INPE Divulga Dados Detalhados do Projeto PRODES


Olá leitor!

Segue abaixo uma noticia postada hoje (29/04) no site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) informando que o instituto concluiu o levantamento detalhado do desmatamento por corte raso para toda a Amazônia Legal no período de agosto/2008 a julho/2009.

Duda Falcão

Dados Detalhados do PRODES/INPE Confirmam
Estimativa de Desmatamento na Amazônia

29-04-2010

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) concluiu o levantamento detalhado do desmatamento por corte raso para toda a Amazônia Legal no período de agosto/2008 a julho/2009. Medido pelo PRODES (Projeto de Monitoramento do Desflorestamento na Amazônia Legal), após a análise de 400 imagens dos satélites LANDSAT, CBERS e DMC, o desmatamento no período foi de 7.464 km2.

Os dados confirmam a estimativa preliminar de 7.008 km2 divulgada pelo INPE em novembro de 2009. A diferença de 6,5% entre a estimativa e a consolidação da taxa de desmatamento está dentro da margem de erro de 10%.

Este resultado representa uma redução de 42% em relação ao mesmo período em 2007-2008. Trata-se da menor taxa anual desde que o INPE iniciou o monitoramento sistemático da Amazônia por satélite, em 1988.

Uma queda substancial e consistente do desmatamento vem sendo verificada desde 2004, quando foi criado pelo governo federal o Plano para Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia (PPCDAM). Parte desta redução se deve à iniciativa do INPE, que naquele ano criou o sistema de detecção de desmatamento em tempo real (DETER), permitindo aos órgãos de fiscalização tomar ações rápidas e eficazes de combate ao corte ilegal.

O DETER indicou no final de 2007 uma tendência de crescimento do desmatamento. Com base nos dados deste sistema, o governo federal adotou medidas para restringir a derrubada da floresta e o resultado foi a manutenção da queda do desmatamento.

Assim como o sistema DETER, o PRODES integra as ações do MCT no PPCDAM e é reconhecido como uma contribuição importante pela presteza e transparência na divulgação dos dados sobre o desmatamento na Amazônia Legal, que estão disponíveis na página www.obt.inpe.br/prodes.

A tabela abaixo apresenta a participação de cada Estado na taxa de desmatamento da Amazônia Leal em km2, de 2001 a 2009.


Foram registradas reduções nas taxas de desmatamento de todas as Unidades Federativas da Amazônia Legal, sendo substanciais as reduções observadas no Mato Grosso (-68%) e no Pará (-24%), estados que juntos contribuíram com cerca de 70% do desmatamento em toda a Amazônia Legal em 2008 e em 2009.

O Pará respondeu em 2008-2009 por 57% do desmatamento na Amazônia Legal, aumentando sua participação de 43% no período 2007-2008. No mesmo período, o estado do Mato Grosso reduziu sua participação no desmatamento total de 25% para 14%. O Maranhão em 2009 responde por 11% do desmatamento total, um ligeiro aumento em relação a 2008 quando sua participação foi de 10%. Rondônia manteve a tendência de queda desde 2004; em 2009 sua taxa de desmatamento foi menor que 1.000 km2/ano pela primeira vez desde 1988. Os demais estados somam 11% do desmatamento total na Amazônia legal em 2009.

Os gráficos a seguir apresentam as variações anuais do desmatamento desde 1998, e as taxas por estado na Amazônia Legal. Os dados detalhados podem ser obtidos no site www.obt.inpe.br/prodes.



Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas espaciais (INPE)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial