O Jornal "O Estado do Maranhão" e a Operação Falcão I


Olá leitor!

Segue abaixo mais uma matéria agora do jornal “O Estado do Maranhão” publicada hoje (28/04), destacando o lançamento da “Operação Falcão I” com o foguete FTB ocorrida ontem do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), no Maranhão.

Duda Falcão

Centro de Alcântara Lança com Sucesso
Foguete de Treinamento

Considerado perfeito, lançamento ocorreu na tarde de
ontem no CLA e cumpriu toda a programação de testes de
materiais e equipamentos previstos pela Operação Falcão I,
iniciada dia 19, para a certificação de tecnologia do FTB

O Estado do Maranhão
28/04/2010


Biaman Prado
O foguete, com 3,05 metros de comprimento,
não levou carga útil e atingiu mais de 30 km de altura

O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) lançou com sucesso, às 15H de ontem, o Foguete de Treinamento Básico (FTB), de pequeno porte, que foi desenvolvido pela empresa brasileira Avibrás. A campanha faz parte da Operação Falcão I, iniciada dia 19, com testes de materiais e equipamentos. O próximo lançamento de foguete deve acontecer no mês de julho.

A operação foi considerada perfeita. O foguete atingiu um apogeu de 31 km e 635 m de altura, caindo a uma distância de 17,30 km do local de lançamento em apenas 4 segundos de vôo.

Com tecnologia 90% nacional, o FTB não apresentou falhas e cumpriu e alcançou vôo perfeito, atendendo às expectativas da comissão de técnicos que acompanhou o processo. “Eu diria que tudo foi perfeito, do começo ao fim. Não houve falhas no sistema, muito menos na transmissão de dados”, afirmou o diretor do CLA, o coronel-aviador Ricardo Rodrigues Rangel. Acompanharam o lançamento o brigadeiro Maurício Pazini Brandão, do Departamento Científico e Tecnológico Espacial, e estudantes da primeira turma de engenheiros aeroespacial do ITA.

Treinamentos - De acordo com o coronel Rangel, a operação integra um conjunto de treinamentos iniciados no CLA há cerca de dois anos para aprimorar e testar os sistemas operacionais de protótipos – envolvendo telemetria e monitoramento -, além de preparar o centro para lançamentos de grande porte.

O lançamento do FTB foi o primeiro deste ano. A previsão é de que sejam realizados pelo menos mais quatro lançamentos ainda este ano, entre eles dois de médio porte, e um foguete VSB-30, que faz parte do Programa de Microgravidade da Agência Espacial Brasileira (AEB). Estão previstos também testes na Torre Móvel de Integração (TMI) – que está sendo reestruturada para lançamento de foguetes de grande porte, como o Veículo Lançador de Satélites (VLS), cuja primeira operação está programada para 2012.

Segundo o coronel Ricardo Rangel, o CLA está trabalhando em vários projetos na área espacial para modernizar o centro de lançamento. “Além de desenvolvermos os testes finais para a certificação do Foguete de Treinamento Básico, estamos focados no desenvolvimento de tecnologia que substitua a alemã, hoje utilizada em parte dos nossos produtos”, afirmou.

O Lançamento do Foguete de Treinamento Básico só foi possível por causa das condições climáticas e técnicas favoráveis. Para tanto, os ventos de superfície deveriam estar igual ou menor de 10m/s ou com chuvas moderadas menor ou igual a 10mm/h. As condições meteorológicas estavam sendo monitoradas desde a semana passada.

No vôo de testes, o foguete não levou carga útil científica, apenas tecnológica, e instrumentos para acompanhamento das estações de telemedidas, preparando, assim, as equipes para os próximos lançamentos.

MAIS

O FTB é um foguete mono-estágio, não guiado, com 3,05 metros de comprimento, pesando 67,8 kg/f incluindo 20,7 kg/f de carga útil. Seu motor propulsor é carregado com propelente sólido (combustível sólido), com a fase de decolagem de 4 segundos, alcançando mais de 30 km de altura e caindo no alto-mar a mais de 16 km da costa. Para o CLA, o sucesso desse lançamento significou o desenvolvimento de tecnologia aeroespacial brasileira, proporcionando ao Brasil capacitar os recursos humanos para alcançar sua independência tecnológica.


Fonte: Jornal O Estado do Maranhão - pág. 06 - 28/04/2010

Comentário: Agora leitor está confirmado pela foto acima que a estrutura que observamos em baixo do lado direito da mesma é a nova Torre Móvel de Integração (TMI) do VLS-1. Pelo que se pode notar a TMI já está com a sua estrutura montada e em breve deve iniciar os testes com a maquete do VLS-1. Vamos aguardar por maiores informações. Aproveito para agradecer publicamente mais uma vez a gentileza do leitor maranhense Edvaldo Coqueiro em ter enviado por e-mail a matéria acima.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial