MCTI/INPE Assina Novo Contrato do Satélite Amazônia 1

Olá leitor!

O Diário Oficial da União (DOU) de hoje (22/12) publicou um "Extrato de Contrato" assinado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI/INPE) relacionado com o projeto do Satélite Amazônia 1. Segue abaixo o extrato como publicado no DOU.

Duda Falcão

INSTITUTO NACIONAL
DE PESQUISAS ESPACIAIS
EXTRATO DE CONTRATO Nº 910/2011 - UASG 240106

Processo: 01340000821201119;
PREGÃO: SISPP Nº 418/2011;
Contratante: MINISTERIO DA CIENCIA, TECNOLOGIA-E INOVACAO;
CNPJ Contratado: 84916683000111;
Contratado : ELEKTROTECH COMERCIAL E INDUSTRIAL LTDA;
Objeto: Aquisição de instrumentos eletrônicos para o Sistema de Monitoramento e Controle de Interface Elétrica -SCS SCOE do Satélite Amazônia, conforme condições, especificações e quantitativos estabelecidos no Edital do Pregão identificado no preâmbulo e na proposta vencedora, os quais integram este Instrumento, independente de transcrição. (R.D. Nº 01.14.091.0/2011);
Fundamento Legal: Lei 8.666/93, Lei 10520/02, Decreto 2271/97 e Instrução Normativa SLTI/MPOG Nº 2/08;
Vigência: 22/12/2011 a 20/04/2012;
Valor Total: R$ 50.740,00;
Fonte: 100000000 - 2011NE802019;
Data de Assinatura: 19/12/2011.

(SICON - 21/12/2011) 240106-00001-2011NE800001


Fonte: Diário Oficial da União (DOU) - Seção 03 - pág. 18 - 22/12/2011

Comentários

  1. Por isso que este satélite nunca fica pronto.
    Tem que abrir uma licitação pra cada parafuso.

    ResponderExcluir
  2. Pois é Ramir!

    A burrocracia no setor de ciência e tecnologia do país é mais um empecilho para o seu desenvolvimento e não é diferente no Programa Espacial Brasileiro.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  3. É mas temos que concordar que não é o modo mais rápido , mas imagine para onde iria o escasso dinheiro se não tivesse licitação .

    ResponderExcluir
  4. Quando esse satélite estiver finalmente pronto,sabe-se lá quando isso vai ocorrer,já não existirá mais a Floresta Amazônica,portanto,vai ficar sem utilidade. Abraços!!

    ResponderExcluir
  5. Um modo de desburocratizar isso seria a criação de uma prime contractor, ou incluir a Embraer nisso.

    ResponderExcluir
  6. Olá André!

    Veja bem, nos países mais desenvolvidos o setor de ciência e tecnologia é tratado de forma diferenciada e menos burrocrática, já que devido ao dinamismo do setor, quanto menos empecilho tiver, mais rapidamente a inovação se instála gerando o retorno esperado.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  7. Olá Leo!

    Não acredito nisso amigo, já que a floresta Amazônica na pior das hipóteses irá perdurar pelo menos mais uns 50 anos, e o Satélite Amazônia 1 deverá ser lançado até 2014 no máximo.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  8. Olá Ramir!

    Precisaria mais do que isso. Na realidade teria de se criar um regime especial de atendimento ao setor, diminuindo também as exigências burrocráticas e disponibilizando servidores hajeis para esse atendimento, como acontece nos países mais desenvolvidos.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial