Ex-Diretor do INPE Assume Pasta de Ciência e Tecnologia

Olá leitor!

Segue abaixo uma interessante matéria publicada hoje (19/11) no site do jornal “O VALE” destacando a nomeação do Marco Antônio Raupp para o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

Duda Falcão

REGIÃO

Ex-Diretor do INPE Assume
Pasta de Ciência e Tecnologia

Atual diretor da AEB, Raupp assume ministério na terça-feira
com desafio de ampliar orçamento e efetivo de INPE e DCTA

Arthur Costa
São José dos Campos/AE
January 19, 2012 - 03:09

Cláudio Capucho

O atual presidente da AEB (Agência Espacial Brasileira), Marco Antônio Raupp, foi escolhido ontem pela presidente Dilma Rousseff (PT) novo ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação.

Ele assume o cargo na próxima terça-feira, no lugar de Aloizio Mercadante (PT), nomeado novo ministro da Educação, em substituição a Fernando Haddad (PT), que deixa o governo federal para se dedicar à sua candidatura à Prefeitura de São Paulo.

Apesar de ter nascido em Cachoeira do Sul (RS), Raupp tem forte ligação com o Vale do Paraíba. Ele foi diretor do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), de São José, de 1985 a 1988, quando criou o programa de satélites em parceria com a China (CBERS) e o Cptec (Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos).

Também foi idealizador do Parque Tecnológico de São José e diretor da instituição entre 2009 e 2011, quando foi chamado para assumir a presidência da AEB.

Troca - O anúncio oficial da escolha foi feito pela Secretaria de Comunicação Social, que divulgou nota em que a presidente agradeceu o trabalho dos antigos ministros.

“A presidente da República, Dilma Rousseff, agradece o empenho e a dedicação do ministro Haddad à frente de ações que estão transformando a educação brasileira e deseja a ele sucesso em seus projetos futuros. Da mesma forma, ressalta o trabalho de Mercadante e Raupp nas atuais funções, com a convicção de que terão o mesmo desempenho em suas novas missões”, diz a nota da Secom.

A escolha por Raupp foi baseada no critério estabelecido pela presidente de priorizar a nomeação de um técnico para o cargo.

O ‘adversário’ do presidente da AEB era o deputado Newton Lima (PT-SP), que com uma possível indicação para o MCTI abriria vaga na Câmara para o atual assessor especial do Ministério da Defesa, José Genoino (PT).

Dilma, segundo um auxiliar, não quis o ônus de abrir uma vaga para Genoino no ano em que o Supremo Tribunal Federal deverá julgar o escândalo do ‘Mensalão’, ocorrido em 2005. Genoino é um dos réus e poderia parecer que a presidente estaria tentando proteger um nome do PT.

Especialista - A nomeação de Raupp agradou empresários e entidades ligadas ao setor aeroespacial no Vale do Paraíba. Uma das críticas recorrentes a Mercadante era sua falta de experiência em assuntos específicos da pasta.

“Vejo a nomeação de Raupp com bons olhos, pois ele faz um trabalho muito bom frente à AEB e temos um bom relacionamento. Vejo fortalecimento no setor”, disse o presidente da AAB (Associação Aeroespacial Brasileira), Paulo Morais.

O coordenador do Cedaer (Comissão Empresarial para o Desenvolvimento Aeroespacial de São José), Lauro Ney Batista, afirmou que o perfil de Raupp e seu relacionamento com Mercadante devem facilitar o desenvolvimento de novos projetos.

“Por seu perfil, tudo leva a crer que haja dinamização do setor aeroespacial. Um técnico tem sempre a visão mais apurada de como funcionam as coisas”, disse Batista.

Fusão - Já o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Federais em Ciência e Tecnologia, Ivanil Barbosa, lembra que a nomeação de Raupp deve trazer de volta à tona o debate sobre a fusão entre INPE e AEB, tema discutido no ano passado mas deixado de lado após discordância de opiniões. “O projeto de fusão proposto por ele não previa aporte humano algum e foi isso que levou o (então diretor do INPE Gilberto) Câmara a pedir demissão”, disse Barbosa, referindo-se à troca de comando no INPE. Uma das primeiras missões de Raupp após a posse deve ser o anúncio do novo diretor, que já teria sido escolhido por Mercadante.

QUEM É RAUPP

Nome

Marco Antônio Raupp

Idade

73 anos

Naturalidade

Cachoeira do Sul (RS)

Formação

Graduado em Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, PhD em Matemática pela
Universidade de Chicago e livre-docente pela Universidade de São Paulo

Experiência na Região

Diretor do INPE de 1985 a 1988
Diretor do Parque Tecnológico de São José de 2009 a 2011
Presidente da AEB desde março de 2011

Desafios

- Aumentar orçamento do programa espacial brasileiro
- Reforçar efetivo de profissionais de institutos de pesquisa

Mudança

Raupp assume lugar de Aloizio Mercadante, que foi para Ministério da Educação

Orçamento para Projetos e Contratação são Desafios

São José dos Campos - Entre os desafios de Marco Antônio Raupp à frente do MCTI estão ampliar os recursos para o setor -- o INPE, por exemplo, teve orçamento de R$ 250 milhões em 2011, mas diz que precisa de R$ 400 milhões para este ano -- e tentar acabar com o déficit de pessoal para pesquisa.

Isso porque INPE e DCTA (Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial) precisariam de pelo menos mais 1.600 servidores (800 em cada) para tocar projetos considerados prioritários na área espacial. O segmento, aliás, foi um dos mais afetados pelo corte no Orçamento da União no ano passado.

O CBERS, por exemplo, satélite desenvolvido em parceria com a China, chegou a ser ameaçado pela falta de recursos. Após pressão dos chineses, o CBERS-3, quarto satélite sino-brasileiro, deve ser lançado até o final deste ano, cinco anos depois da previsão inicial feita pelos órgãos de pesquisa.

“Se o governo brasileiro tiver intenção de levar a sério o programa espacial no país tem que, no prazo de três anos, contratar 800 pessoas para o DCTA e 800 para o INPE”, afirmou o vice-presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Federais em Ciência e Tecnologia, Fernando Morais.

Recursos - Ele cita como exemplo de defasagem o número de funcionários do INPE. “No final de 1988, o INPE tinha 1.880 funcionários. Hoje tem menos de 1.000, sendo que os projetos triplicaram”, disse.


Fonte: Site do jornal “O VALE” - 19/01/2012

Comentários

  1. Desculpe comentar, mas é verdade essa parte O atual assessor especial do Ministério da Defesa, José Genoino (PT). É mesmo o Genoino?

    Ai sim fomos surpreendidos novamente! :D

    ResponderExcluir
  2. Olá Mensageiro!

    Bom amigo essa informação eu não tenho, mas se a matéria aponta isso, o mesmo deve ser. Entretanto não vejo nada de surpreendente nisso, pois na política brasileira tudo é possível, principalmente nos bastidores da obscura capital federal.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial