Visita da Astronauta Anna Fisher à AEB Enaltece Conquistas de Alunos Brasileiros na Área Espacial

Olá leitor!

Segue abaixo a nota postada hoje (02/08) no site da Agência Espacial Brasileira (AEB) tendo como destaque a visita da astronauta americana Anna Fisher a sede da agencia em Brasília.

Duda Falcão

NOTÍCIAS

Visita de Astronauta à AEB Enaltece Conquistas de Alunos Brasileiros na Área Espacial

Coordenação de Comunicação Social – CCS
Publicado em: 02/08/2019 - 17h36
Última modificação: 02/08/2019 - 17h36


A visita da astronauta americana Anna Fisher à Agência Espacial Brasileira (AEB), em comemoração aos 50 anos da chegada do homem à Lua, coincidiu com algumas conquistas relevantes para o País e para os futuros cientistas – alunos do Serviço Social da Indústria (SESI) de Goiás e do Distrito Federal. As quatro equipes conquistaram importantes prêmios ao participarem de Torneios Internacionais de Robótica na West Virgínia (EUA), Sidney (Austrália) e Montevidéu (Uruguai).

De volta ao Brasil, os estudantes de robótica do SESI DF e Goiânia tiveram a oportunidade de conhecer e conversar, além de apresentar seus trabalhos à astronauta Anna Fisher, na sede da AEB, em Brasília. Médica e química, Anna foi uma das seis candidatas selecionadas pela NASA, em 1978, para integrar o grupo de astronautas femininas. Seis anos depois tornou-se a primeira mãe a ir ao espaço.

Ao apresentar sua trajetória de vida, Anna Fisher deixou várias mensagens de incentivo aos estudantes premiados, além de ressaltar as oportunidades existentes para esse público, hoje. “Todos devem investir e correr em busca dos seus sonhos, o planeta Terra visto de cima é uma coisa só”, disse a astronauta que teve suas palavras endossadas pelo ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, em solenidade no Planetário de Brasília.

Questionada pela servidora Adriana Correa sobre a reação das pessoas ao saberem que ela deixaria sua bebê para ir ao espaço, a astronauta respondeu que à época foi bastante criticada, mas não deixaria de realizar seu sonho e tampouco decepcionaria as pessoas que contavam com ela na missão. “Graças a Deus, na época não tinha internet”, ressaltou.

Soluções Inovadoras

Os integrantes das equipes foram agraciados pela AEB, com certificados em reconhecimento às soluções inovadoras para problemas físicos ou sociais enfrentados pelos astronautas no espaço. O primeiro lugar ficou com a equipe Gametech Canaã, de Goiânia, responsável pelo desenvolvimento de um chiclete de pimenta para ajudar os astronautas, uma vez que no espaço, a sensibilidade do olfato diminui, por causa da gravidade reduzida.


A equipe Lego of Olympus, do Sesi Gama, foi a vice-campeã do Torneio de West Virgínia, em Fairmont (EUA), de 12 a 14 de julho. A Lego of Olympus buscou melhorar as condições de sono dos profissionais nas viagens espaciais, criando o protótipo de um colchão – com aquecimento e vibração – que aumenta o grau de relaxamento e ajuda o astronauta a dormir com facilidade.

No aberto da Ásia, o time do Sesi de Taguatinga conquistou o primeiro lugar na categoria Estratégia e Inovação e o segundo lugar no Desafio do Robô, a competição foi realizada em Sidney. A equipe criou um capacete que utiliza terapias alternativas, como a cromoterapia, a musicoterapia e a reflexoterapia, para aliviar o estresse dos astronautas por meio do estímulo de áreas específicas do corpo.

A quarta equipe, a Logofield conquistou o primeiro lugar na categoria Design do Robô e o segundo no Desafio do Robô, no Aberto Internacional Plan Ceibal, foi para a equipe em Montevidéu. A ideia do time é que por meio de um relógio de pulso usado pelo astronauta e pelo aplicativo de celular, seja possível identificar grandes alterações na frequência cardíaca e tocar automaticamente a música indicada para cada situação.

Segundo o presidente da AEB, Carlos Moura, o Brasil sempre se destacou pelas iniciativas próprias. “Todos nós estamos orgulhosos do trabalho e das conquistas desses estudantes”, disse. Ao ser perguntado sobre o ensino da robótica nas escolas, Moura afirmou ser essencial o ensino da disciplina, não apenas para exploração de outros corpos celestes, mas mesmo na órbita da Terra, como explicou a astronauta, Anna Fisher, pioneira em operar o braço robótico, enfatizou o presidente.

A passagem da astronauta pela AEB ficou registrada com o plantio, no pátio externo, de um ipê amarelo, árvore símbolo do Cerrado. O ipê foi plantado por Anna Fisher e pelo presidente da AEB, Carlos Moura.



Fonte: Site da Agência Espacial Brasileira (AEB)

Comentário: Bom, bom, muito bom mesmo e parabenizo a AEB por esta iniciativa. E parabéns as equipes brasileiras pela suas conquistas. Entretanto CCS, o que houve com as fotos desta nota??? Vocês devem e podem melhorar isso ai galera, afinal vocês tem todas condições para tanto.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial