Comitiva Japonesa Visita AEB para Avaliar Cooperação

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (12/12) no site da Agência Espacial Brasileira (AEB) destacando que o presidente da AEB, Marco Antônio Raupp, recebeu dia 08/12 uma Comitiva Japonesa para avaliar futuras cooperações espaciais.

Duda Falcão

Notícias

Presidente da AEB Recebe Comitiva Japonesa
para Avaliar Futuras Cooperações

AEB
12-12-2011

O presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB), Marco Antonio Raupp, recebeu na última quinta-feira (08/12), na sede da Agência, uma comitiva japonesa chefiada pelo ministro da carreira ciplomática do Japão, Masahiro Takasugi. O tema da conversa foi a possibilidade de crescimento das cooperações entre os países.

Para ampliar a discussão ficou acertado que o presidente da AEB irá ao Japão, em fevereiro ou março para participar do seminário de cooperação Brasil-Japão. No encontro, também ficou acertada a vinda do diretor-executivo da Japan Aeroespace Exploration Agency (Jaxa), Mr. Hideshi Kozawa, que pretende conhecer os institutos envolvidos no programa espacial e a indústria aeroespacial brasileira.

A comitiva japonesa revelou, ainda, que o país tem interesse na construção do satélite geoestacionário de comunicações. Além deste empreendimento, os asiáticos vislumbram, para o futuro, o desenvolvimento conjunto de Microssatélites.  O programa de satélites de pequeno porte contemplaria áreas como agricultura, monitoramento florestal e monitoramento de desastres naturais.

A possibilidade de envio de mão de obra brasileira para capacitação em terras nipônicas e a contratação de profissionais daquele país para trabalhar no Programa Espacial Brasileiro foi outro assunto abordado. Segundo o chefe da Assessoria de Cooperação Internacional da AEB, José Monserrat Filho, este intercâmbio de especialistas e estudantes será fundamental para o Programa Espacial Brasileiro. “Poderemos dar um salto de qualidade quando os nossos cientistas se especializarem nos principais centros de excelência em espaço. Os japoneses, que estão nesse grupo de países, demonstraram nesta reunião, o interesse de receber os profissionais brasileiros”, conta Monserrat.

O programa “Ciências Sem Fronteiras” é uma iniciativa do governo Federal que busca promover a consolidação, expansão e internacionalização da ciência e tecnologia, da inovação e da competitividade brasileira por meio do intercâmbio de alunos de graduação e pós-graduação e da mobilidade internacional.

O projeto prevê a concessão de até 75 mil bolsas em quatro anos. Ele é fruto do esforço do Ministério da Educação (MEC), em conjunto com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), por meio de suas respectivas instituições de fomento - Capes e CNPq -, e secretarias de Ensino Superior e de Ensino Tecnológico do MEC.



Fonte: Agência Espacial Brasileira (AEB)

Comentário: Boa notícia, o Japão é um país que com acordos bem elaborados e levados com seriedade pelo governo podem contribuir muito para o avanço do Brasil na área espacial. Na realidade, em nossa opinião, essa possibilidade chega com pelo menos dez anos de atraso, pois poderíamos ter aproveitado a passagem do Marcos Pontes pela JAXA e sua boa relação na época com essa agência espacial (acredito que continue dessa forma) e ter estabelecido acordos que certamente estaríamos colhendo frutos agora. Porém a falta de visão, de atitude e.... todos sabem, do governo é o grande empecilho para um desenvolvimento sustentado de nosso programa espacial. E ainda para completar o desastre, ainda fazem besteira como é o caso da ACS. Fazer o que?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial