Le Gall: "Lançamentos Falam Mais Alto que Palavras!"

Olá leitor!

Segue abaixo uma pequena nota postada ontem (10/12) no blog “Panorama Espacial” do companheiro jornalista André Mileski destacando alguns trechos da entrevista com o presidente da Arianespace, Jean-Yves Le Gall, postado no site da empresa recentemente.

Duda Falcão

Le Gall: "Lançamentos Falam Mais
Alto que Palavras!"

André Mileski
10/12/2011

Foi disponibilizado no website da Arianespace, uma curta, porém interessante entrevista com Jean-Yves Le Gall, presidente da provedora de lançamentos espaciais. A entrevista aborda o ano de 2011 para a empresa, perspectivas para 2012, a formação da família de lançadores (Ariane 5, Soyuz e Vega, este último devendo realizar seu vôo de estréia no início do ano que vem), e também o surgimento de competidores.

Sobre competição, a resposta de Le Gall a última questão (ver tradução livre abaixo) sintetiza bem sua visão sobre o mercado, já destacada e analisada pelo blog Panorama Espacial no início desse ano (ver "Entrevista com Jean-Yves Le Gall, presidente da Arianespace" e também sua análise). Muito embora a questão tenha focado competidores emergentes dos EUA (destaque para a SpaceX, com o Falcon 9), a resposta do executivo da Arianespace tem alcance global, inclusive para os esforços ucraniano-brasileiros da Alcântara Cyclone Space.

"Questão: Como você vê a demanda do mercado de serviços de lançamento nos EUA, e qual é a sua visão sobre uma possível competição de longo prazo de novos sistemas de transporte espacial americanos sendo desenvolvidos com significativo apoio de recursos governamentais?

Jean-Yves Le Gall: O mote não oficial da Arianespace é: "Lançamentos falam mais alto que palavras!" Atualmente, contudo, eu ouço muitas "palavras", mas não vejo muitos "lançamentos". Eu acredito que antes que estes novos sistemas tornem-se reais competidores, eles precisarão mostrar que podem lançar com confiança e regularidade, e a preços competitivos. Isto é o que a Arianespace faz hoje, e levará muitos anos para que nossos competidores alcancem esse ponto. É importante destacar que o Ariane 5 realizou seu vôo de estréia em 1996, tendo entrado em serviço operacional em 2005. Leva tempo para se ter um sistema comprovado como o nosso, o que me faz acreditar que a Arianespace continuará a liderar o mercado de serviços de lançamento."

OBS: Veja abaixo uma reportagem da WEB TV do MCTI sobre a Audiência Pública realizada dia 07/12 na “Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados” onde com sua habilidade política e oratória, fica claro que o ministro Aloizio Mercadante está conseguindo seduzir os deputados para apoiarem esse desastroso acordo, mesmo tendo a comunidade científica de setor contrária. Lamentável!

Audiência Pública na Câmara dos Deputados
WEB TV do MCTI - 08/12/2011


Fonte: Blog “Panorama Espacial“ - André Mileski

Comentário: Está aí leitor nas entre linhas das palavras do talvez mais competente executivo na área de lançamentos de satélite comerciais do mundo, mais uma razão para morte anunciada da mal engenhada empresa Alcântara Cyclone Space (ACS). Além de todos os problemas já apontados aqui pelo blog, a falta de conhecimento do mercado é um cheque mate nas pretensões da ACS. Note que o executivo francês nem considera a ACS como um concorrente a ser levado a sério, e evidentemente não poderia ser diferente, mediante as dificuldades que a mesma terá de enfrentar e principalmente pela megalomania já demonstrada pelos seus representantes em alguns momentos através da mídia, como a pretensão de abocanhar 10% no mercado no seu primeiro ano de operação. Não é por acaso que a revolta é grande de todos nos bastidores do PEB, principalmente por esse acordo além de ser desastroso tecnologicamente, de não acrescentar nada e de ter sido motivado por motivos políticos, atua também como um minador de recursos estimáveis para o verdadeiro Programa Espacial Brasileiro. Uma vergonha iniciada pelo incompetente Roberto Amaral no governo do humorista LULA, agora capitaneada pelos ministros Mercadante e Amorim e apoiada irresponsavelmente pela presidente DILMA ROUSSEFF. 

Comentários

  1. Na Veja estes dias, tem falado que o Mercadante irá para um novo ministerio na reforma ministerial que a Dilma pretende fazer apartir de janeiro. Então ele não irá ficar muito tempo mais lá.

    ResponderExcluir
  2. Olá Ricardo!

    Mesmo que isso acabe acontecendo, o mesmo será substituído por um outro com o mesmo perfil ou até pior. É lamentável amigo, mas é a realidade de como as coisas são irresponsavelmente conduzidas em Brasília.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial