenizar o ministro Mercadante e a presidente Dilma pela ardilosa jogada política que analogicamente falando é, nada mais, nada menos, que uma mordaça colocada na boca daqueles que sempre defenderam os interesses do COMAER contrários a esse acordo desde que o mesmo foi estabelecido. Afinal, quem come do mesmo prato, não pode reclamar de nada. Um lembrete ao autor dos textos do site do MCTI: Tenha responsabilidade e procure passar para o povo a verdade dos fatos. O Cyclone-4 não é um foguete brasileiro, nunca foi e nunca será. O mesmo é fabricado na Ucrânia com tecnologia ucraniana e russa e não tem nem mesmo um simples parafuso fabricado no Brasil ou desenvolvido por brasileiros. Portanto senhor autor, o mesmo jamais pode ser taxado de: “primeiro foguete brasileiro de grande porte”. Além do que, para sua informação, o Cyclone-4 é considerado um foguete de médio e não de grande porte.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial