UnB Receberá Palestra Sobre Propulsão Elétrica

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (06/12) no site da Agência Espacial Brasileira (AEB) destacando que a Universidade de Brasília (UnB) receberá nesta quinta-feira (08/12) o "Dr. Stephen Gabriel", professor da Universidade de South Hampton, na Inglaterra, que ministrará palestra sobre “Propulsão a Plasma (Elétrica)”.

Notícias

UnB Receberá Palestra
Sobre Propulsão Elétrica

AEB
06-12-2011

O doutor Stephen Gabriel, professor da Universidade de South Hampton, na Inglaterra, ministrará nesta quinta-feira (08/12), às 16h, a palestra “Espaçonaves a propulsão elétrica: o que é isso?Por que usá-la? e outras aplicações” no auditório do Centro Internacional de Física da Matéria Condensada da Universidade de Brasília (UnB).

A propulsão elétrica também conhecida como propulsão a plasma começou a ser utilizada em satélites no inicio dos anos 60. Atualmente, com os avanços dos programas espaciais de vários países esta tecnologia está sendo utilizada cada vez mais em missões espaciais de longa duração. Das grandes aplicações da propulsão elétrica destacam-se o controle de atitude e orbita de satélites geoestacionários e as missões de exploração de cometas e asteróides no sistema solar. Na palestra, o professor Stephen Gabriel abordará, primeiramente, os fundamentos da propulsão espacial, para que os espectadores possam fazer uma comparação com outras tecnologias de propulsão, com ênfase particular na velocidade de escape.

No encontro, Stephen ainda fará uma breve visão geral dos diferentes tipos de dispositivos de propulsão elétrica, concentrando-se sobre a base física dos processos desaceleração e as características de desempenho típico.

Por fim, o palestrante fará uma descrição mais detalhada dos propulsores elétricos com grades aceleradoras (GIEs) e dos propulsores elétricos pulsados (PPTs) e a possibilidade de uso dessas tecnologias no futuro.

A palestra será dada em inglês e tem como público alvo alunos de graduação e pós-graduação, além de interessados pela área espacial. Não há inscrições para o evento. Quem se interessar em participar deve chegar até o início do evento e se acomodar.

Serviço:

Palestra: “Espaçonaves a propulsão elétrica: o que é isso?Por que usá-la? e outras aplicações”
Palestrante: Stephen Gabriel, professor da Universidade de South Hampton, na Inglaterra
Local: auditório do Centro Internacional de Física da Matéria Condensada da Universidade de Brasília (UnB).
Horário: 16h
Lotação: 150 pessoas
Endereço: multiuso II


Fonte: Agência Espacial Brasileira (AEB)

Comentário: Pois é leitor, em nossa opinião a Propulsão Elétrica (Plasma) como também, ou até com maiores chances, a Propulsão Nuclear, são as duas maiores apostas para suceder a propulsão química nos próximos 20 anos no que diz respeito a missões tripuladas além da orbita lunar. Na área de sondas interplanetárias a Propulsão a Plasma já esta sendo utilizada e deve se intensificar nos próximos anos. Já na área de missões tripuladas, a Propulsão Química começa perder espaço, mas na falta ainda de uma solução melhor para se alcançar a orbita terrestre, a mesma deverá ser mantida ainda por um bom tempo até que se possa encontrar uma solução eficiente e segura. Entretanto, a mesma jamais deverá ser utilizada em viagens interplanetárias (como vem sendo anunciado pela mídia internacional como propaganda) ou a asteróides devido ao seu baixo empuxo aliado aos perigos desconhecidos do meio interestelar que obriga aos engenheiros a buscarem uma propulsão que permita a viagem ocorrer num menor tempo possível, coisa que é impensável de ser realizado utilizando-se qualquer tipo de Propulsor Químico. Como exemplo, uma viagem a Marte demoraria em média de 8 meses a 1 ano na opção química, tempo inaceitável devido aos grandes riscos envolvidos. A NASA atualmente vem trabalhando em diversas frentes na área de Propulsão a Plasma e a mais conhecida delas é o projeto de motor da empresa costarriquenha/americana AD ASTRA, que tem como objetivo final o desenvolvimento de um motor capaz de realizar a viagem ao Planeta Marte em 32 dias até 2030, o que certamente aumentaria as chances de sucesso da missão. Nesse sentido, a AD ASTRA pretende já em 2014 testar uma versão ainda pequena desse motor, teste este que colocará em cheque o uso ou não dessa tecnologia. Entretanto, continuamos achando que a Propulsão Nuclear é a melhor solução nos próximos 100 anos para viagens interplanetárias, mas acreditamos, caso a tecnologia a plasma seja aprovada, que a primeira viagem ao Planeta Marte deverá ser realizada mesmo com uma espaçonave movida a essa tecnologia, mas que para missões além de Marte a Propulsão Nuclear deverá ser a escolhida.

Comentários

  1. Só para avisar que a palestra ocorrerá também no dia 9/12 no auditório da Faculdade UnB Gama às 10h da manha!!!

    ResponderExcluir
  2. Olá Lui Habl!

    Anotado amigo e obrigado pela informação.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

O CLA e Sua Agenda de Lançamentos Até 2022