SIA - Sistemas Inerciais para Aplicação Aeroespacial

Olá leitor!

Segue agora um artigo postado na 8º edição (Abr-Jun 2011) da revista “AAB Revista” da Associação Aeroespacial Brasileira (AAB) dando destaque através da visão de seu coordenador aos aspectos relacionados à importância, as aplicações e ao projeto dos sistemas do Projeto SIA (Projeto de Sistemas Inerciais para Aplicação Aeroespacial).

Duda Falcão

SIA - Sistemas Inerciais
para Aplicação Aeroespacial

Dr. Waldemar de Castro Leite Filho*
AAB Revista

O SIA é uma iniciativa do Ministério da Ciência e Tecnologia, por meio do Comitê de Coordenação dos Fundos Setoriais (Ações Transversais), coordenada pelo DCTA e desenvolvida pelo seu Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), junto com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (IINPE).

A FUNDEP é a gestora administrativo-financeira do projeto, realizando pagamento de pessoal, importações e compras, que vão desde material de escritório até equipamentos de pesquisa.

O objetivo maior do SIA é consolidar a tecnologia de sistemas de navegação inercial no país. Essa é uma necessidade estratégica e fundamental em aplicações onde seja preciso a informação de localização e orientação independente de fontes externas. Cita-se como exemplos mísseis / foguetes de sondagem, veículos espaciais (satélites), aviões, helicópteros, navios, submarinos, além de prospecção de petróleo.

Assim, o SIA se propõe a desenvolver e integrar protótipos de sistemas de navegação inercial para aplicação aeroespacial com participação da indústria nacional. Pretende-se chegar aos seguintes produtos:

·  unidades inerciais para veículos lançadores e plataformas orbitais

·  computador de bordo para veículos lançadores e plataformas orbitais

·  ambiente de teste e calibração de sensores e sistemas inerciais

·  malhas de simulação completa de sistemas de controle de veículos lançadores e plataformas orbitais

·  GFO: Girômetros a Fibra Ótica qualificados

Diversas etapas já foram vencidas. No inicio de 2011 foi inaugurado o LINCS (Laboratório de Identificação, Navegação, Controle e Simulação) apto a caracterizar sensores e sistemas inerciais de alta precisão bem como realizar simulação de sistemas de controle para veículos espaciais (Figuras 1 e 2; pág. 3). Também já se dispõe de um protótipo de sistema de navegação inercial chamado SISNAV (Figura 3; pág. 3) que já foi ensaiado duas vezes em montanha-russa no intuito de fornecer informações para o desenvolvimento do algoritmo de navegação. Também já foi realizado um teste em vôo (operação CUMÃ II) de um GFO (Figura 4; pág. 3).

Atualmente, contratos com empresas nacionais proverão o hardware e o software do protótipo de vôo do SISNAV a ser lançado em um veículo com características idênticas ao VLS1 (VSISNAV) para qualificação do mesmo.

A parte do SIA concernente ao INPE também está bastante adiantada. Todos os equipamentos pertinentes à malha de controle de satélites foram adquiridos e estão operacionais. Dois contratos foram celebrados para a realização do computador de bordo e do ambiente de simulação da malha de controle de satélites (SISCAO) que utiliza tais equipamentos.

Não se pode deixar de mencionar a formação de recursos humanos. O projeto SIA tem contratado dezenas de profissionais para cooperarem com as atividades realizadas, recebendo assim treinamento especializado. Cerca de 30 bolsas acadêmicas (entre mestrado e doutorado e pós-doutorado) foram concedidas e diversas teses já foram defendidas.

Após a conclusão do projeto, um consórcio de empresas será responsável pela aplicação industrial da tecnologia.

Dr. Waldemar de Castro Leite Filho
Coordenador do SIA
Instituto de Aeronáutica e Espaço
Membro Fundador da AAB










Figura 1: LINCS

Figura 2: LINCS

Figura 3: Protótipo SISNAV

Figura 4: Carga-Útil CUMÃ II


Fonte: “ABB Revista” nº 8 – págs. 02 e 03 - ABR-JUN 2011

Comentário: Esse é um projeto que avançou muito nos últimos anos graça a coordenação e o empenho do Dr. Waldemar de Castro Leite Filho nesse importante e crucial projeto para o Programa Espacial Brasileiro. Não conheço pessoalmente o Dr. Waldemar, mas em fevereiro de 2011 após postar a matéria da jornalista Virginia Silveira (veja a nota: “Laboratório Reduz Gargalo Espacial”) qual não foi a minha surpresa quando o Dr. Waldemar postou entre os comentários dos leitores o seu agradecimento por temos postado a matéria no blog, além de corrigir algumas informações técnicas passadas sobre o projeto. Espero que futuramente em uma de minhas passagens por São José dos Campos (SP) possa além de conhecê-lo pessoalmente ter a oportunidade de visitar o “Laboratório de Identificação, Navegação, Controle e Simulação (LINCS).

Comentários

  1. Prezado Duda
    Vc não imagina o tipo de dificuldades (nenhuma técnica) se enfrenta para conduzir um projeto dessa monta. Agora com o SIA chegando à sua conclusão confronta-se o seguinte problema: não havendo demanda, toda a tecnologia desenvolvida acaba por se perder pois as empresas não se sustentam sem encomendas. É preciso que o próprio governo se encarregue de encomendas mobilizadoras. Tenho tentado convencer as autoridades a divulgarem a tecnologia desenvolvida. Sistemas de navegação poderiam ser usados, num exemplo bem atual, em VANTs (veículos aéreos não tripulados) mas os próprios órgãos governamentais optam por comprar no exterior.
    Com relação à visita ao LINCS fica desde já convidado - só me avise com antecedência.
    Waldemar

    ResponderExcluir
  2. Prezado Dr. Waldemar!

    Agradeço-lhe pelo contato e pelo convite que aceitarei com todo o prazer quando estiver de passagem por SJC. Essa informação que o senhor nos passa agora é triste, mas não nos surpreende, já que conhecemos a classe política que infelizmente milita nos bastidores de Brasília. A esperança é que com a chegada do Raupp no MCTI, isso possa ser amenizado ou até solucionado e o PEB tome o rumo que merece e que o país precisa. Uma vez mais obrigado pelo seu contato.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  3. Que bom vermos um projeto tão essencial para nossa soberania e em estado bem avançado e tudo graças a um esforço sobrenatural de pessoas como o Dr. Waldemar.
    Duda, eu tinha notícias do projeto GIROMAR e agora do projeto SIA e do SISNAV, mas tenho uma dúvida, estes projetos estão interligados ou são independentes, outra coisa, a operação CUMÃ II serviu para colher subsídios para posterior homologação de um GFO para o MAR-1 e que o Projeto SIA homologaria um sistema inercial para o VLS.
    Acontece que posteriormente soube de uma notícia que estaria sendo adquirindo o computador de bordo do VLS em empresa estrangeira, não lembro se era GE SYSTEM ou uma divisão da ELBIT e agora esta associação ao Projeto SISCAO....O que tem de verdade nisso tudo? E o que será usado no VLS?

    ResponderExcluir
  4. Olá God Hidan-Sama!

    Veja bem, eu não conheço nenhum Projeto GIROMAR. O "Projeto SIA (Sistemas Inerciais para Aplicação Aeroespacial)" é um projeto que envolve o "IAE (Instituto de Aeronáutica e Espaço)" do DCTA e o "INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais)" para o desenvolvimento de sistemas inerciais no Brasil ai incluídos também computadores de bordo para veículos lançadores. É claro que essa tecnologia poderá ser usada em outras áreas, ai incluída a área de defesa, mas dependerá da atitude do governo como ficou claro no comentário acima do Dr. Waldemar. Já o SISNAV citado por você, é um protótipo de um sistema de navegação inercial desenvolvido pelo "Projeto SIA" que deverá ser testado no vôo do VLS-1 XVT-01, espero eu até dezembro de 2012. Quanto a sua notícia sobre a compra do computador de bordo do VLS a uma empresa estrangeira, eu não tenho essa informação. Mas tudo é possível num país que tem o governo que temos (veja o que diz o Dr. Waldemar acima). Entretanto, o que está previsto pelo IAE para ser usado no VLS é o SISNAV nesse vôo de dezembro e nos próximos (XVT-02 e VO4), além de também creio eu nos futuros VLM-1 e nos VLS-Alfa e Beta. Quanto a Operação Cumã II, a mesma foi realizada para testar em vôo as tecnologias que seriam usadas no SISNAV, além é claro dos outros experimentos (de outras instituições) que estavam abordo.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

Janeiro de 2015 Registra Recorde de Focos de Queimadas Detectados Por Satélite