IAE Conclui Ensaios em Solo do Motor-Foguete Líquido L5

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota publicada hoje (14/12) no site do “Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE)" destacando foram concluídos no IAE os ensaios em solo do motor-foguete líquido L5.

Duda Falcão

Concluídos os Ensaios em Solo do Motor L5

Campo Montenegro
14/12/2011

A Divisão de Propulsão Espacial (APE) realizou com sucesso os ensaios de qualificação em solo do Motor L5, concluindo, assim, uma importante etapa para a capacitação do IAE no desenvolvimento da tecnologia de propulsão líquida.

Os ensaios do Motor L5, que funciona com oxigênio líquido e etanol, foram retomados em agosto de 2011 e serviram para verificar o desempenho desse motor em condições atmosféricas, tendo sido realizadas medidas de empuxo, vazões, pressões e temperaturas em diferentes pontos das linhas de alimentação dos propelentes, bem como no próprio motor (cabeçote de injeção, câmara de combustão e tubeira).

Atualmente foram fabricados e testados dois conjuntos idênticos do Motor L5, composto de cabeçotes de injeção e câmara de combustão. O primeiro deles foi ensaiado com êxito em 2005, tendo sido submetido a mais de 400 s de testes a quente. O segundo motor totalizou, até o momento, aproximadamente 10 min de ensaios, em tiros com duração de 40 s, 60 s e 120 s.

Para essa segunda etapa, além dos ensaios de maior duração, também, foi testada pela primeira vez uma a câmara de combustão feita de liga de aço Inconel, com cerca 2 mm de espessura de parede.

O desempenho do Motor L5 foi o esperado para as condições atmosféricas (em solo), estimando-se que os parâmetros propulsivos estejam próximos aos dos previstos em projeto para o vôo, ou seja empuxo de 5 kN (0,5 t) para ambiente de vácuo.

Video do ensaio do Motor-Foguete Líquido L5

Fonte: Site do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE)

Comentário: Bom, pelo que parece o IAE fecha o ano com mais essa notícia boa, já que agora temos um motor-foguete líquido (ainda que modesto) pronto para seu primeiro teste de vôo, que como o leitor poderá observar em nota posterior, deverá ocorrer num espaço de tempo não tão longínquo. Parabéns a todos profissionais que participaram desde agosto dessa campanha de ensaios.

Comentários

  1. Ótima notícia! Ao que tudo indica esse será um estagio de 'satelização' do VLS ou do VLM...

    Peço licença para lhe enviar agora informações recente sobre o T-4000 argentino. Como já discutimos e você informou seus leitores, o foguete falhou. Agora lhe envio as fotos que seguem abaixo.

    O foguete após a falha, não teve como esvaziar seus tanques, o que obrigou os argentinos a realizar um procedimento que eles chamam "neutralização" que consistiu em atirar (isso mesmo, com uma arma de fogo, um MAG!) desde um helicóptero e destruir o foguete para eliminar seu combustível interno. O procedimento, segundo eles, era para permitir a investigação das causas da falha, o que não era possível fazer com os tanques cheios.

    O comentário é que o foguete não voa antes de 2018.

    http://img337.imageshack.us/img337/3959/img3219x.jpg

    http://img844.imageshack.us/img844/3156/img5340copia.jpg

    http://img822.imageshack.us/img822/4007/tronadortirofusil01.jpg

    Saudações.

    ResponderExcluir
  2. Valeu Observador!

    Postarei uma nota sobre essa notícia que você me trás agora.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  3. Fico muito empolgado e contente em ver um propulsor de combustível líquido projetado e funcionando em solo brasileiro, porém 50 anos de programa espacial "quebra" um pouco esta empolgação. Em outras palavras: Pelo tempo já éra para estar-mos satelizando massas com propelente líquido e não efetuando testes em bancadas!!! Mas de qualquér forma parabéns aos profissionais envolvidos neste difícil projeto.

    ResponderExcluir
  4. Olá Vando!

    Concordo contigo, mas temos que lembrar que isso não foi realizado não por culpa dos profissionais do IAE que agora finalizaram os testes desse motor-foguete, e sim dos energúmenos de diversos governos durante esse período. Principalmente os últimos quatro. Já éramos para ter esse motor e o L15 qualificados em vôo, o banco de testes para motores-foguetes até 400 kN em funcionando, e o L75 sendo testado nesse banco, mas com esse tipo de mentalidade política vigente, fica complicado.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial