UnB Terá Sistema Russo de Monitoramento de Satélites

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada ontem (20/02) no site da “Universidade de Brasília (UnB)” destacando que a UnB terá Sistema Russo de Monitoramento de Satélites.

Duda Falcão

INOVAÇÃO

UnB Terá Sistema Russo de
Monitoramento de Satélites

Assinado no Palácio Itamaraty, com a presença do vice-presidente
Michel Temer e do premiê russo Dmitri Medvedev, acordo da
Universidade com empresa de tecnologia da Rússia prevê
instalação no campus da segun

UnB Agência
Cristiano Torres
Da Secretaria de Comunicação da UnB
20/02/2013

Edu Lauton/UnB Agência
Sônia Báo e Jury A. Roy, diretor geral da Corporação de
Pesquisa Científica e Produção, assinam acordo ao lado do
vice-presidente Michel Temer e do premiê russo Dmitri Medvedev

A Universidade de Brasília estabeleceu um acordo com a Corporação de Pesquisa Científica e Produção de Sistemas de Precisão e Instrumentos, da Rússia, para a instalação de um sistema de monitoramento de satélites no campus Darcy Ribeiro. O documento foi assinado pela vice-reitora da UnB Sônia Báo, no exercício da Reitoria, nesta terça-feira, 20 de fevereiro, na sede do Ministério das Relações Exteriores. A parceria foi oficializada em uma cerimônia da 6ª Reunião da Comissão de Alto Nível de Cooperação Brasil-Rússia. Estiveram presentes o vice-presidente da República Michel Temer e o primeiro-ministro russo Dmitri Medvedev. Também participou do encontro o diretor geral da empresa do país asiático, Jury A. Roy. O acordo foi acertado com a mediação de representantes da Agência Espacial Federal da Rússia (Roscosmos).

O sistema será o segundo da Rússia instalado na UnB. Na última terça-feira, foi inaugurada na Universidade a primeira estação fora do país asiático do sistema Glonass, semelhante ao GSP norte-americano. Leia mais aqui.

Michel Temer destacou os resultados favoráveis da parceria com a Rússia e a importância de iniciativas comuns para o desenvolvimento econômico e tecnológico. “Estive lá há dois anos e percebo que diversas ações agora trazem resultados, como a inclusão da nação no programa de intercâmbio de estudantes, professores e pesquisadores e as iniciativas de desenvolvimento tecnológico entre russos e brasileiros”, ressaltou.

“Temos uma relação com o Brasil que se amplia, basta ver que nossos encontros são cada vez mais freqüentes”, afirmou o premiê Dmitri Medvedev, que lembrou a importância de buscar alternativas para combater os efeitos negativos da crise econômica mundial. “Em nossas conversas encontramos novos vetores de trabalho e intercâmbio – além do tradicional comércio agropecuário – como o investimento em energia elétrica e nuclear e a pesquisa em novas tecnologias, como a ciência aeroespacial”, destacou.

Edu Lauton/UnB Agência

Foram acertadas parcerias em outras sete áreas: comércio, defesa, esporte, economia agropecuária, desenvolvimento urbano, políticas públicas para pequenas e médias empresas e educação, inclusive a adesão da Rússia ao Programa Ciência sem Fronteiras, que envia estudantes de graduação e pós-graduação ao exterior e permite o intercâmbio de professores e pesquisadores.

PROJETO – Com o acordo entre a UnB e a empresa da Rússia será instalado no campus Darcy Ribeiro um sistema ótico a laser para localizar veículos espaciais (satélites). Um grupo de 60 países já participa do projeto, que vai agora contar com a participação do Brasil. “Para nós, é estratégico o envolvimento do país, dada às condições de observação do céu que o Brasil oferece”, esclareceu o diretor-geral da empresa russa Jury A. Roy.

Uma reunião que ocorreu na UnB, na segunda-feira, 18, permitiu os acertos finais da parceria. Estiveram na Universidade com a vice-reitora Sônia Báo, em exercício da Reitoria, o vice-representante no Brasil da Roscosmos, Gennady Saenko, o diretor geral da empresa, Jury A. Roy, o vice-diretor Yuriy Milovanov e a chefe de departamento Irina Orlovskaya. O coordenador do Laboratório de Biomédica (LAB), professor Ícaro dos Santos, também participou da reunião. 

“A estação emite um raio laser que é refletido pelo satélite e nos permite localizar com precisão o equipamento, bem como saber se o funcionamento do satélite está de acordo o previsto”, disse o coordenador do LAB. “O mais importante é que o projeto coloca a UnB na vanguarda da pesquisa em tecnologia de ponta no Brasil”, concluiu Sônia Báo.


Fonte: Site da Universidade de Brasília (UnB) 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial