IAE é Admitido no Fórum de Pesquisas de Aviação IFAR

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (15/10) no site do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), destacando que o instituto foi admitido no conceituado “Fórum de Pesquisas de Aviação IFAR”.

Duda Falcão

IAE é Admitido no Conceituado Fórum
de Pesquisas de Aviação IFAR

Campo Montenegro, 15/10/2012

No dia 13 de outubro de 2012, às 10:45 AM em Nagoia, Japão, ocorreu a apresentação do Instituto de Aeronáutica e Espaço na 3ª. reunião do IFAR (International Forum for Aviation Research).

O Cel Av Marcelo Franchitto, Subdiretor de Defesa do IAE, apresentou via vídeo-conferência os objetivos e propostas do IAE ao prestigiado grupo internacional de pesquisas de aviação. Conforme regras do fórum, dúvidas foram sanadas após a apresentação e passou-se à sessão de votação, na qual o Instituto de Aeronáutica e Espaço, foi admitido no IFAR por unanimidade.

O IFAR tem como objetivo a troca de informações e cooperação entre os membros a respeito de desafios na pesquisa da aviação mundial, propondo recomendações e tendências, apontando estratégias de pesquisas conjuntas (entre organizações internacionais) no futuro.

Entre os atuais membros do IFAR, destacam-se:

•    Aeronautical Research and Test Institute, VZLU, Czech Republic
•    Australian Gouvernment, Dept. of Defence, Defence Science and Technology Organisation, Australia
•    Budapest University of Technology and Economics, Hungary
•    Central Aerohydrodynamic Institute, TsAGI, Russia
•    Centro Italiano Ricerche Aerospaziali, CIRA, Italy
•    Chinese Aeronautical Establishment, CAE, China
•    CSIR-National Aerospace Laboratories, CSRI-NAL, India
•    French Aerospace Lab, ONERA, France
•    German Aerospace Centre, DLR, Germany
•    Institute for Aerospace Research, NRC, Canada
•    Japan Aerospace Exploration Agency, JAXA, Japan
•    Korea Aerospace Research Institute, KARI, Korea
•    Middle East Technical University, METU, Turkey
•    National Aeronautics and Space Administration, NASA, USA
•    National Aerospace Laboratory, NLR, Netherlands
•    National Institute of Aerospace Research, INCAS, Romania
•    National Institute of Aerospace Technology of Spain, INTA, Spain
•    Polish Institute of Aviation, ILOT, Poland
•    Swedish Defence Research Agency, FOI, Sweden
•    Technical Research Centre of Finland, VTT, Finland
•    Von Karman Institute for Fluid Dynamics, VKI, Belgium


Fonte: Site do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE)

Comentário: Já havia passado da hora, pois o Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) brasileiro vem se destacado há décadas no desenvolvimento de soluções Aeronáuticas e Espaciais de reconhecimento internacional. Parabéns ao IAE e a seus valorosos servidores civis e militares pelo reconhecimento, mesmo que tardio.

Comentários

  1. Aproveitando o ensejo, gostaria de saber a opinião do pessoALL, sobre essa questão de ter uma agência que englobe Aeronáutica e Espaço ou como parace ser a nossa atual uma AEB e um IAE separados. Vantagens, desvantagens...

    Eu em princípio acredito que apesar de as duas áreas dividirem tecnologias em comum, é melhor que cada uma se especialize na sua área.

    E então? nesse aspecto organizacional o PEB está bem encaminhado ou seria melhor unificar?

    Qual a sua opinião ?

    ResponderExcluir
  2. Caro Marcos!

    A NASA, por exemplo, atua tanto na área aeronáutica quanto espacial. A AEB é uma organização que tem como função agir como uma especie de controladora do programa e o IAE, o IEAv, IFI e o INPE são os órgãos executores, como a NASA que tem o JPL entre outros.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  3. É Duda, essa é uma das coisas que eu questiono.

    O nome é Agência Espacial Brasileira, então não é dela que devemos cobrar quando algo vai mal na área de Espaço?

    Nos Estados Unidos, por exemplo, se há algum problema grave à nível nacional nos campos de Aeronáutica ou Espaço, eles vão cobrar da NASA.

    Aqui é essa confusão. Se temos problemas no campo da Aeronáutica (e temos): Anac, DAC, IAE, quem responde? Se o assunto for Espaço: AEB, INPE, IAE novamente, quem responde?

    Se alguém não consegue enxergar que isso tá errado...

    Parece que gostam dessa confusão. Aí acontecem os acidentes aéreos por exemplo, e niguém assume a responsabilidade. Assim fica fácil.

    ResponderExcluir
  4. Caro Marcos!

    Rsrsrsr, as vezes cara eu fico realmente surpreso de onde você tira suas informações, pois você acaba fazendo uma salada que até eu fico confuso.

    Marcos, ANAC misturada com IAE, AEB, DAC, de que você está falando filho de deus?

    A AEB é uma organização que gere as atividades espaciais brasileiras na área de pesquisa e desenvolvimento tecnológico espacial. O IAE é um órgão que atua no desenvolvimento tecnológico aeronáutico e espacial e sua ligação com a AEB se restringe a área espacial, da mesma forma que o IEAv, o IFI e o INPE.

    A ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) é uma organização que gere as atividades aeronáuticas na área civil e não se envolve com desenvolvimento tecnológico. Quando existe um acidente tanto no Brasil como nos EUA instituições ligadas aos militares ou ao governo são chamadas para participar das investigações devido a sua grande experiência em acidentes e devido a sua infraestrutura, mas as organizações são distintas e tem objetivos completamente diferentes. Não misture as coisas.

    Entretanto, também acho que a AEB deveria ter mais autonomia e não deveria está ligada ao MCTI, e sim diretamente a Presidência da Republica ou como seria o ideal, elevada ao status de Ministério.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  5. Oi Duda,

    Alguns dos questionamentos que eu faço aqui, são mais para "levantar uma bola" pra você "cortar". Algumas das informações que você passou na resposta, eu já sabia, outras não, mas esse "debate" ajuda a divulgar um pouco as coisas.

    Mas, vamos combinar, que é uma verdadeira sopa de letrinhas é !

    E mais, pergunta para os parentes das vítimas de acidentes aéreos por exemplo, o que eles acham disso. Como "leigos" no assunto, dá a nítida impressão, que é muito cômodo manter essa situação, pois em caso de "emergência", vira um "jogo de empurra", e nós os leigos, ficamos no meio, sendo espancados.

    Eu prefiro as coisas bem simples, então, na minha visão "tosca" devia ser assim: problema relacionado com atividades espaciais, a responsável é a AEB. problema relacionado com atividades da aeronáutica civil, a responsabilidade é da ANAC.

    Se elas vão "terceirizar" alguma coisa, é problema delas, mas a palavra chave aqui é "RESPONSABILIDADE". Só assim deixaríamos de ser a "bolinha" no "jogo de empurra".

    Grande Abraço.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial