‘Para Ser Sincero, Não Sei Se Fica’, Diz Ministro da Ciência Sobre Diretor do INPE

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada dia (26/07) no site “Midiamax” destacando que segundo o nosso Ministro-Astronauta Marcos Pontes ele ainda não sabe se o Diretor (e não presidente) do INPE irá permanecer depois de suas intempestivas declarações.

Duda Falcão

‘Para Ser Sincero, Não Sei Se Fica’, Diz Ministro da Ciência Sobre Presidente do INPE

Marcos Pontes também defendeu o fechamento de dados que causarão 'confusão' entre Galvão e Bolsonaro

Por Nyelder Rodrigues
Midiamax
Em 17h47 - 26/07/2019

(Foto: Leonardo de França/Jornal Midiamax)
Ministro Marcos Pontes, no SBPC.

O ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, afirmou nesta sexta-feira (26) que ainda não sabe se o presidente do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Especiais), Ricardo Galvão, continua no comando do órgão. Pontes cumpre agenda na 71ª Reunião Anual da SBPC, realizada em Campo Grande.

Galvão protagonizou nesta semana discussão via imprensa com o presidente Jair Bolsonaro (PSL) por causa dos dados sobre o desmatamento na Amazônia. O estudo aponta aumento de 88% na degradação da área verde e foi criticado por Bolsonaro. Em seguida, Galvão respondeu ao presidente, pela imprensa, o que desagradou Pontes.

“Não conversei com ele pessoalmente ainda. Para ser sincero, não sei se fica ou não fica, se vai ter clima para ficar, pois depois de tudo criou uma situação que é complexa, bem desagradável. Vamos conversar”, pondera o ex-astronauta.

O ministro ainda diz que tem apreço pelo trabalho feito no Inpe e que o instituto poderá continuar a fazer o seu trabalho rotineiro, contudo, apresentou argumentos para contrapor os resultados apresentados pelos pesquisadores.

“O estudo que apresentou 88% no aumento do desmatamento comparou junho de 2018 e 2019, mas se fossemos comparar o mês de março, houve redução de 49%”, frisa o ministro, que em seguida se esquivo e não respondeu questionado se o acesso aos dados referentes a desmatamento no Brasil deverão passar antes pelas suas mãos.

Contudo, ele frisa que o acesso imediato aos dados deve sofrer restrições. “O dado não é para ficar exposto, isso é dar a chave para o bandido [se referindo aos exploradores ilegais de madeira]. Vamos aperfeiçoar o sistema”, conclui Pontes.


Fonte: Site Midiamax - https://www.midiamax.com.br

Comentário: E não deve permanecer mesmo, perdeu completamente a compostura profissional e deve ser punido exemplarmente. É preciso que se entenda aqui que o problema não é a discordância, e sim a forma antiprofissional como ela foi conduzida pelo o Sr. Ricardo Galvão, ponto. O resto é choro motivado por questões politicas ideológicas que não devem conduzir e muito menos influenciar o comportamento de um servidor público. O exemplo tem de ser dado Ministro Pontes.

Comentários

  1. Achei exagerada a reação dos dois lados, tem meios mais adequados para resolver isso do que ataques públicos... Uma pena, o Dr. Ricardo Galvão parecia a pessoa certa para estar ocupando o cargo, mas no fim, vai acabar custando a cabeça dele...

    ResponderExcluir
  2. O problema do INPE é bem mais complexo do que o ocorrido no caso da divulgação do índice de desmatamento. Lá imperam facções que se renovam no comando do Instituto e, enquanto uma dá as cartas, outras sabotam o trabalho interno e o Governo Federal. Concorre para isto, em grande monta, a famigerada estabilidade do servidor público, que acaba permitindo o ativismo político e ideológico no ambiente laboral, que atrapalha o clima organizacional e a produtividade. Os dados de desmatamento devem sim serem divulgados para a Sociedade, mas antes disso, deve ser uma ferramenta de gestão pública e de combate ao crime ambiental. Apenas para fazer politicagem, deixa de ser útil e construtivo.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial