INPE Estima 4.656 km2 Desmatados na Amazônia em 2012

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (27/11) no site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) destacando que o instituto estima 4.656 km2 desmatados na Amazônia em 2012.

Duda Falcão

INPE Estima 4.656 km2
Desmatados na Amazônia em 2012

Terça-feira, 27 de Novembro de 2012

A estimativa da taxa anual do desmatamento medida pelo PRODES, o Projeto de Monitoramento do Desflorestamento na Amazônia Legal realizado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), aponta que foram desmatados 4.656 km2 no período de agosto de 2011 a julho de 2012. É a menor taxa desde que o INPE começou a medi-la, em 1988.

Os novos dados do desmatamento foram apresentados pelo diretor do INPE, Leonel Perondi, e pelo coordenador do Programa Amazônia, Dalton Valeriano, durante evento realizado no Ministério do Meio Ambiente (MMA), em Brasília, na manhã desta terça-feira (27/11).

A taxa estimada em 2012 indica uma redução de 27% em relação ao período anterior, em que foram medidos 6.418 km2. A tabela abaixo apresenta a distribuição da taxa de desmatamento nos estados que compõem a Amazônia Legal.


O PRODES registra como desmatamento as áreas superiores a 6,25 hectares que tenham sofrido o corte raso, que é a remoção completa da cobertura florestal.

A taxa de 2012 foi calculada a partir do mapeamento das imagens do satélite inglês DMC-UK2 e do sensor LISS-3 do satélite indiano ResourceSat-1. Para gerar esta primeira estimativa, o INPE analisou imagens nas regiões onde foram registrados aproximadamente 90% do desmatamento no período anterior (agosto/2010 a julho/2011) e que também cobriram os 43 municípios prioritários (de acordo com o Decreto Federal 6.321/2007, atualizado em 2009), conforme mostra a figura abaixo.

Círculos mostram região mapeada pelo PRODES em
2012 sobrepostos aos municípios prioritários

Os gráficos e tabelas abaixo apresentam a série temporal do PRODES para a Amazônia Legal e por Estados da região.

(a) Média entre 1977 e 1988, (b) Média entre 1993
e 1994 e (d) estimativa

(a) Média entre 1977 e 1988,  (b) Média entre 1993
e 1994 e (d) estimativa

Variação relativa 2000 a 2012

Mais informações sobre o PRODES/INPE na página www.obt.inpe.br/prodes


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Comentários

  1. Opa!

    Vendo este artigo, acabei de pensar em mais um uso para um sistema semelhante ao Instant Eyes.

    Vocês já devem ter visto, aquelas chegadas de equipes de fiscalização e repressão, em helicópteros nas áreas de queimada ou desmatamento, só que o pessoal entra na mata rapidamente e foge sem muita chance de ser capturado.

    Agora imaginem esse sistema, usando câmeras sensíveis ao calor. Poderiam localizar os fujões e transmitir a localização para o pessoal em terra.

    Esse sistema tem muitas aplicações, e acho que foi uma das melhores idéias nessa área nos últimos tempos (tanto que ganhou prêmio).

    Aqui está o ponto de partida, e aqui a última notícia.

    Espero que alguém se inspire e desenvolva algo semelhante por aqui.

    Abs.

    ResponderExcluir
  2. Ótimo avanço para o Brasil, e os números não enganam. O país está se tornando numa referência na área de preservação (muito graças à tecnologia espacial).

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial