China e Brasil Querem Renovar Acordo de Coop. Espacial

Olá leitor!

Segue uma matéria postada hoje (07/07) no site do jornal “Folha de São Paulo” destacando que o Brasil e a China negociam renovar acordo de cooperação em satélites.

Duda Falcão

Ciência

China e Brasil Negociam Renovar
Acordo de Cooperação em Satélites

FABIANO MAISONNAVE
DE PEQUIM
07/07/2012 – 05h31

O Brasil e a China começaram nesta semana as negociações para a renovação do programa de cooperação espacial, responsável pelo lançamento de três satélites nos últimos 24 anos.

A continuidade foi acertada no encontro recente entre a presidente Dilma Rousseff e o premiê chinês, Wen Jiabao, às margens da Rio+20.

Caso haja um novo acordo, ele só entrará em vigor após o lançamento de mais dois satélites no programa atual.

O CBERS-3 (Satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres, na sigla em inglês) deve entrar em órbita em dezembro, e o CBERS-4, em 2014.

INPE/Divulgação
Concepção artística do Cbers-2 em órbita
Chefe da comitiva que visitou Pequim nos últimos dias, o ministro da Ciência e Tecnologia, Marco Antonio Raupp, disse que o primeiro passo é a formação de um grupo de trabalho para fazer uma proposta. A meta é aprová-la em meados do próximo ano.

Outro objetivo da visita, segundo Raupp, que era presidente da AEB (Agência Espacial Brasileira) até virar ministro, foi "envidar esforços para que os CBERS-3 e CBERS-4 sejam lançados na data prevista. Chega de atraso". A previsão inicial era que o CBERS-3 fosse lançado em 2009.

O projeto de cooperação espacial é a parceria mais antiga entre Brasil e China. Já foram lançados o CBERS-1 (1999), o CBERS-2 (2003) e o CBERS-2B (2007). Todos produzem imagens da Terra para obter dados para áreas como agricultura e ambiente.

A comitiva brasileira também participou de reuniões para implementação de centros binacionais de biotecnologia, nanotecnologia e satélites meteorológicos.

Outro ponto da agenda em Pequim foi a implantação do Ciência sem Fronteiras para a China. O programa pretende enviar até 5.000 alunos brasileiros ao gigante asiático nos próximos três anos.

"A parceria com a China é importante porque o país está crescendo", disse Raupp na Embaixada do Brasil em Pequim."Quando você precisa estabelecer a base de um programa espacial, a associação com outro país que também está crescendo nessa área facilita o trabalho."


Fonte: Site do Jornal Folha de São Paulo - 07/07/2012

Comentário: Pois é leitor, infelizmente a visão continua opaca e tímida e as oportunidades que surgem deixadas de lado. Isso terá um custo no futuro e não será barato.

Comentários

  1. concerteza duda , lamentável ! com todos os problemas da crise mundial agrava ainda mais as coisas na nossa fraca gestão espacial brasileira

    ResponderExcluir
  2. Pois é João Paulo!

    Com a disposição da China já expressada pela mídia internacional de cooperar em todas as áreas espaciais com outras nações que tenham interesse, o Brasil se limitar a extensão do Programa CBERS, o desenvolvimento de um satélite meteorológico conjunto, e a implantação do Programa Ciência sem Fronteiras, é realmente frustrante diante das enormes oportunidades de cooperação espacial que poderiam ser estabelecidas entre os dois países. Lamentável!

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

O CLA e Sua Agenda de Lançamentos Até 2022