Segurança e Soberania Nacional

Olá leitor!

Segue abaixo um pequeno artigo opinião postado na da edição de nº 26 do “Jornal do SindCT” de novembro de 2013, dando destaque a segurança e a soberania nacional.

Duda Falcão

Opinião

Segurança e Soberania Nacional

Jornal do SindCT
Edição nº 26
Novembro de 2013

Soberania nacional pode ser definida como o fato de uma nação optar por seu destino, e por garantir seu território e patrimônio, seja material, intelectual ou cultural. Segurança é o nível de proteção que se deve ou se pode ter. No caso de uma nação é a proteção do território, do seu povo e patrimônio.

Desde o Brasil Colônia, a submissão da maioria de nossos governantes é clara ingerência externa. Nos dias de hoje somos um país com soberania e segurança ameaçadas por ações de outros, atentos às nossas riquezas, capacidade criativa e intelectualidade. Os entreguistas de plantão não hesitam em desqualificar nossa capacidade, submetendo o país a opções lamentáveis. Recentemente a presidenta Dilma e a Petrobras foram espionados pelos governos dos Estados Unidos e Canadá.

Por que espionar a Presidenta? Por suas posições políticas internacionais. Por que a Petrobras? Pelo Pré-Sal, leilões de petróleo e tecnologias em águas profundas. Quando o Brasil criou o Sistema de Vigilância da Amazônia (Sivam), buscava ter um mecanismo de proteção. Regras da empresa estrangeira vencedora eram tais que nossos técnicos não teriam acesso aos programas-fonte nem aos núcleos de controle. Controle ZERO. Ora, que vigilância é esta? Um novo governante cancelou este desperdício de US$ milhões. A mesma situação ocorre hoje com o satélite geoestacionário e de defesa, SGDC, comprado no exterior.

Os técnicos brasileiros não participarão do projeto. Transferência de tecnologia ZERO. Será um equipamento fechado, lacrado e desconhecido de nossos especialistas em defesa. Pode-se por exemplo colocar uma “porta secreta” de entrada e saída aliada a um bom controle de fluxos, tudo devidamente disfarçado. Mais uma vez, poderemos ser espionados e enganados. E que dizer da ACS, parceria com a Ucrânia, sem transferências de tecnologias ou controles de processos, e que devora o dinheiro negado ao VLS do DCTA? E em detrimento da tecnologia que lutamos por desenvolver. A soberania nacional e a segurança continuam no lixo.


Fonte: Jornal do SindCT - Edição 26ª - Novembro de 2013

Comentário: Pois é....

Comentários

  1. Nacionalismo hoje em dia épara os duros, a agenda desse governo é internacional. O nome do orgão que orquestra tudo se chama Foro de São Paulo.

    Não haverá desejo de soberania se não houver governo comprometido com a independencia nacional, olhando o país com o nacionalismo básico necessário para sermos um agente livre de influencias externas na nossa política e economia.

    ResponderExcluir
  2. Não sei se é pra rir ou pra chorar.

    Um governo cujos principais mentores estão hoje PRESOS, apesar do fato de que eles fazem parte de outra casta que por aqui habita, a casta dos "sabe com quem está falando", e não estarem presos da forma de realmente deveriam estar, governo esse sustentado pelos anacrônicos do PCdoB, entre outros.

    O que se pode esperar? Os três poderes hoje em dia são contra nós.

    Perguntar o porque espionam a Dilma? Não seria pelo fato de ela ter sido guerrilheira? Não seria pelo fato de ela e o seu mentor apoiarem governos no mínimo esquisitos, como o da Venezuela, do Irã e de Cuba?

    Esse "governo" populista está tão perdido, que se diz socialista, finge que é comunista, e continua privatizando e entregando empresas privadas genuinamente nacionais aos interesses de outras nações.

    Aí é como o Duda coloca de vez em quando: Ora, façam-me uma garapa.

    Todos sabem do sucateamento e constante sabotagem do nosso programa espacial, todos sabem que esse satélite geoestacionário do jeito que está determinado por esse "governo", não vai melhorar absolutamente nada para o nosso lado.

    E cadê a ATITUDE ?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial