"Estamos Sozinhos no Universo?", Palestra no LNCC

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (25/02) no site do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) destacando que dia 19/03 será ministrada no campus do Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), em Petrópolis (RJ), pelo Dr. Douglas Galante (um dos maiores especialistas brasileiros em Astrobiologia) uma interessantíssima palestra onde o tema será: "Estamos sozinhos no Universo?".

Duda Falcão

"Estamos Sozinhos no Universo?",
Pergunta Palestra no LNCC

Ascom do LNCC
25/02/2013 - 14:50

Para iniciar a agenda de palestras de 2013, o Fique por Dentro traz à tona uma das perguntas mais antigas que a humanidade se faz: "Estamos sozinhos no Universo?" A série é realizada pelo Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC/MCTI) em seu campus, em Petrópolis (RJ).

Na tentativa de responder a essa e outras questões extremamente complexas da natureza – como a origem da vida –, foi criado um campo de pesquisa chamado astrobiologia, que reúne pesquisadores de diferentes áreas, trabalhando em colaboração.

O tema será abordado pelo professor Douglas Galante, doutor em astronomia pelo Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da Universidade de São Paulo (USP). Ele falará sobre a vida em nosso planeta e fora dele, a astrobiologia e seu papel na modernidade, indícios de vida extraterrestre em nosso universo e o que é necessário para ser um astrobiólogo.

A palestra, no dia 19 de março, buscará esclarecer o papel destes exploradores modernos que vasculham a vida em nosso planeta, desde as profundezas oceânicas até o alto das montanhas, procurando entender como ela surgiu, evoluiu e, em muitos casos, extinguiu-se, com o passar dos bilhões de anos da Terra.



Fonte: Site do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) 

Comentários

  1. Não acredito por que eu acredito na ciência. A ciência só acredita em PROVAS e CÁLCULOS.
    Vamos analisar a frase:
    O universo é uma imensidão e não teria lógica se houver vida somente aqui na Terra.
    Concordo. É uma bela frase de efeito dita por Carl Sagan.

    Mas conforme os últimos estudos feitos por telescópios que abrangem quase todo o espectro eletromagnético e não só os 1/9 que é a radiação visível, se chegou a dados estarrecedores.
    Vejamos:
    A maioria das estrelas são do tamanho do planeta Terra e quase todas elas são ainda menores que a Terra. E este tipo de estrela não comporta ter um sistema com planetas que possam ter vida.
    E das estrelas que sobram, muitas são gigantes vermelhas, gigantes azuis e estrelas de nêutrons que não podem ter vida se possuírem um sistema estelar.

    Ainda temos que descartar que nos lugares onde há maior concentração de estrelas algumas até com sistemas planetários estão próximos ao centros galáticos. E que as estrelas destas regiões emitem quantidades fabulosas de radiações ionizantes que esterilizam qualquer planeta impedindo que a vida possa aparecer.
    Então sobram destas milhares e milhares de estrelas alguns poucos milhões de estrelas que estão em galáxias com braços. (A nossa é quadribráquea ou seja tem 4 braços).
    E que as galáxias globulares e de outros formatos não tem condições de abrigar sistemas planetários com vida, pelas razões já expostas.
    Então sobram apenas as estrelas que estão em posição mediana dos braços das galáxias e nas proximidades das pontas.

    E que tais sistemas para que ocorra o aparecimento de vida tem que ter além disso outras características pouco comuns, como por exemplo, ter um planeta em condições de abrigar a vida.

    E que neste planeta tem que ter eixo inclinado para ter estações, campo gravitacional para evitar as radiações ionizantes da estrela (no sistema solar o único planeta que tem é a Terra).

    E mais ainda, deriva dos continentes, água nos 3 estados físicos ao mesmo tempo, atmosfera oxidante e outras características que são inúmeras e muito importantes, mas esta resposta iria ficar muito longa.

    Tudo que falei podem pesquisar na internet em sites científicos para que comprovem a importância dos fatores que escrevi. Mesmo que não acreditem, mas só pra citar um, se a Terra não tivesse deriva dos continentes, não haveria vida aqui em nosso planeta. É muito bom aprofundar o conhecimento sobre a vida. Eu também não acreditei no que lia, mas depois me convenci.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só acrescentando o que falei,deem uma olhada no PARADOXO DE FERMI na wikipédia:

      http://pt.wikipedia.org/wiki/Paradoxo_de_Fermi

      Excluir
  2. o problema não é se existe vida inteligente fora da terra ou não , e sim as enormes distâncias do universo provavelmente nunca saberemos. talvez só depois de algumas viagens interplanetárias 100 anos luz ou mais

    ResponderExcluir
  3. Olá ! Uma noticia sobre VLS
    http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2013/02/amorim-diz-que-brasil-retomara-projeto-de-lancar-satelites-em-breve.html

    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Encontrar vida extraterrestre é só uma questão de tempo....centenas de planetas orbitando outras estrelas já foram encontrados, inclusive um planeta com a massa da Terra orbitando Alpha Centauri B...........http://www.eso.org/public/news/eso1241/
    Estamos amadurecendo tecnologicamente e teremos mais condições de detectar mais planetas.........e enfim teremos o primeiro contato com vida inteligente.
    Miraglia
    www.edgeofspace.org

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial