Certificação do VSB-30 Ajuda Sua Transferência à Indústria

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria publicada na “Revista Espaço Brasileiro” (Jul – Dez de 2012), destacando que a certificação do “Veículo de Sondagem Brasileiro VSB-30” ajudará na sua transferência para a indústria.

Duda Falcão

IFI

Certificação do VSB-30 Ajuda Sua
Transferência à Indústria

As empresas industriais têm muito mais garantias

Fotos: IFI
O que é o IFI? – É o instituto de Fomento e Coordenação Industrial, órgão do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), do Comando da Aeronáutica. Tem sede em São José dos Campos (SP). Sua missão é contribuir para a garantia do desempenho, da segurança e da disponibilidade de produtos e sistemas aeroespaciais de interesse do Programa Espacial Brasileiro. Ele presta serviços nas áreas de Normalização, Metrologia, Certificação, Propriedade Intelectual, Transferência de Tecnologia e Coordenação Industrial, Assim, o instituto fomenta o complexo científico-tecnológico aeroespacial do país.

O que é certificação? – O conceito de certificação de produtos aeronáuticos, sobretudo na Aviação Civil focada em aeronaves convencionais, já está harmonizado e consolidado entre as autoridades certificadoras, o que permite o reconhecimento mútuo das certificações realizadas em distintos países. Na área espacial, o termo certificação costuma ser usado parafraseando os conceitos da área aeronáutica. Mas ainda não há uma regra aceita por consenso. Daí a conveniência de esclarecer os objetivos da certificação do VSB-30, antes de apresentar os benefícios da certificação.

Que diretrizes norteiam a certificação no PNAE? – O Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (INMETRO) trabalha com o conceito de avaliação da conformidade para garantir a segurança do consumidor. Já o Programa Nacional de Atividades Espaciais (PNAE) – que inclui as atividades do Comando da Aeronáutica, responsável pelo desenvolvimento do projeto VSB-30 – mantém como preceitos fundamentais, norteadores da avaliação da conformidade, não só os requisitos de segurança, mas também os de desempenho e qualidade. A certificação do VSB-30 conduzida segundo esses preceitos atesta basicamente o nível satisfatório da segurança e qualificação alcançado pelo projeto. Atesta também que uma eventual produção e lançamento do VSB-30 pode gerar resultados positivos, desde que a sua configuração certificada seja devidamente mantida e controlada e as especificações de produção e os requisitos de integração, com a carga útil e com o centro de lançamento apoiador, sejam devidamente cumpridos. Eventualmente, dependendo dos requisitos de segurança associados ao centro de lançamento apoiador o sistema de terminação de voo poderá ser incorporado ao foguete.

Quais são os benefícios? – A certificação, ao exigir execução planejada dos processos inerentes com estabelecimento inicial de uma base de certificação – conjunto de requisito que traduz o entendimento comum sobre as características que o produto deve possuir -, assegura acompanhamento criterioso da comprovação do cumprimento de requisitos previstos no projeto. A certificação do VSB-30, com seu Plano de Avaliação, que inclui uma Base de Certificação – especificações técnicas do sistema principal e seus subsistemas, complementadas por normas e procedimentos de avaliação -, permite obter inúmeros benefícios. Alguns exemplos:

- Elevação da confiança da comunidade espacial, após o crivo de um organismo independente, de que o projeto é maduro, documentalmente estruturado, exequível e repetível, com desempenho e segurança operacionais comprovados;

- Disponibilização de documentação estruturada, mapeando a comprovação do cumprimento de requisitos técnicos e operacionais de projeto, incluindo a rastreabilidade dessas informações;

- Disponibilização de informações objetivas acerca das limitações tecnológicas e operacionais identificadas no projeto, bem como do volume de trabalho de comprovação requerido na qualificação.

Por que tudo isso favorece a transferência à indústria? – Por boas razões:

1) Aumento do número de indústrias interessadas, graças ao maior conhecimento e confiança na qualidade do projeto;

2) Maior conscientização e prepara das indústrias quanto à capacitação de recursos humanos e infraestrutura requerida, ao conhecerem bem a profundidade e a abrangência dos requisitos a serem demonstrados na qualificação;

3) Maior previsibilidade de prazo e investimento requeridos pelas indústrias, por bem conhecerem o volume e complexidade do trabalho requerido na qualificação.



Fonte: Revista Espaço Brasileiro - Num. 14 - Jul - Dez de 2012 - págs. 22 e 23 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial