Argentina y China Firman un Acuerdo de Coop. Aeroespacial

Hola Lector!

Sigue abajo una noticia publicada hoy (19/07) en el website “www.infoespacial.com” informando que la Argentina y China firman un Acuerdo de Cooperación Aeroespacial.

Duda Falcão

Noticias

Nueva Atena se Instalará en Neuquén

Argentina y China Firman un
Acuerdo de Cooperación Aeroespacial

26/07/2012

(infoespacial.com) Buenos Aires.- Argentina y China son oficialmente desde el miércoles 25 de julio socias en materia espacial tras haber firmado un acuerdo de cooperación para “desarrollar actividades de exploración interplanetaria, observación astronómica, el seguimiento y control de satélites en órbita y adquirir datos científicos".

El convenio fue firmado por la Comisión Nacional de Actividades Espaciales de Argentina (CONAE) y la Agencia China de Lanzamiento y Control de Satélites (CLTC).

El objetivo del contrato es "fijar las pautas y parámetros para el establecimiento de instalaciones de seguimiento terrestre, comando y adquisición de datos" según detalla un comunicado de la Cancillería argentina del que informa la agencia EFE.

Pero no solo eso. El documento rubricado por Argentina y China sienta las bases de la colaboración futura, que incluirá la instalación de una antena para investigación del espacio lejano en la provincia argentina de Neuquén, en el sur del país, precisó la nota oficial.

Como recuerda la agencia de noticias, para el Ejecutivo argentino la magnitud del proyecto y la colaboración bilateral que se requiere para asegurar la instalación y operación de esta instrumentación de última generación representa "una oportunidad única de demostrar su capacidad en el campo de la tecnología de avanzada”.

NUEVO LANZADOR

El reciente tratado con China en materia aeroespacial es solo un paso más de los que el país presidido por Cristina Kirchner está dando en este campo. Entre otras cosas, Argentina pretende construir un lanzador de alta precisión para ser capaz de poner en órbita sus propios satélites.

Según informó Tiempo Argentino el lanzador llevará por nombre Tronador II, su desarrollo estará liderado por la empresa VENG, y tendrá una precisión diez veces mayor a la disponible a día de hoy.

“Este lanzador será diez veces más preciso que los que existen actualmente, porque tendrá la capacidad de poner cada segmento en órbita con un margen de error bajo, de forma que todos los instrumentos funcionen en conjunto como una constelación, sea que estén a metros o kilómetros de distancia entre sí”, explicó Juan Cruz Gallo, gerente general y técnico de VENG.


Fuente: Website www.infoespacial.com

Comentário: Pois é caro leitor, dizer o que? Enquanto o nosso Programa Espacial caminha em direção a horizontes cada vez mais sombrios, o programa espacial dos hermanos argentinos segue avançando, agora inclusive com um acordo com a China que prevê até exploração interplanetária.  Confesso que estou cansado disso tudo (acompanho o PEB desde meus 7 anos de idade e hoje tenho 48 anos), dessa falta de atitude e de interesse político por parte do governo, da incompetência desses energúmenos, do uso da imagem do PEB visando outros interesses, de acordos desatrosos motivados por interesses políticos como o que gerou essa aberração chamada  Alcântara Cyclone Space (ACS), de promessas vazias, de prazos nunca cumpridos e de tantos outros erros cometidos por diversos governos após o governo do ex-presidente José Sarney, único presidente civil que realmente deu alguma contribuição para o PEB. Assim sendo, após muito refletir sobre toda essa situação e chegar a conclusão que não existe mais luz no final do túnel, resolvi que caso esse ultimo prazo divulgado na mídia para o lançamento de do VLS-1 (final de 2013) não seja cumprido, em 31 de dezembro desse mesmo ano o blog “BRAZILIAN SPACE” estará encerrando suas atividades. Aproveitamos para parabenizar aos hermanos argentinos, ao seu governo e principalmente aos seus pesquisadores e técnicos pela visão, seriedade e compromisso com que tens conduzido o seu programa espacial nacional. Parabéns a todos vocês.

Traducción para el Español:

Comentario: Pues es caro lector, decir lo que? Mientras nuestro Programa Espacial camina en dirección a horizontes cada vez más sombríos, el programa espacial de los hermanos argentinos sigue avanzando, ahora inclusive con un acuerdo con a China que prevé hasta explotación interplanetária.  Confieso que estoy cansado de eso todo (acompaño el Programa Espacial Brasileño desde los míos 7 años de edad y hoy tengo 48 años), de esa falta de actitud y de interés político por parte del gobierno, de la incompetencia de esos energúmenos, del uso de la imagen del PEB visando otros intereses, de acuerdos desatrosos motivados por intereses políticos como lo que generó esa aberração llamada  Alcântara Cyclone Space (ACS), de promesas vacías, de plazos nunca cumplidos y de tantos otros errores cometidos por diversos gobiernos después del gobierno del ex-presidente José Sarney, único presidente civil que realmente dio alguna contribución para el PEB. Así siendo, después de mucho reflejar sobre toda esa situación y llegar la conclusión que no existe más luz a finales del túnel, resolví que si ese ultimo plazo divulgado en la mídia para el lanzamiento de de el VLS-1 (final de 2013) no sea cumplido, en 31 de diciembre de ese mismo año el blog “BRAZILIAN SPACE” estará concluyendo sus actividades. Aprovechamos para parabenizar a los hermanos argentinos, a su gobierno y principalmente a sus investigadores y técnicos por la visión, seriedad y compromiso con que has conducido su programa espacial nacional. Enhorabuena a todos vosotros.

Comentários

  1. TAMBEM...NUNCA MAIS VOU QUERER SABER DE FOGUETE...ALIÁS TALVEZ TE ME MUDE ATE LA PARA O PARAGUAI!

    ResponderExcluir
  2. Pois é Anônimo,

    Isso eu não posso e não quero fazer, pois amo meu país apesar de tudo, mas lamento profundamente toda essa situação.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  3. Tambem gostaria de ver VLS-1 sendo lancado (e acho que os voos de qualificacao irao acontecer), mas nao e possivel negar que o VLM tambem e um projeto que representa grande esperanca para o PEB. Ainda mais com as noticias de um provavel lancamento antes de 2015.

    Alem disso, tudo indica que com as extensoes do projeto VLM confirmadas, ele tera capacidade parecida ao VLS-1, sera mais simples de produzir, tera pecas fabricadas em parceria com o setor privado. Alem disso, ja existe o interesse de muitos clientes (paises).

    Poderia o VLM ser a rendencao do PEB?

    ResponderExcluir
  4. Caro Anônimo!

    Lançar o VLM-1 antes de 2015 é pura falácia, acredite, não existe essa possibilidade. Quanto ao VLS-1, tudo indica amigo que o projeto foi abandonado e só será lançado se o DCTA/IAE em conjunto com o COMAER lutarem com todas as forças a seu favor.

    Quanto a sua pergunta, eu não diria redenção, mas certamente seria um bom começo que poderia levar o PEB a novos rumos.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  5. Eu era ainda um adolescente quando tomei conhecimento do VLS.Fiquei entusiasmado.Desde então foi só decepção.Hoje estou na meia idade e rezo para que pelo menos possa ver o VLM satelizar uma carga. Colocar um veículo de laçamento num mercado altamente competitivo seria uma recompensa ao esforço solitário daqueles que se dedicam à ciência e à tecnologia num país de mentalidade tacanha.

    ResponderExcluir
  6. Olá Anônimo!

    Eu tinha sete anos amigo, quando soube que o Brasil tinha um programa espacial. Hoje tenho 48 anos, ou seja, acompanho o PEB a 41 anos. Se minhas suspeitas estiverem corretas, o VLS-1 já era e o VLM-1 tem alguma chance de ser desenvolvido devido o envolvimento do DLR alemão. Entretanto, nada é certo no PEB e sendo assim, vamos aguardar os acontecimentos.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  7. Tomara que um pouco de competição saudável com los hermanos sirva de ímpeto para o PEB. Quiçá uma mini corrida espacial sul-americana?

    ResponderExcluir
  8. Olá Felipe!

    Isso só aconteceria se houvesse gente de visão no Governo DILMA, entretanto isso não acontece.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  9. hola

    hace pocos dias aparecio un archivo que la FAA presento al CENTRO SUPERIOR DE ESTUDIOS DE LA DEFENSA NACIONAL de España junto a su par español se llama " LOS ÁMBITOS NO TERRESTRES
    EN LA GUERRA FUTURA: ESPACIO"
    en este archivo se explica el proyecto ISR de la FAA (nano/microsatelites,uav extratosfericos,etc)

    hablando sobre inyectores satelitales el primer paso es desarrollar un LANZADOR DE NANOSATELITES con capacidad para poner un n-sat de 10kg a corto plazo(mucho antes que el tronador 2)y luego evolucionar hacia un lanzador de microsatelites ambos lanzadores con combustibles solidos.

    link del archivo :http://www.defensa.gob.es/ceseden/Galerias/destacados/publicaciones/monografias/ficheros/128_LOS_AMBITOS_NO_TERRESTRES_EN_LA_GUERRA_FUTURA_ESPACIO.PDF

    saludos.

    ResponderExcluir
  10. Estimado Fernando López!

    Gracias de nuevo por la información.

    saludos,

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  11. Prezado Duda
    Entendo bem sua reação de indignação com os caminhos do PEB e seu desejo de por um fim em sua participação. Já me senti assim várias vezes. Quando a MECB foi criada eu estava no terceiro ano da faculdade e, a partir daí (1976), dediquei toda minha vida profissional ao PEB. Fui responsável pelo projeto do sistema de controle do VLS e teria todo o interesse em vê-lo concluir sua missão. Mas o problema do PEB é bem mais complexo do que se pode discutir em poucas linhas. Como exemplo disso lhe digo que se o governo hoje simplesmente colocasse um monte de dinheiro VLS sem nenhuma outra ação, isso praticamente não mudaria quase nada com relação ao VLS.
    Na minha opinião o VLS já deveria ter sido cancelado há anos e investirmos no VLM - que a essa altura já estaria pronto.

    Esse foro de discussão é muito importante -sei q as autoridades o leem - pois mobiliza muitos cidadãos a se interessarem concretamente sobre o PEB. Em 1997, pouco antes do lançamento do primeiro VLS, jornalistas de Brasília criticaram o PEB abertamente dizendo que o país não precisava disso. Articulistas de nome ridicularizaram a falha do VLS chamando-o de foguetinho Caramuru (referência ao fogo de artifício). Como vc pode ver não é só o governo que não dá valor ao PEB, só um grupo de abnegados como nós.

    Muitas mudanças estão sendo propostas hoje ao PEB. Ainda não sei exatamente onde isso vai dar, mas se for na direção certa, contem comigo.

    ResponderExcluir
  12. Olá Waldemar!

    Eu entendo sua posição, mas permita-me discordar em parte. Quando eu digo que a culpa disso tudo é do governo, não me refiro somente a parte orçamentária do programa, mas o todo.

    Desde o início da década de 90 representantes do PEB circulam nos bastidores de Brasília participando de audiências públicas, conferências, reuniões com políticos do Congresso, da Secretaria de Assuntos Estratégicos, da Presidência, entre outros, sempre solicitando mudanças na estrutura do programa, recursos humanos e financeiros adequados, investimentos em infra-estrutura e chamando a atenção tanto do Congresso, como do poder Executivo, sobre o risco de sucateamento do programa que o Brasil estaria correndo, caso atitudes não fossem tomadas.

    Décadas de discussões que não levaram a nada, a não ser um caderno de sugestões produzido pela Câmara dos Deputados (isso devido a persistência do então deputado e agora senador Rodrigo Rollemberg) e outro produzido pela Secretária de Assuntos Estratégicos (fora o Documento da AAB) que até agora não serviram para nada de concreto.

    Num universo de total descaso e de grandes incertezas como esse Waldemar, é natural que sujam desligamentos de profissionais, algumas distorções e até discordâncias internas que ajudam também a prejudicar o andamento das coisas, principalmente se não houver uma liderança forte e focada em objetivos bem definidos.

    A mídia brasileira em sua grande maioria Waldemar, não sabe o que é Programa Espacial, e mesmo aqueles que tem algum conhecimento não se interessam pelo assunto pois estão cansados da falta de responsabilidade na divulgação de notícias sobre o PEB, insatisfação essa gerada pelos prazos que nunca são cumpridos.

    Sinceramente essas mudanças que estão sendo propostas, se implementadas, não acredito que surtam o efeito desejado, pois para que isso ocorra será necessário que o governo assuma um compromisso, coisa que como sabemos, não acontecerá.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

O CLA e Sua Agenda de Lançamentos Até 2022