Chamada Pública Destina Recursos Para Pesquisas Aeroespaciais

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (28/08) no site da Agência Espacial Brasileira (AEB) informando que chamada pública destina recursos para pesquisas aeroespaciais.

Duda Falcão

Chamada Pública Destina Recursos
Para Pesquisas Aeroespaciais

MEC


Brasília, 28 de agosto de 2014 – Pesquisas no segmento aeroespacial estão entre as que podem receber recursos da chamada pública lançada pelo Ministério da Educação (MEC), em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), órgão ligado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). Um das exigências é que os projetos de pesquisa sejam sobre temas que contribuam para o desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação.

Serão investidos R$ 40 milhões divididos em custeio, capital e bolsa este ano em 2015 e 2016. As propostas selecionadas terão duração de 24 meses. A inscrição está aberta até 23 de outubro próximo.

Além da área aeroespacial a chamada é orientada para receber propostas de 27 outras áreas de interesse, entre elas a de defesa, alimentos, biotecnologia, energias renováveis, gastronomia, mineração, indústria naval, construção civil e tecnologias para o etnodesenvolvimento em terras indígenas.

Modalidades - As bolsas são divididas em quatro modalidades: desenvolvimento tecnológico e industrial (DTI), extensão no país (EXP), apoio técnico em extensão no país (ATP) e inovação tecnológica e industrial (IT). Para se candidatar ao apoio, o candidato deve cumprir exigências, como ter o currículo cadastrado na Plataforma Lattes.

O fomento será destinado a quatro linhas de pesquisa. A primeira é voltada para pesquisa aplicada, desenvolvimento e inovação que visem à solução de problemas do setor produtivo. A segunda é destinada à melhoria contínua e no aumento de competitividade de empresas, associações e cooperativas. Para estas duas modalidades, as empresas beneficiárias devem contribuir com pelo menos 10% do valor da verba pública empregada.

Uma terceira linha foca na preparação de estudantes de educação profissional dos institutos federais para competições de conhecimento e competências técnicas de abrangência regional, nacional e internacional.

A última modalidade é destinada à elaboração e execução de projetos por professores com a participação obrigatória de alunos de cursos técnicos, com foco na solução de problemas de natureza institucional, empresarial ou comunitária.


Fonte: Agência Espacial Brasileira (AEB)

Comentário: Em resumo leitor, mais um edital/esmola que será pulverizado entre as diversas áreas de pesquisa do setor de ciência e tecnologia do país. Enfim, ta aí a notícia.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial