Visita de Autoridades ao CLA Durante a Operação Salina

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (18/07) no site do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), destacando que comitivas do DCTA e da AEB visitaram o Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) nos dias 11 e 12/07, durante a realização das atividades da “Operação Salina”, que ainda está em curso na base.

Duda Falcão

Visita de Autoridades ao CLA
Durante a Operação Salina

Campo Montenegro, 18/07/2012

A Operação Salina, que marca a retomada das atividades do VLS-1, recebeu nos dias 11 e 12 de julho de 2012 a visita de representantes do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) e da Agência Espacial Brasileira (AEB).

Entre os membros da comitiva, o Presidente da AEB, Dr. José Raimundo Braga Coelho e os Exmos. Srs. Major Brigadeiro do Ar Alvani Adão da Silva, Vice-Diretor do DCTA, Brigadeiro Engenheiro Carlos Antônio de Magalhães Kasemodel, Diretor do IAE e Brigadeiro Engenheiro Leonardo Magalhães Nunes da Silva, Chefe da SDA/DCTA, que foram recebidos pelo Ten Cel Eng César Demétrio dos Santos, Comandante do Centro de Lançamento de Alcântara-CLA.

A Operação Salina, que está sendo realizada no Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), pelo Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), vinculado ao DCTA, tem por objetivos o treinamento das diversas equipes envolvidas em campanhas de veículos espaciais, Integração mecânica do mock-up estrutural inerte do VLS-1, ensaios e simulações físicas, elétricas e lógicas da nova Torre Móvel de Integração (TMI) e utilização e testes dos meios de solo do CLA, visando aos futuros lançamentos do VLS-1.

A visita incluiu apresentações sobre o CLA e sobre Operação Salina. O Gerente do Projeto VLS-1 e Coordenador-Geral da Operação (CGO), Ten Cel Eng Alberto Walter da Silva Mello Junior, destacou a importância da Operação Salina e expôs a atual situação do Projeto VLS-1, enfatizando as condições necessárias para que o cronograma físico definido no PNAE e na Estratégia Nacional de CT&I sejam cumpridos.

Ao longo do dia foram visitadas instalações do CLA, incluindo-se a área do recém-construído Sistema Plataforma de Lançamento do VLS (VLS-1 PLAT), que inclui a TMI. Projetada para substituir a antiga torre (concebida na década de 1980), a nova TMI incorpora tecnologias mais recentes com atenção especial para sistemas de segurança e de evacuação e com flexibilidade para atender a outros projetos de veículos lançadores. A comitiva teve a oportunidade de percorrer as instalações do complexo VLS-1 PLAT com o mock-up do veículo completamente integrado, além de presenciar demonstrações de movimentação automática de plataformas, portas e da própria torre.



Fonte: Site do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) 

Comentários

  1. Ei Duda.Aquele foguete da primeira foto não tá não pronto para o lançamento?.O que falta mais fazer,se até em pé ele já tá?.

    O que eu não entendo é:
    pra que tanta divisão no setor aeroespacial?
    É AEB,DCTA,e IAE.Esse monte de divisão não atrapalha um pouco o programa espacial?

    Gostei das fotos!
    Vou salvar aqui no meu pc!

    ResponderExcluir
  2. Olá Arlen!

    O foguete em questão é um mock-up (maquete) inerte em tamanho natural do VLS-1 que está sendo usado para testar a interação da Torre Móvel de Integração (TMI) com o foguete e seus equipamentos de lançamento, além de treinar os técnicos numa operação de lançamento simulada intitulada "Operação Salina".

    Essas instituições são distintas, a AEB é a organização do MCTI (Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação) que coordena as atividades espaciais no país, o DCTA (Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial) é ligado ao Comando da Aeronáutica (COMAER) e o IAE e o IEAv (Instituto de Aeronáutica e Espaço e o Instituto de Estudos Avançados) são ligados ao DCTA e responsáveis pelo desenvolvimento na área de foguetes, tecnologias associadas e tecnologias de vanguarda. Já o INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) é ligado ao MCTI e responsável pelo área de satélite e tecnologias associadas e pesquisas em ciências espaciais.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  3. As "autoridades" chegaram para ver o brinquedinho montado.
    Olharam, viram que apontava para cima, alguém sorriu e disse:
    -Não sobe pq nao tem combustível né? É, a gasolina anda cara msm...

    Amigo Duda, que vergonha das nossas autoridades...
    Que vergonha...fico imaginando o sentimento de cada um de nossos brilhantes cientistas espaciais, vendo os [ir]responsáveis que "zelam" pela nossa nação.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Caro Tassio!

    Eu entendo seu descontentamento amigo, mas está descontando nas pessoas erradas. Essa gente que esteve no CLA faz parte da equipe de frente na luta política contra a presidente DILMA e seus energúmenos dos ministérios do Planejamento e da Fazenda, esses sim os verdadeiros culpados.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hummm, vixe! logo agora que eu fiz até uma piadinha legal..peço sinceras desculpas às pessoas que visitaram o nosso VLS-1. acho que ando mesmo muito triste com tudo que vem se dando por nossas terrinhas...

      De certo que minha piadinha serviria caso fossem as pessoas "certas", digo, as erradas que captnaem nossa nau desgovernada -- ahh, essa foi boa!

      abraços Duda, mais uma vez peço sinceras desculpas para vc, e para os amigos que foram vistoriar nossas instalações. erro meu.

      Excluir
  5. Olá Tassio!

    Não precisa se desculpar amigo, mas saiba que o problema está na esfera mais alta de governo (Presidência da República) e nos Ministérios do Planejamento e da Fazenda. Os órgãos de execução do programa (DCTA, IAE, IEAv, INPE) e a própria AEB são dirigidos por pessoas que estão fazendo o possível para cumprir suas missões. Na realidade em nossa opinião a nota do IAE empregou o termo errado quando disse autoridades, já que deveria dizer especialistas e diretores da área espacial.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  6. Este foguete poderia ser modificado para transportar uma nave tripulada (um passageiro)?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anônimo!

      Eu creio que não, pois não tem empuxo para isso. Além do mais o Programa Espacial Brasileiro (PEB) não prevê vôos tripulados, o que em nossa opinião é um erro, uma tremenda falta de visão, mas diante de tudo que está acontecendo no PEB não é de se estranhar.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial