IEAv Domina Tecnologias-Chave Para Autoignição e a Combustão Sustentável de Um Motor Scramjet.

Olá leitor!

Segue uma nota postada recentemente no site do Instituto de Estudos Avançados (IEAv) destacando que o instituto domina tecnologias-chave para autoignição e a combustão sustentável de um Motor Scramjet.

Duda Falcão

O Instituto de Estudos Avançados Domina Tecnologias-Chave Para Autoignição e a Combustão Sustentável de Um Motor Scramjet.

IEAv - Instituto de Estudos Avançados


O Instituto de Estudos Avançados, IEAv, conquistou recentemente um importante avanço para o domínio do voo hipersônico aspirado. Pela primeira vez no País, foram conseguidas e dominadas tanto a autoignição como a combustão sustentável em um motor scramjet. Os testes foram realizados no túnel de vento hipersônico T3 do IEAv, tendo o motor sido aceso com sucesso nos dois regimes de voo a que foi submetido: a Mach 7 e a Mach 9. Tais avanços e conquistas tecnológicas foram obtidos com o financiamento da FINEP, por meio do projeto “Combustão Supersônica Assistida por Laser com Aplicação Aeroespacial”.

“A ideia inicial do projeto era somente realizar estudos sobre a ignição com o uso de lasers, mas o projeto superou todas as expectativas e conquistou a autoignição do motor scramjet e, com isto, passou a ser uma base de dados para o desenvolvimento do Veículo Hipersônico Brasileiro 14-X”, afirmou o coordenador do projeto Dr. Antonio Carlos de Oliveira.

Os dados de pressão ao longo de todo o scramjet, bem como as imagens obtidas com as câmeras de alta velocidade, vêm sendo agora utilizados para a validação dos códigos em fluidodinâmica computacional (CFD), os quais estão sendo desenvolvidos para o projeto do 14-X. Neste sentido, o sucesso do 14-X depende, em muito, da capacidade de simular computacionalmente as condições extremas do voo hipersônico, tendo, na validação dos códigos, um ponto crucial.

“Recentemente o IEAv tem conseguido grandes conquistas nas mais diferentes áreas do conhecimento e do domínio de tecnologias estratégicas e disruptivas para o Brasil, dentre as quais, aquelas referentes ao vôo hipersônico têm se mostrado de grande projeção mundial. Nessa jornada em busca do conhecimento e das fronteiras tecnológicas, a FINEP se apresenta como uma grande incentivadora e potencializadora de nossos resultados, os quais colocam o Brasil em lugar diferenciado no Mundo, tanto em termos acadêmicos e tecnológicos, como também em termos de soberania, no equilíbrio geopolítico mundial. Com o domínio e a superação de mais esses gargalos tecnológicos, a autoignição e a combustão sustentável em um motor scramjet, o IEAv deu mais um passo significativo no domínio de tecnologias hipersônicas aspiradas, conquistando lugar de respeito e considerável no Mundo, frente às nações mais desenvolvidas.”


Fonte: Site do Instituto de Estudos Avançados (IEAv)

Comentário: Bom leitor, o IEAv esta de parabéns e pelo que parece o instituto tem realmente avançado nessa área de hipersônica nos últimos dois anos e espero poder em novembro próximo conferir presencialmente este e outros avanços tecnológicos deste instituto de vanguarda brasileiro. Entretanto gostaria de fazer algumas perguntas a FINEP. Onde estavam vocês quando a FAB cancelou o Projeto SARA do IAE (entre outros) por falta de verbas ???? Há Duda não foi nossa culpa, não fomos procurados, ou coisa semelhante. Desculpe-me, mas a FINEP é um órgão de fomento e não devia se esconder por detrás da falta de atitude dos outros, principalmente quando está em jogo o desenvolvimento científico e tecnológico de projetos cruciais para o país, como era o Projeto SARA, como era o Projeto do motor-líquido L15 e tantos outros projetos importantes que sugiram ao longo de décadas e desapareceram enquanto vocês aguardavam que alguém seguisse o caminho burocrático. Não existe um governo multifacetado em países sérios, existe sim um único governo, onde os seus órgãos trabalham conjuntamente um ajudando o outro, e é assim que deveria ser no Brasil. Ou será que o presidente da FINEP não poderia fazer um contato como a direção do IAE/IEAv/INPE, etc....  se colocando a disposição para ajudar???? Será que custaria tanto assim ter iniciativa? Ou o presidente da FINEP sequer sabia da existência e da importância desses projetos citados? O PEB é ou não é importante para o país? Qual é o compromisso que esse órgão tem com o real desenvolvimento da C,T&I brasileira? Ou a questão aqui é bater o ponto e pegar o contracheque no final do mês???? Enfim... espero e torço realmente que a partir do Governo Bolsonaro essa cultura mude e que o servidor público entenda definitivamente a sua responsabilidade perante a sociedade, ou seja, que ele entenda que está no setor publico para trabalhar com eficiência, dinamismo e competência. Se este não é o seu interesse caro servidor, então deixe o setor publico, vá para o setor privado cuidar de sua vida e não cause mais prejuízos ao país.

Comentários

  1. O PEB e quem torce por ele parecia o filme de Indiana Jones no Templo da Perdição. Aquele povo sofrido, naquele templo sinistro.
    Vamos torcer que agora os mocinhos limpem esse cenário.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial