VS-30/Orion Lançado com Sucesso do CLA

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (08/12) no site do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), informando que foi lançado com sucesso às 19h (horário local) a partir do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) o foguete VS-30/Orion V10 da “Operação Iguaíba”.

Duda Falcão

Lançado com Sucesso o Foguete
de Sondagem VS-30/ORION V10

Campo Montenegro, 08/12/2012

Hoje, dia 08 de dezembro de 2012, às 19h local, foi lançado com sucesso, a partir do Centro de Lançamento de Alcântara – CLA ), o foguete VS-30/V10, atingindo um apogeu de 428 km

A Operação Iguaiba, cujos trabalhos técnicos iniciaram-se no dia 18 de novembro de 2012, teve como objetivo realizar o lançamento e o rastreio do foguete de de treinamento intermediário FTI e do foguete de sondagem VS-30/ORION V10, portando uma carga útil tecnológica e científica com experimentos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE).

O VS-30/ORION V10 é composto de dois estágios e o módulo de carga útil. O motor do segundo estágio (Improved Orion) foi fornecido pelo DLR da Alemanha, que está como parceiro na campanha. O restante do veículo, incluindo as partes mecânicas, pirotécnicas, eletrônicas e a plataforma da carga útil são nacionais e desenvolvidas pelo Instituto de Aeronáutica e Espaço - IAE.


Fonte: Site do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE)

Comentário: Pois é leitor, já havia sido avisado pelo leitor maranhense Edvaldo Coqueiro que o lançamento havia acontecido, mas ele não tinha informações se com sucesso ou não. Vale dizer que o Edvaldo acompanhou o lançamento da praia de São Marcos, onde o mesmo observou o foguete ser lançado as 19:00 horas em ponto, que segundo ele foi um espetáculo muito bonito de se ver. Ainda segundo ele, a praia de São Marcos, em São Luís, é o melhor local para se ver os lançamentos de Alcântara, e futuramente, quando estiverem ocorrendo os lançamentos de foguetes maiores, essa praia deverá atrair muitos turistas. O blog “BRAZILIAN SPACE” parabeniza o IAE e a todas as instituições envolvidas na operação pelo sucesso do lançamento e em breve estaremos postando o relatório da missão.

Comentários

  1. Qual é o próximo lançamento previsto?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Hugo!

      Bom amigo, os próximos lançamentos significativos previstos para acontecerem do Brasil em 2013 são, os do VS-40M/SARA Suborbital I e do VLS-1 VSISNAV. Entretanto, teremos de aguardar para ver se essas previsões se concretizam.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir
    2. O CLA tem um calendário próprio de lançamento de foguetes menores para o próximo ano.

      Excluir
    3. Olá Anônimo!

      Você se refere muito provavelmente aos lançamentos dos foguetes de treinamento, mas apesar deles terem sua importância operacional, não chegam nem perto desses dois vôos citados acima por mim para o ano de 2013. Serão realizados? Bom, este que é o problema.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir
  2. Fechamos o ano com chave de ouro. Ninguém dentro do IAE sairá de sorriso amarelo nas fotos de Natal. Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Foi realmente um espetáculo de se ver. Quem estava lá pode comprovar de perto. Parabéns a todos que participaram da operação!

    ResponderExcluir
  4. Parabéns ao IAE e a todas as organizações envolvidas por mais esse lançamento de sucesso

    ResponderExcluir
  5. É...

    Dentro do contexto limitadíssimo que nos encontramos, temos mais é que comemorar o lançamento de UM foguete de sondagem com experimentos científicos nacionais nesse ano exercício de 2012...

    Parabéns aos envolvidos nessa missão, vamos acompanhar a divulgação dos resultados.

    Uma dúvida: houve recuperação da carga útil por paraquedas? num voo noturno acredito que não.

    Aliás, existe algum motivo técnico para o lançamento de um foguete de sondagem ser realizado à noite? Seria devido as características dos experimentos?

    Se a carga útil precisasse ser recuperada do Mar, teria que ser durante o dia certo?

    Abs

    ResponderExcluir
  6. Estou em dúvida quanto ao apogeu alcançado, gostaria de saber se foi realmente 428 Km pois esta altitude já é orbital, até onde sei este foguete não tem energia suficiente para voo orbital, teria que possuir escudo térmico para reentrada; para se ter uma ideia a Estação Espacial Internacional orbita a Terra há cerca de 400 Km de altitude. Pode confirmar se o apogeu foi realmente de 428 Km ou houve algum engano nesta informação?
    Obrigado

    ResponderExcluir
  7. Caro Anônimo!

    O apogeu foi mesmo 428 Km. Veja bem, o que diferencia um veículo lançador de um foguete de sondagem não é o apogeu que eles alcançam e sim a velocidade alcançada. Dependendo do veículo de sondagem e do veículo lançador as vezes o de sondagem chega até mais alto, mas como não atinge a velocidade de escape, volta a Terra reentrando na atmosfera. Para que algo entre em órbita o mesmo tem que atingir a velocidade de espace, ou seja, 28.000 Km e talvez o VS-30/Orion não chegue nem a 12.000 Km. Quanto a possuir um escudo térmico. acredito que para missão a plataforma utilizada estava preparada adequadamente, apesar de eu acreditar que eles não tinha o objetivo de recuperá-la.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  8. Duda Falcão, obrigado pela resposta sobre o apogeu porém minha dúvida continua, veja: se o VS-30/Orion não atingiu a velocidade de escape ele não pode ter atingido um apogeu de 428 Km pois esta altitude é orbital, se o foguete não alcançou nem 12.000 Km/h ele não pode ter entrada em órbita e alcançado uma altitude de 428 Km.

    Aguardo uma opinião.
    Obrigado
    Eduardo

    ResponderExcluir
  9. Caro anônimo!

    Não existe altitude orbital amigo. O que caracteriza o ponto de equilíbrio no espaço que permite a sustentação de qualquer objeto em órbita, é a velocidade de escape, ou se você preferir, a velocidade orbital. É ela que mantem os objetos em órbita, ou seja, 28.000 km. É por isso que satélites usam motores-foguetes, pois com o tempo a velocidade baixa e eles começam ser atraídos pela força gravitacional do planeta, forçando os seus controladores acionarem os motores para que eles voltem aos 28.000 km e também a altitude desejada e se estabilizem novamente em órbita, entende? Foguetes de sondagem não tem a capacidade de orbitalizar objetos nos espaço, justamente por não atingirem essa velocidade. Fazem vôos tecnológicos e científicos de tempo curto, e como uma maça jogada ao alto, retornam ao ponto de origem. Em outras palavras, ele pode ir até mais alto que a Estação Espacial, como foi o caso desse VS-30/Orion, mas o seu retorno é imediato devido a força gravitacional da TERRA.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. muito obrigado, acabo de responde ate minhas duvidas. tem como usar essa tecnologia para missel balistico de medio alcance

      Excluir
    2. Olá Evandro!

      Toda tecnologia espacial ela é de uso DUAL, ou seja, civil e militar. Assim sendo, é claro que sim, mas vamos deixar essa coisa de armas para países belicistas. Saber como fazer já é o suficiente.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir
    3. claro concerteza, e bom saber que nois temos a tenlologia pra isso.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial