Mais Sobre a Lamentável Passagem do Amorim Pelo ITA

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada dia (25/02) no site do Ministério da Defesa (MD) destacando que o Ministro Celso Amorim anunciou ontem no ITA que a retomada dos voos do VLS-1 ocorrerá “muito em breve”.

Duda Falcão

Notícias do MD

Celso Amorim Anuncia para “Muito Breve”
a Retomada dos Voos do VLS

Assessoria de Comunicação
Ministério da Defesa (Ascom)
(61) 3312-4070
25/02/2013

Fotos: Felipe Barra
São José dos Campos (SP), 25/02/2013 – O Brasil retomará o projeto de lançamentos de satélites e microssatélites para “muito breve”. O anúncio foi feito nesta segunda-feira, pelo ministro da Defesa, Celso Amorim, durante aula magna para 124 alunos aprovados no curso do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA). Segundo Amorim, “projetamos a retomada dos voos do VLS [Veículo Lançador de Satélite], já que neste ano terá seu primeiro ensaio elétrico”.

“Na sequência teremos o lançamento do VLM [Veículo Lançador de Microssatélite]. Nesses e em outros programas que envolvem a cooperação junto a parceiros do mundo desenvolvido, o princípio do fortalecimento tecnológico da base industrial brasileira constitui uma referência permanente”, explicou o ministro sem querer determinar prazo para a retomada.

Amorim iniciou a palestra para os alunos explicando que por sua formação na área de humanas poderia cair em lugar comum com um discurso para estudantes que têm a base nas ciências exatas. Por isso, conforme explicou, convidou-os a uma reflexão sobre como a política de defesa brasileira “pode se preparar para os desafios futuros”.

“Assim, ainda que vocês não estejam particularmente interessados pela política mundial, saibam que a política mundial se interessará pelos progressos que vocês farão”, disse.

A partir daí, Celso Amorim foi expondo para os acadêmicos os movimentos de formação de blocos econômicos e políticos. O ministro lembrou da criação do Mercosul, em 1991, quando Brasil, Argentina, Chile e Uruguai se uniram para intensificar o comércio e interagir suas cadeias produtivas, passando a contar com a Venezuela, no ano passado, e a Bolívia que em breve deverá se integrar ao bloco.

O ministro destacou mais recentemente a União das Nações Sul-Americanas (Unasul), que expandiu a integração para o campo político. Segundo Amorim, a decisão de criar a Unasul levou em consideração o fato de que o mundo é atualmente organizado ao redor de grandes blocos.

“A União Europeia, apesar de todas as dificuldades por que tem passado, é, evidentemente, um grande bloco; os Estados Unidos são um bloco em si; o mesmo ocorre com a China e, até certo ponto, com a Índia; outras regiões, embora em estágios distintos de integração, tratam de agrupar-se, como a União Africana e a Associação das Nações do Sudeste Asiático (Asean)”, explicou.

Celso Amorim entremeou a palestra entre o improviso e o texto preparado para a aula magna. Durante pouco mais de 50 minutos, o ministro destacou a aproximação do Brasil com a África, bem como a integração das nações sul-americanas com o Caribe e a América Central.

No discurso, mencionou a participação das Forças Armadas nas missões de paz sob liderança da Organização das Nações Unidas (ONU), na mobilização dos governos do Brasil e da Turquia no embate sobre o programa nuclear do Irã e voltou a defender mudanças no Conselho de Segurança da ONU que permitam a inclusão de novos integrantes, como por exemplo, o Brasil.

Amorim também enfatizou a presença brasileira no extremo sul do atlântico, na Antártica, “onde a reestruturação da Estação Comandante Ferraz já está em curso”. E seguiu: “Atlântico Sul e África são dois espaços de natural presença brasileira”.

Na palestra, o ministro lembrou, ainda, de sua passagem pelo Ministério da Ciência e Tecnologia, quando foi assessor internacional daquela pasta.

Novos Cargos

Durante a aula magna, Celso Amorim informou que foi autorizada a contratação de 800 novos cargos no Centro Técnico Aeroespacial, fato que “dará novo ímpeto a esse setor absolutamente estratégico para a modernização de nossa defesa”. Lembrou que isso é fruto de parceria firmada com o Ministério da Educação.

“O ITA é uma referência nacional e internacional como instituição de excelência na área de ciência e tecnologia. Os trabalhos e pesquisas desenvolvidos nesse instituto foram e são motivo de orgulho para todos os brasileiros, e têm merecido crescente atenção no governo da presidenta Dilma Rousseff”, destacou.

Após a palestra, Amorim, na companhia do comandante da Aeronáutica, brigadeiro Juniti Saito, do reitor do ITA, Carlos Américo Pacheco, e de oficiais da Força Aérea, percorreu as dependências da instituição. No trajeto, o ministro conversou com um grupo de alunos que destacou a importância do instituto na formação profissional militar e civil.



Fonte: Site do Ministério da Defesa (MD)

Comentário: Tenha santa paciência Sr. Amorim, o seu governo de energúmenos por três anos seguidos tem profundamente prejudicado o lançamento do VLS-1 com orçamentos ridículos e irresponsáveis (foguete este que só para lembrar ao leitor está pronto para ser lançado desde o final de 2011, esperando a realização de uma operação que envolveria testes da maquete do foguete com a Torre Móvel de Integração (TMI) e o Sistema de Navegação do veículo (SISNAV), mas que por falta de recursos foi obrigado a dividir essa operação em duas, sendo que a primeira foi realizada em 2012 (Operação Salinas) e a segunda ainda não foi realizada (Operação Santa Bárbara)), enquanto no ano passado vocês liberaram R$ 135 milhões (veja a nota: "Governo Aumenta Capital da Cyclone Space") para o capital dessa desastrosa empresa ACS, criada irresponsavelmente sob a batuta do governo do seu ‘companheiro’ e endossada por esse governo desastroso da presidente Chucky. Que ‘cara de pau’ o senhor tem, tenha pelo menos compostura e responsabilidade, afinal o senhor estava falando para jovens inexperientes que realmente acreditam na estória do “BRASIL Grande Nação” e que bem ou mal são o futuro do Brasil. E o mais triste disso é que este senhor ainda consegue ter IBOPE de uma instituição séria como o ITA, perambulando pelas instalações do mesmo como convidado de honra. Realmente é muito triste e é por essas e outras que não acredito mais nesse país, pois o mesmo está nas mãos de gente que não vale nada. Mais um evento lamentável protagonizado por esse governo e pelo senhor Celso Amorim. Revoltante.

Comentários

  1. Os jovens brasileiros são muito generosos e doam com educação um atendimento exemplar, creio que a maioria, que está perto da nata tecnológica, sabe que as palavras não encantam a pura realidade que o PEB sobrevive, independentemente de todos os empecilhos legais e burocráticos. Claro que, se houvesse uma verdadeira transparência financeira e responsável com os projetos, as coisas seriam diferente para o BRASIL. Assim o poder de transformação mental dos futuros engenheiros, seria gratificante, garantindo qualidade e execução física na maioria dos desafios do PEB. Não conheço os bastidores políticos da lei, por isso posso apenas especular quanto as suas intenções com o país, mas esse limite me parece tão além, que não faz sentido imaginar tamanha aberração. A maioria deles morreriam realmente pelo Brasil!
    Este é o grande momento dos futuros engenheiros, pensarem realmente em produzir para o bem do país. Irão realizar com seus conhecimentos, resultados robusto e sustentável para o PEB, apesar dos obstáculos sempre existirem. O primeiro é a desculpa de falta de dinheiro, geram em nós brasileiros, a verdadeira desconfiança na maioria dos cidadões nas grandes organizações da sociedade cívil e principalmente militar. Há muito dinheiro que deixa de ser investido em ciências, porque os governantes assim o querem, até quando está restrição ao Programa Espacial?
    O segundo obstáculo são as leis de prioridades para o andamento das conclusões do VLS, SARA, e muitos outros projetos, que estão encalhados a decádas. Assim como fazem divesificando os aportes de ecolha sem critérios social emergentes, caso do PEB. Sim, mas a motivação para quem idealizam esses projetos de extrema impotância, se traduz para muitos em dinheiro, que se faz necessário na utilização e transformação, em inúmeras pesquisas no sentido de que tudo funcionem a contento.

    ResponderExcluir
  2. É como eu digo...

    Se as "alta esferas" dentro do ITA compactua com esses atos insólitos, eles devem estar gostando do que estão vivenciando.

    Acredito que não foi esse diplomata que se auto convidou para a aula magna, e nem foi ele que saiu entrando no ITA para um passeio.

    Cumprir protocolos, eu até entendo, mas se houvesse pulso firme dos interessados, jamais o convidariam, e se ele fosse imposto, deixariam este senhor falando sozinho, e sem ninguém pra mostrar os caminhos dentro do ITA.

    Sabemos que vergonha na cara, não existe, mas acho que ainda resta um pouco de "se mancol". Ele nunca mais apareceria por lá.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial