Montadoras Chinesas Já Estão Patrocinando Lançamento de Foguetes

Olá leitor!

Segue uma notícia postado ontem (15/06) no “Portal TERRA” destacando que Montadoras Chinesas já estão patrocinando lançamento de foguetes.

Duda Falcão

TECNOLOGIA

Montadoras Chinesas Já Estão Patrocinando Lançamento de Foguetes

Gigantes como Great Wall Motors e Changan Automobile estão investindo em tecnologia espacial

Por Portal Terra
15 de jun de 2019 - 15h04

Na última semana, a China teve seu primeiro lançamento marítimo de foguete, cujo patrocínio foi realizado pela marca de veículos utilitários esportivos de luxo WEY. A ação aconteceu no Mar Amarelo na quarta-feira (05) por volta das 12h06, horário local, segundo informou a mídia estatal Xinhua. Um dos sete satélites envolvidos será usado para medir os ventos da superfície do mar e prever tufões.

Foto: TecMundo

Valores

A WEY, parte da Great Wall Motors, arcou com os custos do que se acredita ser parte do lançamento do foguete CZ-11 WEY, integrante do programa nacional Changzheng, também chamado de Long March. A maior fabricante de SUVs e caminhonetes da China não respondeu sobre o valor do patrocínio e o que espera conseguir com a parceria.

Segundo um observador da indústria da China que não quis se identificar, o custo do lançamento do Long March 11 seria de cerca de US$ 5,3 milhões, logo, seria improvável que a empresa tivesse arcado com o valor sozinha. De acordo com a WEY, a companhia foi a primeira do ramo automobilístico a se associar à indústria aeroespacial da China, com a estreia de uma marca corporativa sendo incluída em um foguete da Academia de Tecnologia de Veículos de Lançamento da China. A WEY também montou um instituto de pesquisa conjunta com a Academia.

Confira o lançamento no vídeo abaixo:


Outras Ações

Também na semana passada, a Changan Automobile anunciou que patrocinará a empresa privada de foguetes iSpace para lançar um foguete com o seu nome em julho. A companhia disse que está respondendo à chamada de 2014 da China para que as empresas ajudem o país a desenvolver uma indústria espacial comercial, apontando que a nação deve se tornar uma potência tecnológica independente.

Os patrocínios acontecem no cenário de expansão do maior mercado de automóveis do mundo, que voltou a contratar pela primeira vez desde 1990. Essas ações podem ajudar a impulsionar as vendas de combustível e auxiliar no avanço tecnológico dos veículos.


Fonte: Portal Terra - 15/06/2019 - https://www.terra.com.br

Comentário: Pois é leitor, alguns de vocês podem estar se perguntado porque ações como essa ou semelhantes estão ocorrendo na China, nos EUA, na Europa, e em outros países do mundo (até na Nova Zelândia) e não no Brasil? Repare que onde há compromisso, há resultados, e isso só ocorre onde o universo criado conspira para gerar a confiança necessária para que a iniciativa privada aceite os riscos inerentes ao desenvolvimento da tecnologia espacial. No Brasil, a iniciativa privada de visão certamente reconhece o potencial deste mercado, não tenho a menor dúvida disso, especialmente a galera da FIESP, mas sem fazer rodeios leitor, só sendo doido varrido para investir dinheiro em algo que nem mesmo o Governo considera como estratégico e programa de estado. Todos enaltecem o Sr. Elon Musk pela sua iniciativa de montar a SpaceX, mas a verdade é que ele vive num país onde existe um universo propicio, onde o programa espacial e sua agencia espacial recebem um apoio politico e financeiro (e isto sem levar em conta o programa espacial militar) sem precedentes no mundo. E ai meu amigo o risco se reduz exponencialmente pra quem é competente e conhece o seu potencial e o Sr. Elon Musk é certamente uma dessas pessoas. Será que o Sr. Elon Musk montaria em SpaceX se estivesses inserido na realidade brasileira? Duvido muito, continuaria sim no seu ramo automotivo. É por isso leitor que após mais 57 anos de atividades espaciais no Brasil temos poucas startups espaciais frutos de loucos abnegados e algumas empresas que sugiram e desapareceram ou foram assimiladas por raposas estrangeiras e algumas que desenvolvem tecnologias caras e não competitivas, tendo que atuar em outros ramos para sobreviverem. Quiçá no Governo Bolsonaro essa nossa realidade seja mudada definitivamente e assim atrair investimentos privados vultosos fazendo assim surgir Elos Musks brasileiros. Melhorem a gestão, tenham compromisso, ampliem os objetivos, estabeleçam uma verdadeira politica espacial de estado que, certamente a confiança aumentará e os resultados aparecerão. Não há mais tempo a perder.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

Janeiro de 2015 Registra Recorde de Focos de Queimadas Detectados Por Satélite