IAE Inicia Operação Iguaíba

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (19/11) no site do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), destacando que ontem 18/11 (como já havíamos informado no blog que aconteceria) foi iniciada oficialmente no Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), no Maranhão, a “Operação Iguaíba”.

Duda Falcão

IAE Inicia Operação Iguaíba

Campo Montenegro, 19/11/2012

No dia 18 de novembro de 2012, iniciou-se oficialmente a Operação Iguaíba. Às 09h50min uma aeronave C-99 do 1º/2º GT transportou os integrantes do IAE, DCTA e outros membros da equipe para o Centro de Lançamento de Alcântara (CLA). Esta Operação tem como objetivo realizar o lançamento e o rastreio do foguete de sondagem VS-30/ORION V10, portando uma carga útil tecnológica e científica com experimentos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), de forma a permitir além desses experimentos em voo suborbital, a transmissão e recepção das medidas realizadas durante esse voo.

Após a chegada ao Centro de Lançamento, todos os participantes foram instalados na Vila D. No dia 19 de novembro serão iniciadas as atividades de preparação para o lançamento, previsto para ocorrer entre os dias 10 e 13 de dezembro.



Fonte: Site do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE)

Comentário: Pois é leitor o IAE deu inicio a única operação de lançamento realmente significativa a se realizar no ano de 2012 em território nacional. E olha que (segundo eu soube) mesmo sendo uma missão suborbital de experimentos científicos e tecnológicos, encontrou serias dificuldades para a sua realização, pois teve de brigar com a AEB para que a agência liberasse recursos que permitisse o envio a Alcântara e estadia dos servidores envolvidos com a operação. Para aquele leitor que não conhece o VS-30/Orion, a parte amarela do foguete que se nota acima no logotipo da operação é o motor-foguete sólido brasileiro S30, já a parte esverdeada é o motor-foguete sólido norte-americano Improved Orion, e a parte vermelha é a plataforma de origem alemã onde serão acondicionados os experimentos científicos e tecnológicos brasileiros dessa operação e o cone é onde muito provavelmente fica alojado o paraquedas, mas nesse caso não tenho certeza.

Comentários

  1. Temos aí uma boa oportunidade de fechar o ano com chave de ouro. É uma ótima inicitiva.

    ResponderExcluir
  2. E eu que na minha inocência, pensei que a dificuldade de verba era em relação a passagens em voo comercial e hospedagem em hotel, e agora sabemos que o transporte foi feito em avião militar e a "hospedagem", na verdade é um alojamento também militar...

    Agora fica claro uma de duas coisas: a total falência do CLA, pois se a Aeronautica não tem verba própria para conduzir as missões previstas, incluindo o translado e hospedagem do pessoal, de que adianta? Ou então, o problema é burocrático, e a Aeronáutica possui a verba mas não pode aplicá-la com a necessária liberdade e eficiência.

    Qualquer que seja o motivo, isso é um absurdo!

    Mais uma vez, cabe ao pessoal de dentro do sistema e na base da situação, "botar a boca no trombone" e fazer esses absurdos cessarem.

    Vamos colocar tudo isso em "pratos limpos", colocar o dedo na ferida, divulgar os reais motivos dos problemas, para corrigir o rumo !

    #tenso.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

O CLA e Sua Agenda de Lançamentos Até 2022