Tanques do Cyclone-4 São Retirados do Porto do Itaqui

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria publicada hoje (27/07) no jornal “O Estado do Maranhão”, destacando que os tanques de combustíveis do Cyclone-4 foram retirados na tarde de ontem do Porto do Itaqui no Maranhão.

Duda Falcão

Portos

Tanques do Cyclone-4 São
Retirados do Porto do Itaqui

Cilindros de combustível líquido e equipamentos do
foguete Cyclone-4 que estavam no Porto do Itaqui
foram instalados em carretas para o transporte até
o Centro de Lançamento de Alcântara; a logística
da operação também inclui ferry-boats

O Estado do Maranhão
27/07/2012

Divulgação/Emap
Cilindros de combustível do Cyclone-4 içados por
guindastes no cais do porto e instalados em carretas

Os 15 tanques de combustível do foguete Cyclone-4, que foram desembarcados no Porto do Itaqui no dia 13 deste mês, foram retirados do cais na tarde de ontem. A operação envolveu 22 carretas e guindastes com capacidade para içar até 40 toneladas.

Os cilindros de combustível do Cyclone-4 foram trazidos da Ucrânia no navio Socol 3, que chegou à Baía de São Marcos no dia 8 e atracou no berço 103 do Itaqui no dia 13. São os primeiros equipamentos terrestres de grande porte que vão propiciar o lançamento do foguete, no Centro de Lançamento de Alcântara (CLA).

De acordo com informações da Alcântara Cyclone Space (ACS), empresa fruto da parceriaBrasil-Ucrânia para o desenvolvimento de foguetes espaciais, o comboio de carretas tinha previsão de partida do Itaqui para as 20h de ontem, com destino ao Terminal Ponta da Espera, para embarque em ferry-boats.

Até o início da noite de ontem, de acordo com a ACS, os tanques e demais equipamentos ainda estavam sendo carregados nas carretas. A travessia marítima (em ferry-boats) demora cerca de uma hora até Alcântara, distante cerca de 22 milhas náuticas (aproximadamente 40 quilômetros).

Foguete - O primeiro voo do Cyclone-4, tecnicamente chamado de voo de qualificação, está previsto para o fim de 2013. O prédio (TC-100) para a montagem, integração e teste da carga útil, situado no complexo técnico do sítio de lançamento, está entre as partes mais adiantadas da obra. No local, serão preparados os satélites que sairão já encapsulados da unidade de carga útil para se acoplarem aos estágios propulsores do Cyclone-4.

As obras do sítio de lançamento do foguete são de responsabilidade das empresas Odebrecht e Camargo Corrêa e deverão ser concluídas até outubro deste ano. Cerca de 1,3 mil pessoas, entre trabalhadores fixos e empregados temporários, atuam nas obras.

Outra obra adiantada é o TC-200, que será usado para montagem, integração e teste do veículo lançador. Nessa área, será montado o Cyclone-4, que tem 40 metros de comprimento, três metros de diâmetro e coifa (ponta) com quatro metros de largura. O foguete é capaz de alcançar até 500 km de altitude.

Especiais - De acordo com informes da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap), gestora do Itaqui, o desembarque dos tanques de combustível do foguete Cyclone-4 é mais uma operação portuária diferenciada (denominada tecnicamente de cargas de projeto) voltada ao atendimento logístico de novas plantas industriais que estão sendo instaladas no Maranhão em áreas como mineração, geração de energia, petróleo e gás natural, papel e celulose e transporte de carga.

No Porto do Itaqui, até junho deste ano, já foram movimentadas mais de 7 milhões de toneladas de carga. Desse total, 32.601 toneladas são de carga de projeto. São equipamentos, peças e acessórios destinados às novas plantas industriais, a exemplo da construção do Píer IV, da Vale; instalações da fábrica de celulose da Suzano em Imperatriz; das pesquisas de gás e petróleo da OGX na Bacia do Parnaíba e da Unidade de Tratamento de Gás Natural da OGX e da MPX em Santo Antônio dos Lopes; e a empresa binacional Alcântara Cyclone Space (ACS), na cidade de Alcântara.


Mais



O foguete Cyclone-4, que será lançado no Maranhão, vem de uma série desenvolvida na Ucrânia desde 1969 e teve 227 lançamentos, dos quais 222 foram bem-sucedidos e apenas cinco tiveram problemas de inserção, mas sem nenhum acidente. Para ser construído, foram gastos US$ 50 milhões.


A Ucrânia é projetista de 67 tipos de satélites e de 12 sistemas de lançamentos especiais, incluindo uma série de mísseis balísticos intercontinentais, entre eles, o SS-18, além do Kosmos, Dnepr, Zenit e Cyclone. Projetou, também, 17 tipos de motores de foguete e sistemas de propulsão de satélites.


Fonte: Jornal O Estado do Maranhão - pág. 12 - 27/07/2012

Comentário: Pois é leitor, é o fim da picada, mas é a realidade dos fatos. O PEB está completamente sem rumo e sem qualquer luz no final do túnel. Aproveito para agradecer ao leitor maranhense Edvaldo Coqueiro pelo envio dessa matéria.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial