Governo Libera Crédito Extraordinário para Projetos da AEB

Olá leitor

Foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) de hoje (26/02) crédito extraordinário para os projetos espaciais da Agência Espacial Brasileira (AEB). Veja abaixo o credito extraordinário como publicado no DOU.

Duda Falcão

ÓRGÃO: 24000 - Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação
UNIDADE: 24205 - Agência Espacial Brasileira
ANEXO I Outras Alterações Orçamentárias
PROGRAMA DE TRABALHO ( ACRÉSCIMO ) Recurso de Todas as Fontes R$ 1,00

2056 - Política Espacial

ATIVIDADES

* Desenvolvimento, Manutenção e Atualização da Infraestrutura Espacial – Nacional (Crédito Extraordinário) - R$ 3.910.848

* Desenvolvimento e Lançamento de Foguetes Suborbitais e de Veículos Lançadores de Satélites - Nacional (Crédito Extraordinário) - R$ 1.023.016

* Pesquisa e Desenvolvimento de Tecnologias para o Setor Espacial – Nacional (Crédito Extraordinário) - R$ 5.464.952

* Desenvolvimento e Lançamento de Satélites - Nacional (Crédito Extraordinário) - R$18.956.240

PROJETOS

* Implantação do Complexo Espacial de Alcântara - CEA - Nacional (Crédito Extraordinário) - R$ 28.566.485

ATIVIDADES

* Administração da Unidade - Nacional (Crédito Extraordinário) 833.333

TOTAL - FISCAL: R$ 58.754.874
TOTAL – SEGURIDADE:  0
TOTAL - GERAL: R$ 58.754.874

Pois é leitor, note o valor absurdo de R$ 1.023.016 acrescido aos R$ 28.253.078 que consta no orçamento de 2013 enviado ao Congresso para a área de Desenvolvimento e Lançamento de Foguetes Suborbitais e de Veículos Lançadores de Satélites”. Creio eu que eles fizeram a conta e chegaram conclusão que o valor anterior não seria suficiente para a realização mínima dos projetos dessa área e muito menos da “Operação Santa Bárbara” do VLS-1 que comerá grande parte desses recursos, e assim fizeram a retificação fechando o caixão.

Veja no DOU esse acréscimo extraordinário clicando aqui

Veja o orçamento enviado ao Congresso clicando aqui

Duda Falcão


Fonte: Diário Oficial da União (DOU) – Seção 1 – Pág. 134 – 26/02/2013

Comentários

  1. Sempre que saí esse tipo de reportagem com toda programação de divisão de cífras para o PEB, fico apreensivo com a possibilidade de ser testemunha, na dotação, tipo contra-gotas que estabelece os parcos valores para os devidos projetos, dando a perceber que se mantém a mesma crise prejudicial no setor espacial, mas até agora prevalece as células malígnas que vivevem no destrito federal.Acredito que a classe científica sofre mais com a crise. Os muitos ricos, que nadam fácil na grana e, portanto, suas ações para aumentarem seus capitais, não serão afetadas, muito pelo contário.O relógio da verdade, que sempre ficou camuflada , para muitos que vivem como "Tio Patinha", já foi acionado pelos dedos mágicos da população, que observam, sentados nesta arena, vendo sua própia imagem , serem abocanhadas por essas elementos que disseram em seus juramentos, amar o nosso querido BRASIL! Aprendi como brasileiro, em amar o Programa Espacial do Brasil,a conquista do espaço.Exigir a reciprocidade dos meus semelhantes é mera fantasia, posso apenas dar boas razões para que gostem ou não das minhas críticas, e ter paciência para que a justiça da vida, faça o resto, é só esperar e testemunhara também o que estou prevendo!

    ResponderExcluir
  2. Meu maior temor, é que a trajédia de 2003 se repita.

    A principal causa daquela, a falta de verbas, parece estar ainda pior, pois agora existem outros projetos (como o VLM), a dividir as migalhas.

    Muito preocupante.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial