Especificação de Compra do SGDC Ainda Não Está Concluída

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada dia (23/11) no site “TELETIME” informando que a especificação de compra do “Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações (SGDC)” ainda não está concluída.

Duda Falcão

SATÉLITES

Especificação de Compra do Satélite
Brasileiro Ainda não Está Concluída

Sexta-feira, 23 de novembro de 2012, 16h41

Fontes que acompanham diretamente os trabalhos da Visiona, a joint-venture entre Telebras e Embraer para o projeto do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações (SGDC), informam que ainda não foi possível fechar o texto da RFP (request for proposal, ou pedido de propostas para contratação) do satélite. A expectativa é de que o SGBC estivesse operando até 2014. Entre os fatores que complicam uma definição da RFP está, sobretudo, a complexidade do projeto. Segundo especialistas do setor de satélite ouvidos por este noticiário e que têm experiência em contratações desse tipo, a quantidade de detalhes técnicos que precisam ser especificados é muito grande, sobretudo em um satélite com banda Ka. Há pouca experiência em contratações desse tipo no mundo, pois não são muitos os satélites com cobertura na banda, e a tecnologia envolve complicadores adicionais, pois é preciso especificar elementos ativos do satélite e detalhes sobre a quantidade e a cobertura dos feixes que serão usados para o serviço de banda larga. Uma vez lançado, não é possível fazer alterações significativas na configuração dos feixes.

Sem especificações muito cuidadosas, dizem os especialistas, o risco é comprar o que o fornecedor diz que é melhor, mas que não necessariamente refletirá as necessidades da operação. As minutas de RFP já estariam com mais de mil páginas. O problema no atraso é que o prazo de operação, de 2014, começa a ficar inviável. Normalmente, um satélite de comunicação geoestacionário, como é o SGDC, precisa de pelo menos três anos para ser produzido e lançado. E no caso brasileiro, paralelamente a isso, será preciso ainda construir o centro de operações, o parque de antenas e treinar o pessoal responsável por manter os serviços em funcionamento.

Recentemente, o ministro Paulo Bernardo deu declarações em que previa o satélite apenas para o final de 2014, prazo ainda assim considerado inexequível por especialistas no setor.


Fonte: Site TELETIME - http://www.teletime.com.br/

Comentário: Na realidade leitor, o tal do Paulo Bernardo calado está e assim deveria continuar, para pelo menos evitar de dizer besteira. Lamentável!

Comentários

  1. Nossa, que lambança. E os políticos querendo apressar o satélite para 2014, ano da Copa (que incrívelmente bate com o ano das eleições). Não investem no PEB e depois andam afoitos buscando soluções para não fazerem feio.

    Querem transferência de tecnologia, têm que agir depressa. Querem construir um satélite de "defesa nacional", mas vão comprar tecnologia do estrangeiro. Querem construir uma data de satélites rápido, mas sem lançadores nacionais. Querem alavancar com a industria nacional, mas fiam-se totalmente em empresas estrangeiras (ou vendem as nacionais).

    A novela dos satélites continua, e as contradições são para aprimorar o enredo. E vai entrar mais um personagem nessa longa saga satelital, o SGDC. É uma prévia do próximo episódeo.

    ResponderExcluir
  2. Como o Duda havia previsto no lançamento do projeto...

    Dizer mais o que?

    Apenas constatando, vejam o currículo no nosso Ministro das Comunicações, o Sr. Paulo Bernardo.

    O que esperar de um País que coloca um Geólogo (na teoria), como Ministro de Comunicações? Sendo que anteriormente já havia sido Ministro do Planejamento ???? Esses cargos não deveriam ser ocupados, no mínimo, por políticos formados em Engenharia e Economia respectivamente?

    Como temos acompanhado nos noticiários, o pessoal de alto escalão indicado pelo Lula e mantido pela Dilma, formaram mais uma quadrilha de corrupção em São Paulo, que tem muito a ver com aquele vídeo da Corrupção entre Brasil e China.

    Agora, como os vários exemplos do passado, basta que eles digam: "eu não sabia de nada" ou "não fui informada" e fica tudo certo !!! E eles continuam a agir sem problema nenhum !!!

    E alguém ainda tem esperança de que esse "governo" faça alguma coisa que preste em relação ao PEB ???

    Aqui no Rio estão montando um "movimento" para forçar o veto do projeto de redistribuição dos royalties do petróleo. Acreditem, é MUITA GRANA, mas vocês acham que o povo do Rio se beneficia com isso? Pensem novamente, perguntem aqueles moradores da região serrana que perderam tudo no ano passado, com mais de 900 mortes de uma só vez, e estão perdendo o que sobrou agora.

    Os políticos, não estão nem aí para esses problemas QUE MATAM PESSOAS. Que dirá um programa espacial.

    É por tudo isso que insisto: se o pessoal que está lá dentro, dessas instituições civis e militares que participam do PEB, não começarem a agir e EXIGIR ações corretas nessa área, corremos o risco de todo o PEB virar pó...

    É lamentável e preocupante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, mais uma pra caixa, agora o réu é o Lula:
      http://processual.trf1.jus.br/consultaProcessual/processo.php?secao=DF&proc=78070820114013400

      É chato ter que falar de política quando o assunto é o PEB, mas é impossivel não conectar os pontos e ver que no final está tudo ligado. 200 bilhões desaparecem por ano por causa da corrupção no país. O que não se poderia fazer no Brasil com esse dinheiro?

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial