Alunos de Ubatuba Passam por Treinamento no INPE

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada dia (21/12) no site da “Prefeitura Municipal de Ubatuba”, destacando que seis alunos da "Escola Municipal Tancredo de Almeida Neves" participaram em dezembro de um treinamento no Laboratório de Integração e Teste (LIT) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Duda Falcão

Notícias de Ubatuba

Alunos de Ubatuba Passam por
Treinamento em Laboratório no INPE

Treinamento teve como objetivo aperfeiçoar as técnicas
para a construção do Tancredo 1, satélite que
vem sendo desenvolvido pelos alunos da escola

21/12/2011

Alunos no laboratório do INPE
Seis alunos da escola municipal Tancredo de Almeida Neves participaram na última semana de um seminário no LIT (Laboratório de Integração e teste) no INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais). O treinamento, que foi acompanhado pelas professoras da escola Tancredo, Patrícia e Marileia, teve como objetivo aperfeiçoar as técnicas para a construção do Tancredo 1, satélite que vem sendo desenvolvido pelos alunos da escola. O satélite Tancredo 1 vem sendo construído na própria escola.

O seminário abordou a soldagem manual de acordo com normas da NASA e foi realizado de 6 a 12 dezembro no LIT. “É a primeira vez que crianças passam por esse treinamento no INPE. Esse tipo de treinamento é voltado para engenheiros da indústria espacial. Com certeza eles aprenderam técnicas que garantirão que o equipamento permaneça no espaço por um longo período”, explicou o professor de matemática Cândido Osvaldo de Moura, coordenador do projeto,

O Satélite

O projeto teve início no ano passado, quando o professor leu uma reportagem numa revista científica anunciando que a Interorbital, uma empresa americana, vendia kits educativos de satélites, os TubeSats. A partir daí, logo no início do ano letivo de 2010, o professor Cândido Moura anunciou a idéia aos alunos, que logo concordaram em construir o satélite. Com a doação de uma empresa de Ubatuba foi possível efetuar a compra do kit do satélite, que custou U$ 8 mil.

O Tancredo 1 pesa 750 gramas, tem 8,9 cm de diâmetro e 12,7 de altura. É composto de quatro placas de circuito impresso, uma delas com antena de recepção e transmissão, outra com controle de energia elétrica, outra com computador de bordo e a outra com transmissor/receptor. Após a conclusão dos trabalhos, o satélite será enviado para a Interorbital System, na Califórnia, que fará o lançamento a uma órbita de 300 quilômetros de altitude.


Fonte: Site da Prefeitura Municipal de Ubatuba - http://www.ubatuba.sp.gov.br/

Comentário: Fantástico, não canso de enaltecer a iniciativa do professor Cândido Moura, e sinceramente espero que sirva de exemplo para outros professores através do país e também para uma empresa brasileira que se interesse em desenvolver plataformas tubesats e cubesats. Evitando com isso que grupos como o do professor Cândido Moura e da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) tenham de recorrer a empresas estrangeiras como a Interorbital Systems e a Innovative Solutions in Space (ISIS). Você que é empresário do setor, abra o olho, está ai um nicho que você poderia explorar, pense no assunto.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Janeiro de 2015 Registra Recorde de Focos de Queimadas Detectados Por Satélite

O CLA e Sua Agenda de Lançamentos Até 2022