IAE Apresenta Mock-up Inerte Todo Montado do VLS-1

Olá leitor!

Trago abaixo para você uma foto magnífica que mostra o VLS-1 todo montado e posicionado ainda dentro da Torre Móvel de Integração (TMI) e sendo acompanhado pela valorosa equipe de servidores civis e militares participantes da “Operação Salina”, que está atualmente em curso no Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), no Maranhão.

Como é bom ver novamente o VLS-1 todo montado novamente, mesmo sendo uma mock-up inerte do foguete, né verdade? É claro que aqueles que compartilham comigo desse sentimento de satisfação devem pensar também como estamos carentes de resultados em nosso PEB. Mas também é verdade que com a “Operação Salina” estamos mais perto de um lançamento (pelo menos do voo tecnológico do VLS-1 XVT-01) do que antes desta operação.

Vale dizer também que o objetivo primário dessa operação, que será finalizada no dia 20/07, é realizar as operações de transporte, preparação e integração mecânica do mock up estrutural inerte do VLS-1, bem como ensaios e simulações para a verificação da integração física, elétrica e lógica da Torre Móvel de Integração (TMI) e dos meios de solo do Centro de Lançamento de Alcântara, associados à preparação para voo do VLS-1.

Já o objetivo secundário é a retomada das atividades operacionais de preparação e integração do VLS-1 em sua plataforma de lançamento, proporcionando treinamento operacional às diversas equipes envolvidas.

É preciso que os leitores menos informados e que tem procurado o blog nas ultimas semanas na busca por informações sobre o nosso PEB, entendam que é esse o verdadeiro Programa Espacial Brasileiro, e não o desastroso acordo assinado com a Ucrânia, com o apoio do humorista LULA e endossado irresponsavelmente pela presidente DILMA ROUSSEFF.

Mock-up do VLS-1 posicionado dentro da TMI e acompanhado pela
equipe de servidores civis e militares participantes da “Operação Salina”

Para aqueles leitores menos informados também trago uma arte postada em setembro de 2010 no site do jornal Folha de São Paulo apresentando o sistema de lançamento do VLS-1.

Fonte: Editora de Arte / Folhapress

Duda Falcão


Fonte: Com informações do Site do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE)

Comentários

  1. Pelo que entendi será feito um lançamento simulado para testar os equipamentos?
    Na imagem mostra o lançamento completo em 2015, mas se tudo correr bem, e com o foguete praticamente pronto não há chances de ser lançado ainda este ano ou começo de 2013?

    ResponderExcluir
  2. Olá Anônimo!

    Exatamente isso, é um lançamento simulado para testar todo o sistema de lançamento do foguete, ou seja, a parte de equipamentos, como também a sua integração com as equipes de profissionais. Infelizmente 2015 parece ser o novo objetivo do governo para o quarto vôo de qualificação do VLS-1, intitulado VLS-1 V04, que deverá levar um satélite abordo. Entretanto, antes desse vôo, estão previstos dois vôos tecnológicos intitulados VLS-1 XVT-01 e XVT-02, e essa preparação agora em curso é justamente visando o XVT-01. Lembrando que no vôo do XVT-01, apesar do foguete ter toda sua estrutura completa, somente o primeiro e segundo estágios do foguete estarão ativos. Já no XVT-02, todo o foguete estará ativo, mas sem carga útil, só com equipamentos que medirão o comportamento do veículo durante o vôo. O cronograma do IAE era lançar o XVT-01 no segundo semestre de 2012, o XVT-02 em 2013 e o VO4 em 2014. No entanto, com os cortes no orçamento pelo segundo ano consecutivo e com o atraso causando de pelo meno um ano nesta "Operação Salina", só mesmo a presidente DILMA e a sua equipe de energúmenos dos Ministérios do Planejamento e da Fazenda é que podem responder como ficará esta história.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  3. Existe algo de oficial sobre este vôo só ocorrer em 2013 ou ainda temos esperança de que possa ocorrer em 2012?

    ResponderExcluir
  4. Como está o desenvolvimento do projeto SIA? Será utilizado no voo do VLS-1 V04?

    ResponderExcluir
  5. Olá Anônimo!

    As notícias que tem saído na mídia dão conta que o vôo do XVT-01 ficou para 2013, mas não houve ainda uma manifestação pública oficial por parte do IAE. Entretanto, sei que os motores do VLS-1 XVT-01 ou o VLS-1 VSISNAV (como o IAE costuma chamar tecnicamente esse vôo) estão em processo de carregamento. Entretanto, tudo leva a crer que ficará mesmo para depois, quando? Dependerá da boa vontade da presidente brasileira.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  6. Olá Carlos!

    A ideia é justamente testar o subsistema que foi desenvolvido pelo Projeto SIA nesse vôo VLS-1 XVT-01, ou VLS-1 VSISNAV, que é como o IAE chama esse vôo tecnicamente e que significa "Sistema de Navegação". Para o vôo do VLS-1 V04 a esperança é que esse sistema já esteja qualificado após os dois vôos tecnológicos (XVT-01 e XVT-02).

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  7. Mesmo sendo um mock-up, é lindo ver o VLS montado e integrado novamente na TMI!
    Adiante IAE!

    ResponderExcluir
  8. Olá Ramir!

    Pois é amigo, realmente é emocionante rever o VLS-1 novamente montado. Vamos esperar e torcer que não sejamos os únicos a pensar dessa forma, e os que devem e podem fazer algo para ajudar, que ajudem invés de fazerem jogo de cena e política.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  9. e ae duda é muito maneiro ver o vls-1 totalmente montado na TMI depois de quase 10 anos,des de aquele acidente que matou 21 brasileiros em 2003,mas dis ai sabe se vai sair um vídeo dessa operação?

    ResponderExcluir
  10. Olá Persona!

    Ainda não obtive qualquer informação sobre isso, mas normavelmente o IAE faz uma vídeo, porém as vezes não divulga. Vamos aguardar.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  11. É inacreditável que já estão falando no lançamento completo do VLS-1 somente em 2015... chega a ser revoltante !!!

    ResponderExcluir
  12. Olá Anônimo!

    Pois é amigo, Ave César, ou devo dizer Hi DILMA.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  13. Oi Duda!

    Sabe dizer se o computador de bordo do VLS já se encontra nacionalizado ou quais componentes ainda são importados?

    No caso do combustível sólido desenvolvido pelo grupo Edge of Space, sabe dizer se este usa o Polibutadieno, e se o processo de produção é rápido e barato, com todos os ingredientes nacionais?

    Ainda no campo dos propelentes, o sistema de propulsão híbrida em desenvolvimento na UnB será utilizado pelo IAE em seus foguetes? Achei as imagens de testes dos motores da UnB com uma chama semelhante a alguns motores líquidos, como os do Proton-M.

    Quando o IAE fizer o vôo do XVT-01, você irá a Alcântara acompanhar? Irá com algum grupo?

    São muitas perguntas, mas tenho esperança! RS.

    Valeu!

    ResponderExcluir
  14. Olá Emerson!

    Como eu disse ao Carlos acima, a ideia é justamente testar o subsistema que foi desenvolvido pelo Projeto SIA nesse vôo VLS-1 XVT-01, ou VLS-1 VSISNAV (que é como o IAE chama esse vôo tecnicamente e que significa "Sistema de Navegação") e ai inclui o computador de bordo.

    Quanto ao combustível sólido desenvolvido pelo "Edge Of Space", como disse na nota, a empresa não divulgou sua composição. Eu só sei que ele é verde, ou seja, não é tóxico além de não produzir fumaça.

    Já quanto o sistema de propulsão hibrida em desenvolvimento na UnB, eu acredito que o mesmo venha ser utilizado pelos foguetes suborbitais do IAE algum dia, já que o projeto e patrocinado pela AEB através do "Programa UNIESPAÇO". Entretanto, eu acho que ainda está longe disso acontecer.

    Quanto a minha presença em Alcântara durante o lançamento do XVT-01, vai depender de eu receber uma convite do IAE, já que o evento deve ser só para convidados.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial