INPE Estima 5.843 km² Desmatados na Amazônia em 2013

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada ontem (14/11) no site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) destacando que o instituto estima 5.843 km² desmatados na Amazônia em 2013.

Duda Falcão

INPE Estima 5.843 km² desmatados
na Amazônia em 2013

Quinta-feira, 14 de Novembro de 2013

A estimativa da taxa anual do desmatamento medida pelo PRODES, o Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite realizado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), aponta que foram desmatados 5.843 km²  no período de agosto de 2012 a julho de 2013. O PRODES computa como desmatamento as áreas maiores que 6,25 hectares onde ocorreu remoção completa da cobertura florestal – o corte raso.

A taxa estimada em 2013 indica um aumento de 28% em relação ao período anterior, em que foram medidos 4.571 km².

A tabela abaixo apresenta a distribuição da taxa de desmatamento nos estados que compõem a Amazônia Legal:


Com o lançamento do satélite americano Landsat 8/OLI em outubro de 2012, o INPE voltou a utilizar prioritariamente instrumentos da família Landsat para fazer o mapeamento e calcular a taxa de desmatamento para o ano de 2013.

Para gerar esta primeira estimativa, o INPE analisou 86 imagens nas regiões onde foram registrados aproximadamente 90% do desmatamento no período anterior (agosto/2011 a julho/2012) e que também cobriram os 43 municípios prioritários, referidos no Decreto Federal 6.321/2007 e atualizado em 2009, conforme mostra figura 1:

Figura 1: Círculos mostrando região mapeada pelo PRODES
em 2013 sobrepostos aos municípios prioritários.

Os dados do PRODES-2013 em formato shapefile estão disponíveis no site do PRODES: www.obt.inpe.br/prodes. As imagens utilizadas neste mapeamento estarão disponíveis na próxima semana.

Seguem gráficos e tabelas sobre a série temporal do PRODES para a Amazônia Legal e por Estados na Amazônia Legal:

(a) Média entre 1977 e 1988, (b) Média entre
1993 e 1994 e (d) estimativa.
(a) Média entre 1977 e 1988, (b) Média entre
1993 e 1994 e (d) estimativa.
Variação relativa 2000 a 2013.


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial