Startup Americana 'Tesseract Space' Desenvolve Novo Combustível Mais Seguro e Econômico Para Foguetes

Olá leitor!

Segue abaixo uma interessante notícia postada hoje (02/08) no site do “Canaltech” destacando que a startup americana Tesseract Space (fundada em 2017, olha ai Ministro Pontes) desenvolveu novo combustível mais seguro e econômico para foguetes.

Duda Falcão

HOME - CIÊNCIA – ESPAÇO

Mais Seguro e Econômico: Tesseract Desenvolve Novo Combustível Para Foguetes

Por Redação
Canaltech
Fonte: Tech Crunch
02 de Agosto de 2019 às 13h33

A Tesseract Space projetou um novo foguete para espaçonaves que, além de menor e mais eficiente, utiliza um novo combustível que promete ser mais seguro do que o propelente de hidrazina, utilizado atualmente pela maior parte dos veículos de lançamento ao redor do mundo.

Foguetes espaciais têm usado a hidrazina desde os anos 1950, e muitos motores de espaçonaves e satélites ainda o fazem atualmente. O problema é que esse composto químico é altamente tóxico e corrosivo. O manuseio é perigoso e deve ser feito com extrema cautela e em data bem próxima do lançamento, para que o explosivo não fique parado por muito tempo.

Algumas empresas buscaram alternativas para propulsão, como os propulsores de efeito Hall em satélites Starlink da SpaceX. Mas a propulsão química é a única opção real para muitas missões e embarcações. Felizmente, a Tesseract diz que encontrou um produto químico “muito bom”. “Estamos mantendo isso como um segredo comercial, mas é barato e realmente de alto desempenho”, afirma o cofundador da empresa, Erik Franks.

É possível abastecer os motores com o novo produto usando macacões Gore-Tex (roupa feita de uma espécie de plástico branco muito fino impermeável e transpirável) em vez de um traje de proteção hermeticamente fechado. A exposição acidental não resulta em dano permanente ao tecido, como acontece com a hidrazina.

Até o momento, as soluções elétricas, como o propulsor de efeito Hall, têm uma boa eficiência, porém produzem pouco impulso. Eles cumprem seu papel, mas não com muita velocidade no percurso. Por isso, a Tesseract aposta em sua solução química “verde”. “Se você conseguir se livrar da toxicidade e dos custos de manuseio da propulsão química convencional, mas manter o desempenho, achamos que a substância química verde é um vencedor claro para a nova geração de satélites", disse Franks.

Confira abaixo um teste do novo combustível, divulgado pela Tesseract no início do ano:


Além de mais seguro e limpo, o novo produto pode significar uma boa redução nos custos com os instrumentos necessários para manusear o propelente à base de hidrazina, economia que pode ser convertida em maior produção de espaçonaves e de instalações menos especializadas.


Fonte: Site do Canaltech - https://canaltech.com.br

Comentário: Pois é, que bom que novas tecnologias de propulsão mais coerentes com o meio ambiente estejam sendo desenvolvidas. E pensar que esses irresponsáveis vermelhos ‘propagandistas do caos’ apoiaram por questões politicas e quem sabe algo mais (precisa se investigar todo esse processo) o desatino que foi o acordo com Ucrânia que previa o uso de um foguete que além de não atender ao mercado que se propunha (e por isso jamais foi levado a sério pelos seus concorrentes), era um tremendo trambolho tóxico que em médio e longo prazo contaminaria toda região de Alcântara.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial